sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

José Sócrates: o Visionário Bacoco

José Sócrates (Fonte: Google Imagens)

Allô...cá estou eu de volta!
Durante o período das minhas merecidas férias recebi duas mensagens electrónicas acerca de uma certa categoria de gente que pulula nas Instituições públicas e cujo carácter deixa muito a desejar. Mas hoje só falarei de uma pessoa.

Agora entendo as palavras de Pinto Balsemão, na revista Sábado - nº 317 em 2010 - quando afirmou “Sócrates parece que está a vender um produto e nunca se sabe muito bem qual. Quando aparece com o seu talento de vendedor, as ideias parecem fantásticas, mas dois anos depois não se vê nada”.
Pois é exactamente o que está a acontecer semana após semana na RTP – sua plataforma política – onde Sócrates pronuncia diatribes a torto e a direito contra o actual governo.

Mas afinal,quem é o ex-primeiro ministro, José Sócrates?
É um ser sedento de bajulação, que veste fatos caritos para mascarar o seu provincianismo; que se finge inabalável para mascarar a sua insegurança; que se finge distante para mascarar as suas carências; que se finge impaciente para mascarar a sua falta de entendimento; que se gaba de ser um ávido leitor para mascarar a sua falta de sofisticação; que gosta de ser o mais culto, o mais inteligente e o mais lindo; em suma, é um homem revestido de complexos.

Não admira que tenha mudado de partido, porque o seu enormíssimo ego iria chocar com as personalidades do PSD - que ás vezes mais parece um ensemble de divas doidas, sendo a Manuela Ferreira Leite a mais varrida delas todas. Mas enfim, apesar de nunca ter votado no PS, na altura pensei que Sócrates merecesse uma chance já que me pareceu inteligente e com uma visão para Portugal.
Só que Sócrates falhou. E falhou porque o PS é adepto do laxismo, os ministros de Sócrates são uns puxa-saco, o povo português uns vendidos e, o ex-primeiro ministro não governou Portugal porque estava ocupado então, tal qual agora, a exibir as suas qualidades de vendedor da banha da cobra.

P.S: ó querido Sócrates, ser agnóstico não é ter religião; e mais, quem é que pode acreditar nas patacoadas que mandas na RTP, se ainda estás para ser convencido de uma evidência que és tu próprio? 

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Departamento de Estado: Política de Reduzir Israel para "Proporções Históricas"



"Não precisamos de Israel para ter influência no mundo árabe. Pelo contrário, Israel prejudica-nos mais do que nos beneficia no mundo árabe. (...) Não podemos negociar a existência de Israel, mas podemos reduzir o seu tamanho para proporções históricas." -- Henry Kissinger.

A citação acima apresentada faz parte da acta de uma conversa que teve lugar em Dezembro de 1975, em Paris (França); entre o Secretário de Estado americano, Henry Kissinger, e o Ministro dos Negócios Estrangeiros iraquiano, Sa'dun Hammadi.

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

O Plano de 7 Passos da Al-Qaeda: O Ocidente Cumpre

Rua Ezbekiyah no Cairo - Prosper Marilhat
Quão diferentes são os vários grupos islamistas?
Estarão todos a trabalhar para o mesmo fim?
Não há coincidências.
A Al-Qaeda (AQ), segundo Fouad Hussein (no seu livro de 2005), delineou um plano de 7 passos com o objectivo de estabelecer o Califado Islâmico: