quinta-feira, 16 de abril de 2015

Rui Machete em Barcelona: A Reunião dos Bons Naïfes



O ministro dos negócios estrangeiros português esteve em Barcelona numa reunião informal sobre segurança e contra-terrorismo, organizada pela Letónia; país que preside a União Europeia.
Nessa reunião estiveram presentes a chefe da diplomacia comunitária a Alta Comissária Federica Mogherini, o Comissário Europeu de Vizinhança Johannes Hahn, os representantes dos negócios estrangeiros dos países da UE e os parceiros da vizinhança sul: Argélia, Palestina (será referência aos terroristas da OLP e do Hamas que são representantes dos árabes em Israel?), Túnisia, Líbano, Marrocos, Egipto, Jordânia e Israel. A Líbia e a Síria não foram convidados.

terça-feira, 14 de abril de 2015

A Operação Tempestade Crucial Expôs Dois Pesos e Duas Medidas


A Operação Tempestade Crucial, no Iémen, ocorre há já mais de 15 dias e, o desempenho da coligação liderada pelos sauditas tem sido criticada por muito poucos (e.g. HRW e alguma media do médio oriente); contudo, estes têm sido extremamente acanhados na sua crítica – expondo, deste modo, uma posição interessante de dois pesos e duas medidas.

“A Arábia Saudita jurou 'fazer o que necessário fôr' para impedir a queda do seu aliado, o Presidente Abderabbo Mansour Hadi, acusando o Irão Xiita de apoiar a tomada de poder pelos rebeldes Houthis.” (fonte)

O que necessário fôr...incluirá isto a violação da lei internacional?

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Limpeza Étnico-Religiosa na Universidade de Garissa: Silêncio Mundial



No mundo ocidental, sempre que os muçulmanos cometem atrocidades: ataque a um museu Judaico na Bélgica; ataque ao Charlie Hebdo, ao supermercado Cacher, massacre de toulouse, em França; Londres 7/7, Madrid 4/11, EUA 9/11, começa de imediato o Blá...blá blá...blá blá blá, nomeadamente: é preciso não confundir estas atrocidades com o islão, este é paz (embora só ceife vidas); é preciso fazer mea culpa pois somos racistas por natureza e inexplicavelmente dificultamos a integração dos jovens muçulmanos; é preciso compreender que as políticas de austeridade empurram a população muçulmana a cometer estes faux pas; é preciso ainda lembrar que essa juventude maometana está traumatizada e recalcada pelo facto de termos ocupado Andaluz e de os termos rechaçado da sua coutada europeia. 
Sempre que os maometanos matam uns quantos judeus por esse mundo fora: é preciso entender que Israel está a ocupar Israel, transformando-o numa nação judaica em vez de transformá-lo em mais uma nação Árabe; é preciso não esquecer o investimento massivo dos árabes e dos muçulmanos no mundo ocidental, logo, em nome do emprego não devemos melindrar os musuls.
Tudo bem: somos brancos, laicos, comprados, civilizacionalmente superiores e, como tal, quanto menos alarido...melhor.