Carta Aberta a Fernando Pessoa: os Influentes e influenciáveis do Seu Portugal



Lisboa, 31 de Maio de 2018

Caríssimo Fernando Pessoa,

Saberá com certeza que Portugal já não é um Império. Sabe também que por pura politiquice, os políticos portugueses seguindo a fórmula Inglesa formaram não um mas dois blocos (CPLP= Comunidade de Países de Língua Portuguesa; e PALOP= Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) com as ex-colónias, de propósitos tão incompreensíveis que descaracterizaram Portugal para pior:

  • Somos corruptos juntamente com os africanos e brasileiros;
  • Somos criados subservientes dos ladrões e corruptos corrosivos de Angola; 

Depois, Moçambique - alegando estar rodeado de países anglo-saxónicos - aderiu à Commonwealth e agora, imagine-se que dans un coup de rêve Angola descobriu a grandiosidade da francofonia e, solicitou à França a sua adesão à Organisation Internationale de la Francophonie= OIF.

Claro que por detrás deste pedido existe uma ulterioridad,e pois em Portugal figuras angolanas estão a ser investigadas devido às sua acções fraudulentas; suponho que com as connections do belga-congolês Kabila, aos Mwangolé tout bien a peso de ouro ser-lhes-á permitido conspurcar o país de Louis XVI e, assim, obter permissão do Eliseu para que as madames angolanas possam parir em França e os PDGs angolanos, de caminho, encetem des affairs de escroquerie que modernamente se apelidam de blanchissement: explicar-lhe-ei noutra ocasião.

Este intróito serve para expressar que o seu ideal “Falta cumprir-se o imenso Portugal”, no qual me atrevi a sentir-me parte integrante, é uma impraticabilidade quase comparável ao logro marxista-leninista. Pelo que hoje, aqui e agora, meu caro Fernando, quero tão só que se cumpra, consolide e se consagre o sonho de tantos quantos morreram agarrados a uma ténue esperança de um Portugal melhor para Portugal.

Mas infelizmente o nosso país continua a ser um sítio de difícil e lenta compreensão – os políticos recusam-se a fazer o melhor pelos trabalhadores e pelos reformados. Não entendo a renitência em aumentar o salário mínimo para €1.000 e as pensões mínimas para o mesmo montante. Note-se que luto por este montante desde 2015, e até agora nada de nada. Já perguntei qual a dificuldade da implementação desta medida e todos me dizem que – tal qual o seu sonho – é economicamente impraticável, mas eu continuo a dizer que é exiquível e por tal reiteiro:

  • Salário mínimo €1.000, já!
  • Pensão mínima €1.000, já!

O Primeiro ministro e o seu ministro cativador-em-chefe das finanças estão a menear as suas cabeças comentando que estou em delirium tremens, que nada disto é factível, que ando a incintar as massas gratuitamente sem bases académicas para sustentar a minha reinvindicação. Eu também afirmo que os arquictetos das políticas económico-financeiras deste país vão dar com os burros na água, pois tenho quase a certeza que o seu castelo de cartas vai ruir e quando tal acontecer De*s tenha misericórdia dos portugueses, porque Centeno partirá para o santuário dos falhados - a União Europeia - e António Costa arranjará uma colocação nas Nações Unidas - o refúgio dos inconsequentes.

Influentes e Influenciáveis

A mulher mais influente de Portugal é a Judite de Sousa, o líder mais influente de Portugal é o presidente da República, prof. Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Judite de Sousa é jornalista e é aparentemente considerada influente pela sociedade portuguesa. Não sei porquê, mas sê-lo-á certamente para todos aqueles que são adeptos da cultura populucha cujos indivíduos acreditam que uma mulher a raiar os 60 anos é influente, e as move, porque usa cabelos louros mais secos que a pragana, veste saias curtas (exibindo dois caniços como pernas), uns sapatos lindos que no seu pé se tornam pavorosos porque dá a impressão de serem dois números acima do seu. Os portugueses que a elegeram como influente devem ter uma tia velha e descarada que se considere hedgy por usar mini-saias exibindo os seus joelhos todos engelhados. Não percebo.....
  • O professor Marcelo R. Sousa é o presidente da República de Portugal que conseguiu banalizar por completo o posto presidencial. Traz a sua segurança debaixo de um stress constante e desrespeita constantemente quem por ele votou (eu). Quando ele aparece na televisão mudo de canal porque aquele encosto constante nas pessoas incomoda-me sobremaneira: e se um lunático o ferir? Será que o povo está tão carente que precise de beijos de uma pessoa estranha? Ou é o próprio presidente que se sente carente a ponto de ir saltar a macaca com os miúdos - porque não vai saltar a macaca/neca com os seus netos ou sobrinhos-netos?

Ó Fernando esqueci-me de lhe dizer que o livro mais lido em Portugal é a Revista Cristina - pertença de uma mulher com um timbre de voz ensurdecedor, e que também se chama...Cristina.         
Oiça, por favor, Fernando...não volte! Não volte porque isto por aqui está uma salgalhada tal que não lhe restaria alternativa senão pertencer ou ao clube kitsch (i.e. TVI) ou ao movimento GLTB ou ainda ao movimento #MeToo.

O Cafézinho pacífico na Brasileira já era...

Até para a semana   

(Imagem: Fernando Pessoa - António Faria via Google Imagens)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence). © 2009-2018 Autor/a(es/as) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS]

Comentários

  1. Hahahahaha adorei esta carta!!! Até que enfim alguém diz alguma coisa daquela Judite de Sousa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      Obrigada por passar pelo nosso sítio e ainda bem que o fizemos rir.

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. Olá Lenny,

    Realmente, é melhor Fernando Pessoa não reencarnar. Ou melhor, se o fizer é melhor regressar como Alberto Caeiro, o adepto da misologia: assim sofreria menos.
    Judite de Sousa enquanto mulher mais influente de Portugal: mas o país está assim tão deficitário de verdadeiros role-models? Credo.

    Bom trabalho, minha querida.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      Sei lá, o que se passa na cabeça dessa gente...

      Beijocas e Shabbat Shalom

      Eliminar
  3. Deus me perdoe mas ri-me a bom rir deste seu artigo, lenny! Olhe, a Judite de Sousa não é o tipo de pessoa que me agrade, não sei há algo nela que me arrepia, mas a Cristina Ferreira é simpática! Ela é tão simpática! Já a outra, chiça que parece que comeu algo e não gostou. O Presidente Marcelo é demasiado beijoqueiro para o meu gosto pessoal mas as pessoas gostam dele, o que havemos de fazer? Deus a abençoe e que este blogue continue a crescer!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Mary Jo!
      Amiga, obrigada :)
      Espero que possamos continuar a rir daqui a 10 anos; yah!

      Beijinhos e bom fim de semana

      Eliminar
  4. E ela ataca de novo!!! Mana, tenho de admitir que tás certa: essa tal de Judite é awamsati wakubiha, ah-ah-ah nadaaaa!! Tive que googlar ela porque não conhecia mas xiii me assustei maningue, pá esse tal clube kitsch não pode photoshopar ela? Pronto, olha Fernado Pessoa ficaria maningue assustado com essa tuga de agora. O que é a Brasileira?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Xawani, wa Carlitos!
      Yah xa biah; vou sugerir que a photoshopem ;)
      A Brasileira é um café emblemático e famoso em Lisboa; podes googlar tem uma história interessante.

      Aquele abraço, resistente de Moza

      Eliminar
  5. Olá meus amores!! Se Fernando Pessoa voltasse, com o que se ganha agora em portugal, ele nem teria casa onde viver! A não ser que ele dormisse com a Judite de Sousa hehehehehehe!!!! Mas algo me diz que tinha melhor gosto do que isso. Não faço comentários ao Presidente porque ainda estou confusa quanto à sua verdadeira função: afinal, ele é o governo ou é uma figura simbólica?

    Salário mínimo €1.000, já!
    Pensão mínima €1.000, já! - Absolutamente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey,hey....!
      Nem casa onde viver nem dinheiro para três bicas por dia.
      No comments quanto a dormidela ;)
      O presidente é um dúbio, entende-se bem com o seu aluno António Costa.

      Salário mínimo €1.000, já
      Pensão mínima €1.000, já

      Shabbat Shalom, sweetie

      Eliminar
  6. Lenny, tás lhe a dar bem! Esta carta é maningue nice. Não conheço essa tal de Judite de Sousa mas vou procurar ela na net; mas conheço o Presidente Marcelo e até acho giro a maneira como ele lida com o povo pois mostra que os politicos são gente e não deuses! Mas compreendo o que queres dizer, lenny! Xii, mana tu deverias escrever colunas de fofocas nas magazines, a sério, és engraçada!!!! Bom fim de semana a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Leila!
      Bem, eu votei nele, mas transformar a presidência numa chungaria não é o mesmo que humanizar o papel do presidente.
      Vou pensar na tua sugestão, vou-me transformar numa fofoqueira inconsequente ;)

      Boa semana de trabalho e aquele abraço, minha resistente de Moza.

      Eliminar
  7. Não tenho comentários a fazer quanto às personalidades apresentadas como os mais influentes de Portugal. Não há mais ninguém? E quem é esta tal Cristina que tem uma revista? É-me tudo tão estranho que tudo o que posso dizer é que será interessante voltar a Portugal no próximo ano...até lá, "deixem-me trabalhar, eu só quero trabalhar"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, CCG!
      Temos: tacanhez e miserabilidade.
      Quanto à Cristina: só sei que é cansativa.
      O quê trabalhas para o conselheiro de estado, Cavaco Silva? ;)

      See you!

      Eliminar
  8. lol Ó lenny, esta carta matou-me a rir. Coitado do Fernando Pessoa, acho que ele ficaria absolutamente chocado com o presente estado da nação lusitana! O império, foi-se; a dignidade lusitana, para o galheto; a identidade portuguesa, em perigo! Como diria a maria joaquina: D*us nos valha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cêcê!
      De*s já nos valeu, mandando Miriam aparecer aos pastorinhos na Cova de Iria.

      Beijocas

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço