Medida Holística de Contraterrorismo: Desradicalização

Manhã em Riesengebirge - Caspar David Friedrich

Recentemente questionámos a eficácia do Desengajamento como uma medida de Countraterrorismo (CT). Esta semana iremos discutir mais uma Abordagem Holística no combate ao terrorismo: desradicalização.

Desradicalização:
"Programas que geralmente são direccionados a indivíduos que se tornaram radicais com o objectivo de os reintegrar na sociedade ou, pelo menos, de os dissuadir da prática da violência." (John Horgan)

Tais programas (segundo o Institute for Strategic Dialogue) trabalham sob a premissa de que as pessoas se radicalizam devido a factores específicos:

Divisões: falta de integração, segregação, polarização, divisão comunitária, crise de identidade, isolamento, fraca liderança comunitária/infraestrutura
Descontentamento: emprego precário, baixo nível académico, falta de representação política/democrática, discriminação, política externa e conflitos/disputas internacionais
Narrativas: movimentos políticos, ideologias, fé
Meios: redes sociais/familiares/criminosas, instituições e lugares de risco/vulneráveis, elementos vulneráveis, indivíduos carismáticos.

De todos os factores acima descritos, eu diria que Meios é o mais objectivo catalisador de terrorismo, devido à sua universalidade - todos os outros são subjectivos, especialmente quando dão azo a uma pergunta crucial:

  • O que faz com indivíduos de diferentes etnias, expostos aos mesmos catalizadores e vivendo sob as mesmas condições, apresentem comportamentos diferentes (i.e. porque é que alguns têm tendência para a radicalização quando outros não têm?

Alan B. Krueger & Jitka Maleckova (in Education, Poverty, Political Violence and Terrorism: Is There a Causal Connection?) refutaram o argumento de que exista qualquer elo entre pobreza, educação e terrorismo e envolvimento em violência politicamente motivada. Eles também citaram Maxwell Taylor que disse "Nem o background social, nem o acesso à educação ou o sucesso educacional parecem estar particularmente associados ao terrorismo." - logo o que motiva os indivíduos a radicalizarem-se? O professor de psycologia, Ariel Kruglanski, defende que o que primariamente motiva as pessoas para se tornarem terroristas é a busca pela significância pessoal.

Se uma instituição se propõe a desradicalizar indivíduos baseada em factores subjectivos (tais como descontentamentos, divisões, narrativas e meios) em vez de operar baseada na necessidade do indivíduo de ter significância pessoal (i.e. a uma motivação humana que visa a obtenção de respeito), o processo de desradicalização falhará.
Concentrar-se somente nos factores sociais é limitante. Não estou de modo nenhum a dizer que não sejam úteis; simplesmente atrevo-me a dizer que são restritivos porque muitos académicos já provaram que aqueles não se aplicam a todos os elementos radicais. Mas quando pensamos em traços psicológicos (tais como a necessidade de ser alguém, de ter importância, de fazer a diferença etc) aperceber-nos-emos que são universais em todos os elementos radicalizados.

Como é que ocorre exactamente o processo de desradicalização? Na Arábia Saudita, por exemplo, os terroristas foram submetidos a uma reeducação religiosa, aconselhamento psicológico, assistência para encontrar um emprego e esposas. Na Europa, o que parece ser feito é mais ou menos o seguinte:

  • Apoio social e económico para que o indivíduo tenha meios para se sustentar na ausência do seu antigo grupo radical (ou rede terrorista). 
  • Apoio psicológico e aconselhamento;
  • Mentoria e exemplos a seguir; 
  • Actividades de Diversão (e.g. desporto); 
  • Contra-propaganda, desconstrução de mensagens;
  • Aconselhamento religioso ou ideológico 

A priori parece tudo bonito e relativamente fácil; contudo no caso da Arábia Saudita diz-se que entre 30-40% daqueles que fizeram o tratamento de desradicalização voltaram para a prática de terrorismo. Na Europa, o quadro também não parece positivo devido à "falta de control, de orientação e falta de resultados." (Alex Schmid)
In summa, não há maneira de saber o quão bem sucedida é esta abordagem holística porque nenhum dos investigadores que estudaram o assunto encontrou dados ou provas de que estes programas realmente funcionam como uma medida de contraterrorismo.

Pontuação:
Abordagem Holística 0 - 2 Abordagem Militar


Comentários