quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Portugueses: Violentos Sim, Pobres Não


O país anda numa onda de violência, em proporções de que não tenho memória: talvez seja porque os meios de comunicação não publicitassem tal facto, se calhar não é de bom tom falar de coisas que não nos dizem respeito - que só acontecem àqueles que estavam a pedi-las. Mui orgulhosamente, diz-se que Portugal é culturalmente um país de brandos costumes; no entanto, apesar de constituir um crime contra o Estado, a violência doméstica é praticamente exercitada a campo aberto; apesar de ser a guardiã da lei e da ordem, a polícia espanca cidadãos a seu cargo; selvática e gratuitamente, um grupo de rapazes em Almada espancou um colega de escola; um filho no concelho de Sintra cometeu parricídio; e por aí afora...mas o que terá acontecido à matriz de brandura?

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Eis Porque os Serviços de Informação Não Devem Militar Contra Israel


Liberdade de Expressão é boa, é preciosa; contudo, por vezes pode colocar-se no caminho do Bem Maior. Por exemplo, em Israel há pessoas que acreditam que dar opinião em público é um direito de nascença, contudo na verdade o que estão a fazer é a travar o que há a ser feito. Mas o que é ainda mais espantoso é o tipo de argumentos utilizados por essa gente...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Falácia intelectual: Ateísmo e Cª, Roubalheira Camarária e Marca Foleira


Esta semana falarei de três tópicos tão interessantes quanto patéticos:

1- Sou agnóstico, sou laico, sou ateu, e... sou baralhado

Definitivamente os políticos não conseguem viver na (e com a) verdade; mesmo em matérias residuais. Há um Ser que é comum à maioria dos seres: Deus. Porém há aqueles uns que se consideram desligados do elo comum: os ateus, os agnósticos, os apologistas não-praticantes de uma qualquer filosofia asiática/oriental e os laicos...Não há problema nenhum em não acreditar em Deus, o facto é que Ele existe quer queiramos ou não; apenas difere a forma como cada crente se dirige e chega a Ele.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

O Círculo de Confiança Nuclear: Irão, Síria, Paquistão, Coreia do Norte e China


A guerra na Síria poderá ser ainda mais importante do que inicialmente se pensara. Ainda que eu mantenha que presentemente não há alternativa a Bashar al-Assad, também admito que após se encontrar um candidato viável ele terá que deixar o poder. A Síria está ligada ao Irão, o Irão está ligado ao Paquistão e à Coreia do Norte (CN) que estão intimamente ligados à China – a Rússia está ligado a todos. Este círculo representa um enorme problema de segurança internacional.