Moçambique, Nação Maravilhosa!


Caros leitores, peço desculpa por me estar a desviar da minha área (republicar sobre política portuguesa) mas Moçambique é a minha energia inicial e porque se sofre bastante, em Portugal, quando acontece algum azar aos portugueses que por lá gravitam.

Moçambique, país que fascinou Vasco da Gama; nação de Ngungunhane, um tapado que cometeu erros de cálculo tal qual os actuais governantes Moçambicanos, que se deixaram enredar nas malhas do associativismo bacoco com paquistaneses corrosivos, libaneses obscuros, sírios-iranianos ignóbeis e gente que tal, que quando se quer apoderar de recursos naturais dos países, contratam criminosos que se escudam atrás dum Allah – deus menor na certa - e em seu nome, através da técnica do terror, chacinam inocentes para mais eficazmente subjugar o povo, levando os mais incautos a ajudá-los a concretizar os seus intentos: roubo e tráfico de matérias primas para patrocinar os seus negócios de morte e devastação.

Nasci e cresci em Moçambique até aos dezanove anos – nunca mais lá voltei – e ainda hoje estou contando as minhas bençãos pelo facto de me ter sido concedida a graça de ter convivido com pessoas de todas as raças e suas variações, e gente de quase todos os credos (catolicismo, protestantismo, ortodoxias, cristianismo sionista, judaísmo, islamismo, hinduísmo, animismo, Jeovás, presbiterianismo, metodismo etc...). Em toda a minha vivência, naquele país, nunca soube o que era ver gente morta por professar o que quer que fosse, tirando 1976 (quando a Frelimo perseguiu as testemunhas de Jeová) logo, que raio de Far-West estilo Somália, Nigéria, República Centro Africana e Mali é que está a assolar o norte de Moçambique?

Então o quê que se sabe deste país:

  • É um país abençoado pelo verdadeiro De*s com todo o tipo de riquezas - tanto no solo como no mar
  • É um país corrupto (Frelimo, políticos, polícias, soldados, tribunais e jovens preguiçosos e compravéis)
  • É um país onde a polícia e os militares estão insensíveis ao sofrimento do povo - estão a “comer e a dormir” com quem? 
  • É um país bloqueador para quem queira trabalhar sem se associar aos corruptos da Frelimo
  • É um país sem escolas, hospitais, estradas e sem infra-estruturas (em suma é um shithole)
  • É um pais sem honra - qualquer borrabota estrangeiro chega lá e compra um alto dirigente da Frelimo
  • É um pais marxista-leninista que se alia a países estúpidos
  • É um país onde os dirigentes fingem precisar da China, Rússia, Cuba e comunas que tais para melhor encher os bolsos dos Frelimistas, seus caciques e lacaios, que se convenceram de que o país lhes pertence e que se lixe o povo
  • É um país vendido e os proventos não são utilizados para o desenvolvimento humano das respectivas regiões onde se exploram os tais recursos naturais
  • É um país que é só para alguns poucos e que são possuidores de 90% da riqueza do país

Pois, se este último bullet é repartido por poucas famílias, amigos e amigos dos amigos e estrangeiros que lhes financiam a dormência e o silêncio da polícia e dos militares; o quê que impede os facínoras muçulmanos (a soldo de interesses venais) de querer pilhar os restantes 10% dos bens de Moçambique - nem que para isso tenham que matar? Uns perguntarão como se atrevem esses soldados de Maomé a penetrar em Moçambique, decapitar cidadãos moçambicanos, inclusivé duas crianças, como se estivessem a entrar nas suas retretes?

Eu respondo: a associação da Frelimo com agentes branqueadores de capitais, patrocinadores de terrorismo, traficantes de estupefacientes e usurpadores de identidade são os que passam a inteligência aos seus mercenários, pois através da sua infiltração na área da governação, eles têm conhecimento profundo do funcionamento das instituições do país.

Quo vadis, Moçambique?

Será que Moçambique deve adoptar o estilo Idi Amin Dada com os cidadãos Asiáticos?

  • Primeiro deve fechar as mil e umas mesquitas que proliferam em Moçambique
  • Fechar as madrassas que grassam um pouco por todo o país inclusivé em Cabo Delgado
  • Expulsar toda essa estrangeirada islamista que nos seus países valem menos que nada  

Compreendo a inconveniência destas medidas, porém aos praticantes e proselitistas dessa religião nefasta não se lhe poderá permitir que percam a noção de perigo/medo. Têm de saber que Moçambique não será transformado em zona de guerra gratuita e que os Moçambicanos depois de uma guerra civil, ainda recente nas suas mentes e corações, não aceitarão estar a soldo de estrangeiros islamistas assassinos, e sem valores, tomados pela presunção de que podem chegar a África e comprar um preto. Em todo o lado menos em Moçambique: eles que voltem para os seus países sujos desgraçados, miseráveis e adeptos da fé de Maomé.

A Frelimo, Renamo, MDM e outros partidos terão de fazer um pacto solene com e para o povo, lembrarem-se que quando o último imperador de Gaza começou a fazer jogo duplo concedendo, até, a exploração de recursos naturais nas zonas por si controladas ao mr. Rhodes: foi o início da queda do Ngungunhana. 

Presidente Nyusi abra o olho, veja lá se essa camaradagem não fará com que os moçambicanos acabem a ser transaccionados por €500 para os países árabes no mercado negreiro e nojento da Líbia.

Por tudo isto, diga basta à ignorância, acabe com a idiotice de obrigar investidores a terem compulsivamente um sócio moçambicano, transforme Moçambique numa economia de mercado, não transforme os moçambicanos nuns chulos (pondo-lhes no colo propriedade pela qual não se esforçaram para a ter). Qualquer investidor pode e deve fazer fortuna em Moçambique, contudo a bem do emprego jovem, a matéria prima deve ser transformada em território nacional e os proventos devem servir para desenvolver a província fornecedora do produto.

Não repita falácias, aja! Atenção que o minério designado por terra-rara que os chineses estão a sonegar para a China, a troco de construções de aeroportos e coisitas que tais, é um bem precioso pertença do povo Moçambicano, por tal, deve ser tratado e comercializado a partir de  Moçambique - ponto final.

Ouvi um rumor sobre a ponte para a Catembe; se os chineses querem brincar mande-os àquela parte, nenhuma parcela do território moçambicano deve ser cedido a quem quer que seja. Presidente Filipe Nyusi não tema, Moçambique é dos moçambicanos; se precisar de ajuda também se pode arranjar; está a compreender?

Até para a semana

P.S:  Filipe, por favor, seja flexível e esqueça velhas maneiras de pensar, esqueça ideologias furadas e empobrecedoras e reintegre os seus concidadãos da Renamo nas forças armadas e eles que combatam esses islamistas facínoras, porque aparentemente conhecem bem a zona.  Ah, txo,  presidente Nyusi, tenha-os no sítio!


[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence). © 2009-2018 Autor/a(es/as) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS]

Comentários

  1. Olá Lenny,

    A situação actual de Moçambique deve-se mais uma vez à corrupção corrosiva (que mina o continente africano e que é explorado pelos vários grupos islamistas). O Presidente Guebuza, provavelmente o pior presidente que o país teve, associou-se a paquistaneses e libaneses da pior espécie para proveito próprio e o resultado está à vista.

    Quem são esses libaneses? Conhece-se bem a actividade do Hezbollah em África por isso a análise deve ser feita nesse contexto. Há um indivíduo, em particular, que é dono de centros comerciais em Maputo (de origem paquistanesa) que é sócio de muitos elementos da Frelimo, e que por acaso está na lista do DEA...pensem nisso.

    Para além do mais, Moçambique faz parte da rota do tráfico de droga que envolve o Dubai.

    Bom trabalho, Lenny :D.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      Pois está claro, são esses amigos que nos seus países são uns zé ninguém, que são enviados para os vários países africanos para os desestabilizar e assim se apossarem dos recursos naturais. É sempre a mesma porcaria, no século I Moçambique deixou-se invadir pelos bantus que vinham somente a procura de melhores condições de vida e num abrir e fechar de olhos destruíram a demografia moçambicana. Estes agora veem apresentar um de*us desconhecido dos pretos e a pala da ignorância vão semear o caos, destruir o pouco que os moçambicanos estão aos poucos a construir: vai lá vai, até a palhota abana!

      Beijocas, boss!

      Eliminar
    2. "Até a palhota abana!" hehehehe essa é boa!

      Eliminar
  2. Gostei da dica! Sim, integrar os militantes da Renamo e usá-los para matar esses shabaabs todos! Mana, sabes que moçambique é extenso mas admito o receio que esses gajos cheguem a maputo! Pá, mesquitas em todo o lado, madrassas, e nós estamos desconfortáveis, sinceramente. A gente vê o que se passa noutros países e não queremos isso aqui, né? Mas vamos lá ver, que Deus nos ajude!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      De*s ajudára se forem específicos nos vossos mikongotos e também na vossa luta contra o xigono do islamismo: filosofia política mascarada de religião, que tem como dogma a ignorância do ser humano.

      Aquele abraço, resistente de Moza!

      Eliminar
  3. Os infiéis estão a invadir moçambique? Mas não há quem pare essa gente? Já estamos fartos deles todos!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Mary Jo!
      Sim os infiéis estão a causar o terror em Moçambique; e quem acabará por pagar serão os bons muçulmanos que sempre conviveram com os moçambicanos que professam outras religiões.
      Não querem parar essa gente, porque estão nos bolsos dessa gente: o Guebusa e outros frelimistas que digam quanto sangue inocente desejam ver derramado no norte de Moçambique, até que este assunto seja entregue aos serviços secretos (espero que estes sejam lícitos), único garante da segurança dos moçambicanos e da integridade do país. Não confio em generais pois estão provavelmente no bolso dos facínoras islamistas, caso contrário já teriam rechaçado essa escumalha estrangeira ajudada na certa por escumalha doméstica.

      Beijinhos, amiga!

      Eliminar
  4. Como eu disse no DS, a culpa disto tudo é dos líderes africanos que escolheram deixar esses árabes entrar no continente africano, e muitos deles cospem em Israel por estão nos bolsos árabes. Valeu a pena? Claro que não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carla!
      Ai, fadista! Eu não teria dito melhor! Ouvi até dizer que Moçambique rejeitou a ajuda dos israelitas para combater essa cambada; enfim...

      Beijocas, minha linda!

      Eliminar
  5. O Scott no DS pergunta quanto tempo levará o governo moçambicano a pedir ajuda internacional para resolver este problema? Até agora o governo tem se recusado a admitir a existência da ameaça, por isso o melhor é admitir que ela existe, que é real, e depois pedir ajuda.
    Pergunta: vamos lá ver se o silêncio não é admissão de culpa. Quem levou esses muçulmanos estrangeiros para o país? Não foi só o Guebuza, não; temos de olhar também para o governo de Luanda. Aí o caso já fica mais grave ainda, não é?
    Shabbat Shalom lekulam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, CCG!
      O governo moçambicano não pedirá ajuda porque estão todos comprados pelos paquistaneses, líbios, sírios, iranianos que pelos vistos estão todos a procriar com as pretas e as mulatas para se infiltrarem ainda mais no aparelho do estado moçambicano: primeiro os bantús agora esta canalha assassina.
      Quem levou esses muçulmanos estrangeiros e bandidos para o país foram os lideres moçambicanos, que chegaram ao cúmulo de contratar a secreta síria para tratar de dados pessoais dos moçambicanos8passaportes e BI), se não queriam o candidato natural (Portugal) a fazer tal coisa, porque não pediram aos ingleses?
      Essa malta está toda mancomunada na senda da corrupção. Ouvi dizer que corruptos angolanos, do mais corrosivo que há, estão sediados em Moçambique: can you imagine....

      Beijocas e obrigada!

      Eliminar
  6. Olá meus amores!!! Olhem, nem sei o que vos diga: está mais que na hora de África dar um chuto no rabo desses árabes todos que por lá gravitam e acabar com esta miséria de vez! Mas será que os políticos não vêem que isto é tudo um plano deliberado para acabar com África??? Mas pronto, desde que possam esconder a massa na Europa eles nem querem saber se lixam o povo ou não! Shabbat Shalom, lenny!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey, hey...!
      Não são exactamente os árabes, são os seus satélites do Magreb, os tais que não se consideram africanos nas sim árabes, por serem os criados de países árabes; e claro alguns asiáticos paquis e indianos muçulmanos.
      Olha só para os países dessa gentalha islamista; algum dia aceitaria ser humilhada e submissa duns nada? Juro que não sei o que se passa na cabeça dessa malta subsariana; por outro lado sei: desgraçados que foram sempre nada e que agora têm o poder nas mãos.
      A Europa é outra que quer ver África na lama, e essa negralhada está a ajudar à festa, recebendo dinheiro impregnado de sangue inocente para destruírem nações e povos inteiros.
      Não me venham com a história do racismo porque eu também sou negra e judia (gosto de coisas difíceis ;) ) e neste tempo estou vexada com o comportamento nojento em África.

      Eliminar
  7. É uma pena o que está a acontecer em Moza. Esperemos que o presidente Nyusi peça ajudar a quem tem de pedir, nomeadamente Israel e os EUA! Ele que não seja parvo porque só vai piorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cêcê!
      Eu acho-o um ser inteligente; mas que trunfos tem ele contra os casca grossa e ignorantes frelimistas da velha guarda?
      "Só sei que nada sei" mas que fez ele para reintegrar os renamos nas fileiras do exército moçambicano? Nada; só andou a engonhar até à morte do Dlhakama.
      Por isso acho que vão continuar a posar a banca do orgulhoso sem causa nem poder, até o norte de Moçambique ser arrasado e transformado infamemente numa Somália, Nigéria e desolações que tais.
      As famílias deles estão protegidas, topas?

      Ciao

      Eliminar
  8. Moçambique que abra os olhos senão acaba como a república central africana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      Eu penso que eles não querem abri-lo, se fosse o caso o governo de Moçambique sem medo teria dado um conferência de impressa, a denunciar essa gente e anunciar medidas concretas para os parar.
      Bom "a ver vamos" como diz o cego.

      Cumprimentos

      Eliminar
  9. Quo vadis, Moçambique? A lado nenhum se o Nyusi não fizer algo rápido! Ou antes vamos para o inferno islamista! Ai meu Deus! Lenny, e se a Turquia está envolvida nisso também? Eles estão em toda a áfrica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Leila!
      Toda a gente do Crescente está no golpe. O turco erdogan anunciou esta semana que irá haver uma guerra entre a Cruz e o Crescente: tira daí as tuas conclusões.
      E o povo de Moçambique, o que quer realmente? Só irá reagir quando for tarde demais? Não cometam a borrada da República Centro Africana, partir para a luta desunido e sem estratégia. A RCA é uma má merda; está a compreender?

      Aquele abraço, resistente de Moza

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço