A Lusofonia: Angola


Angola: deriva do Bantu N’gola.
Capital: Luanda.
Lema: Virtus Unitas Fortior (A unidade dá força).

Prolepse....

Século XV - Diogo Cão chega ao Congo (em 1484), sob o reinado do Rei D. João II; e a partir desta data dá-se início da conquista desta região (incluíndo Angola).

Séculos XVI – XVII – Os Portuguese instalam-se na costa Angolana (uma vez que penetrar no seu interior era extremamente difícil). Paulo Dias de Novais procura explorar os recursos naturais da região – em particular os escravos.
Luanda foi fundada. Angola torna-se o principal provedor de escravos para as plantações de cana-de-açúcar, no Brasil.
No período de 1580-1640, durante a ocupação Filipina (pelos Portugueses), os Holandeses tentaram despossar Portugal do território Angolano, ao instalarem-se na costa Angolana. Contudo tropas Luso-Brasileiras (lideradas por Salvador Correia de Sá) expulsaram-nos de lá; restabelecendo, assim, os laços comerciais entre Salvador, Rio de Janeiro e Luanda.

Século XVIII – Angola é o maior reservatório de escravos para as plantações e minas, tanto no Brasil como noutras colónias do Continente Americano.

Século XIX – O interior da região é finalmente colonizado. Fim do tráfico de escravos. As fronteiras Angolanas são delineadas.

1900-1960 – Alto desenvolvimento económico; resultado do aumento da produção do café, cana-de-açúcar, milho, sisal e etc (para exportação).
Começa-se a explorar o petróleo em Cabinda. O ferro é explorado nas regiões de Jamba, Cassinga e Txamutete.
Cerca de 100,000 Portugueses emigram para Angola.

11 de Novembro de 1975 – Independência de Angola.
Esta data marca também o início do primeiro período de guerra civil que durou até 31 de Março de 1991. O segundo período de guerra começou em Dezembro de 1998 e cessou em 2002, com a morte de Jonas Savimbi (o líder do Partido UNITA).



Período do Pós-Independência
Angola é o segundo maior produtor de petróleo e exportador de diamantes. Apesar disso, a sua população vive em condições de extrema pobreza.
A sociedade Angolana é jovem e é composta por várias etnias:
Negros: Ovibundos (37%), Kibundos (25%), Bakongos (13%) e outros.
Brancos: 2% (a maioria de descendência Portuguesa).
Mulatos: 2%.
Outros: 1%.

Língua
A única língua oficial é o Português. Contudo falam-se outros dialectos: o Umbundu e o Kimbundu, por exemplo.

Dança e Música
A dança provou ser um factor crucial na integração das pessoas e, na preservação da sua identidade e sentido comunitário.
Há vários ritmos tradicionais, mas os mais conhecidos são: Semba, Kizomba e Kuduro (que vos irão ser apresentados ao longo deste mês).

Mas para começarmos a festa, vou-vos apresentar uma dança que é extremamente famosa aqui, em Portugal, e nas ex-colónias Africanas: a Kizomba.
A Kizomba invadiu a vida dos jovens Portugueses e, mostrando o quanto a cultura Angolana tem vindo a influenciar a Portuguesa.
Abaixo estão dois videos introdutórios: o primeiro mostra os campeões do 1º Congresso Internacional de Kizomba (Mafalda e Bruno), e o segundo mostra a forma mais comum de dançar a Kizomba (a básica). Divirtam-se!








Próximo Porto: São Tomé e Príncipe

Comentários

  1. Belo post!

    Tem um mimo pra vc no Fio hoje!

    ResponderEliminar
  2. Oi Vanessa :D!

    Obrigada!

    Um selo? Obrigadíssima!!! :D

    Já lá vou!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Oi Max
    Muito legal o post sobre Angola, é uma pena que países com grandes riquezas naturais tenham tamanhas desigualdades sociais...
    Amei essa dança Kizomba, gostei mais do primeiro video, eles dançam muito!!!


    beijos

    ResponderEliminar
  4. Olá Dri :D!

    "Muito legal o post sobre Angola, é uma pena que países com grandes riquezas naturais tenham tamanhas desigualdades sociais..."

    Obrigada, ainda bem que gostaste! É verdade, e se eu te contasse tudo o que se passa em Angola..."morrerias"!

    "Amei essa dança Kizomba, gostei mais do primeiro video, eles dançam muito!!!"

    É muito boa!! Eu adoro dançar Kizomba!
    O primeiro video é o máximo, é mais coreografado, mais técnico. O segundo é o passo básico, que vê mais nas discotecas, nos bares...há muita maneira de dançar Kizomba.

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Isto aqui é so um resumo nao é??
    Porque se nao fosse era pouco !
    Tambem se houvesse mais fotos era melhor..

    ResponderEliminar
  6. Olá Anónimo :D,

    Claro que se trata de um resumo; afinal isto é um blogue, não uma tese académica lol ;).

    Obrigada pelo comentário e volte sempre.

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço