Isto Não é Portugal Mas sim uma República das Bananas!


Quem construiu Portugal? Quem lutou por esta nação? Quem paga a maior parte dos impostos em Portugal? Os portugueses sem sombra de dúvida. Contudo, este país foi transformado numa nação terceiro-mundista e corrupta, onde o crescimento económico é astronómico, os impostos são pagos por conta; os hospitais são deploráveis, as escolas a cair de podre, o salário mínimo é execrável (exigimos €1.000), o arrendamento é desenhado a contento de visitantes e residentes de nacionalidades diversas da portuguesa e a um preço incomportável para o comum dos cidadãos nacionais.

Sim, Portugal está a ser alvo de uma guerra socio-económica encetada pela Internacional Socialista, que convenceu meio mundo a vir viver para Portugal, exigindo que o governo socialista concedesse dez (10) anos livres de impostos aos tais expatriados que vêm colocar a Lusitânia no caminho da Bonanza para seus funcionários, associados, amigos, acólitos e criadagem (senhorios e agentes imobiliários) portuguesa.

Sim, o andamento do mercado imobiliário em Portugal é anti-ético; e mesmo assim o povo não protesta; por isso, das duas uma:

  • Ou o povo português tem Robustez de carácter duvidosa
  • Ou o povo português está imbuído pela indiferença selectiva, i.e. “não me toca a mim”.

Detesto Karl Marx. O idiota não soube passar a mensagem e criou uma trapalhada política mais horrenda do que a existente antes do seu Manifesto. Vejam que os que outrora foram trabalhadores ou filhos de trabalhadores transformaram-se em neo-burgueses de esquerda com propriedade urbana imóvel; filiaram-se em Partidos políticos; associaram-se aos políticos e (numa clara demonstração da sua imoralidade) arrogam-se no direito de duplicar as rendas de casa, expulsar inquilinos idosos cumpridores; usar somente linguagem estrangeira nas suas lojecas e botequins, e como se isto não bastasse qualquer um é estalajadeiro local.

Todo este aparato para grotescamente cuspirem nos euros dos portugueses e sem pejo deixarem-se comprar por um qualquer pé rapado estrangeiro que vem a Portugal implementar o seu lava-jacto e quiça incautamente transformar Portugal num santuário de terroristas mascarados de turista simpáticos, bem pagantes que podem ir cometer actos hediondos noutras paragens e vir descansar no seu quartito em Lisboa.

Dizem-me que o presidente da Câmara de Lisboa declarou que a lei do arrendamento não irá mudar mas que se darão uns toques aqui e além: a sério?

Poder-se-á concluir que os políticos são parte integrante deste esquema corrosivo e abjecto?

As Coberturas à Centeno e o Seu Estado de Negação

A minha primita, a tal que é minha informante de eleição, relatou-me que o Ministro da Saúde ao ser interpelado no Hemiciclo de São Bento sobre o estado deplorável da Saúde em Portugal, ao estilo de “Je suis Charlie”,  #MeToo e absurdezas que tais, terá extrapolado e declarado “nós somos Centeno”. Ora quem assim fala não é gago, é simplesmente idiota, se tivermos em conta que Portugal está cativo das cativações de Centeno devido à  tal meta do déficit:

  • Os hospitais portugueses são comparáveis aos de Angola pois morre-se cada vez mais por causas impensáveis em pleno século XXI 
  • As escolas portuguesas são comparavéis às escolas de Angola (chove nas salas de aulas)
  • O reembolso do IRS está a conta gotas
  • Os salários em Portugal são deploráveis 
  • Os impostos indirectos subiram astronomicamente (15%), e por aí fora. 

Este governo, e a sua estrela fúlgida, está a servir-se do básico para pretensamente endireitar as finanças deste país. Tudo bem, pois qualquer família quando experimenta uma crise financeira, primeiro pede ajuda à família e se não é correspondido, corta aqui e ali até eventualmente as contas entrarem nos eixos novamente.

Apreciando a trajectória fiscal do ministro das finanças e, tendo em conta o meu parco conhecimento, acho que os anos que Mário Centeno passou na escola, e posterior doutoramento, foram uma perda de tempo porque o ministro é um nulo sem imaginação e um feroz utilizador de velhas fórmulas que de nada servem senão desgraçar os povos:

  • O emprego aumentou mas aumentaram também os pobres 
  • O déficit é baixo, mas os portugueses vivem de promoções e de produtos à beira da data de expiração.  

As exportações aumentaram assim como aumentaram as angústias dos portugueses com as múltiplas taxas:

  • CAV (taxa de Contribuição Audio-Visual) mais IVA
  • DGEG (taxa de exploração Direcção Geral de Energia e Geologia) mais IVA
  • IEC (Imposto Especial de Consumo de electricidade) mais IVA
  • Pagamento do consumo real da electricidade mais IVA
  • Pagamento da potência mais IVA. 

No gás temos:
  • O consumo real mais IVA
  • Termo tarifário fixo mais IVA
  • TOS (taxa de ocupação de subsolo) mais IVA
  • IECGNC (Imposto Especial de Consumo de Gás Natural e Combustível) mais IVA. 

Na água temos as seguintes taxas:

  • De recursos hídricos, taxa de gestão de resíduos
  • Mais a roubalheira por escalões das águas residuais e dos resíduos sólidos que funcionam como se fossem dois contadores mais além do da água.

E por fim, temos o problema da Ala Pediátrica do Hospital São João que é uma mancha no governo socialista, porque se Passos Coelho lançou a primeira pedra, o governo de António Costa e Mário Centeno assaltaram vergonhosamente o poder mesmo tendo perdido as eleições, por isso o ónus recai sobre o governo socialista e do seu ministro das finanças Mário Centeno, o inverdadeiro e deflector.

Catarina Martins: “Portugal não é uma República de Bananas”

Tenho uma amiga octogenária que sofre de incontinência e tem uma pensão de €464. Devido à sua idade e rendimentos está abrangida pela tarifa social e paga de Água mais ou menos €45 de água, e entre €78 e €90 de luz e gás. Semanalmente, gasta mais ou menos €30 em pensos e cuecas para a sua condição. Entre a sua alimentação e gastos com os transportes para visitar a família, e sem direito ao complemento ao idoso, eu sugeri que pedisse uma ajuda à Segurança Social.

Chegada ao centro de saúde para se candidatar, foi informada de que não tinha direito a essa ajuda por não ser acamada e por ter uma pensão superior a €100. Pois bem, cidadã Catarina Martins, estamos a ser governados por imbecis apoiados por si, que falham em entender que a incontinência urinária é uma condição crónica, logo este país é exactamente uma República das Bananas.

Até para a semana


[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence). © 2009-2018 Autor/a(es/as) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS]

Comentários

  1. Está a ficar impossível viver em portugal, é verdade! Para onde iremos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fugir nunca! Fica-se e luta-se até que se consiga o pretendido: a César o que é de César mas não a delapidação do cidadão pelo estado.

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. Olá Lenny,

    Mas será que está tudo louco em Portugal? Tudo sobe menos os salários. Parece-me que o bom senso dite que os salários tenham de acompanhar o custo de vida, mas se não é assim então os números oficiais (relação salário-inflacção) não são reais.

    Lenny, há que organizar um movimento de protecção ao cidadão porque obviamente a Deco nada está a fazer!

    Bom trabalho, minha linda.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL, LOL; a Deco; carissíma não me faças rir!
      Sim, há que formar uma defesa do consumidor livre de amarras; topas?

      Beijocas, minha linda!

      Eliminar
  3. Escolas e hospitais a cairem de podres? Mas desde quando é que Portugal sofre este tipo de embaraços? Anyway, a mim só me ocorre fazer uma correlação: em 2010, o Presidente da Câmara de Lisboa - António Costa - mantinha as ruas de Lisboa numa desgraça total mas no entanto as contas da câmara andavam bem. Em 2018, o Governo - gerido por António Costa - tem escolas e hospitais kombukelados no país estando, no entanto, as contas do estado super bem, a caminho de um défice abaixo do 1%.
    Qué bien, ¿verdad?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, CCG!
      Verdad, es o desangramiento de políticas sin honor.
      Abrazo, querida

      Eliminar
  4. Xiiii, porquê falar de angola só, mana? Faz aí uma publicidade ao teu país, pá! Em Moza também temos escolas rebentadas e hospitais que metem dó, v'cê nu sabe disso, awamssati? Coitada da tuga, tá mal!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      Va Carlitos, miela pongwé: estou a estudar ;)

      Aquele abraço, resistente de Moza!

      Eliminar
  5. Quando vi o Centeno a culpar o Passos Coelho pelo seu falhanço, juro que vi à minha frente o Prof Passos Coelho a cantar "no eres tú, no eres tú, no eres tú, soy yo...jamás te quise hacer sufrir, es mejor olvidarlo y dejarlo así...¡hechame la culpa!"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Ana, só faltou completar a coisa "solamente te falta un beso, ese beso que siempre te prometi, hechame la culpa" LOL LOL...Mário Centeno não tem vergonha, mesmo. Um abraço

      Eliminar
    2. Olá, Ana!
      Esse tal de Centeno tem três filhos e o exemplo que está a dar aos pequenos é o seguinte: meninos, vale mais a obstinação e a perfídia do que a contrição; perante o embaraço dum erro, sacudam a água do capote e nunca assumam a responsabilidade de forma alguma.
      That's Centeno for you, malicious like bloody hell.
      Um Abraço, amiga!



      Eliminar
  6. É um milagre que nós não nos tenhamos insurgido contra os sucessivos governos por esta negligência crónica que só beneficia os políticos e Cª limitada! Cara amiga, tudo o que nos resta são os beijinhos do Marcelo Rebelo de Sousa mais a sua presidência dos afectos que parece embevecer toda a gente, menos a mim que tenho juízo! Um abraço JP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, João Pedro!
      As taxas e sua sobrevalorização, o pagamento em perpetuidade do transporte do gás e a distribuição de electricidade é os cidadãos deste país. Meu caro, como português não deve resignar-se; ok?
      Olhe não me fale do beijoqueiro, vi-o ao lado do rei espanhol e aquela sua indumentária parecia de um mordomo caduco que serve burgueses falidos num palacete a ruir de podre.

      Aquele abraço, caríssimo!

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço