Brigitte Macron Finalmente Quer Governar França Através de Emmanuel Macron


Definitivamente não entendo o ser humano e, embora adore o conceito de gente, as pessoas têm-me vindo a causar estranheza ao estilo do “Au suivant” de Jacques Brel; porque ultimamente o mundo está envolto numa ambivalência, que dá vontade de reflectir sobre o seguidismo; pois parece-me que este seja o tempo em que os cegos do seguidismo são a força motriz das nações.

Senão vejamos:
  • A fachada do mundo está enfeitada de lambisgóias e marmanjos mercantilistas 
  • A face do mundo são marionetas ideologicamente odientas
  • A faceta dos politicamente indigentes é maioritariamente esquerdista
  • A força dos tumultos mundiais está a soldo de grupos deletérios   

Por conseguinte:
  • O mundo está a abarrotar de líderes que se declaram agnósticos ou que não acreditam na existência de Deus
  • O mundo está repleto de líderes que perigam nações por conveniência 
  • O mundo está cheio de líderes espiritualmente vazios mas que simultaneamente praticam actos de grande humanidade
  • O mundo é prolífero em líderes que contradizem as interpretações das suas contradições

Conclusão

A Marion Anne Perrine Le Pen é racista, xenófoba, extremista e é a mãe de todos os males só porque quer que os imigrantes se ajustem à França dos gauleses ou então que partam para donde vieram.

Marine Le Pen é anti-semita porque sugeriu que os judeus partissem para o seu país de origem: os judeus que tomem nota porque os desígnios de D**s são misteriosos; lembrem-se que foram barbecue na Alemanha e, se bem me lembro, foram avisados do que estava para acontecer mas quiseram convencer-se da sua brancura e da sua aculturação e todos sabem o que se passou. Na passada Segunda-Feira celebrou-se o Dia do Holocausto: os judeus devem deixar-se de tretas e lembrarem-se que D**s escreve direito por linhas tortas.

Marine é extremista porque defende o nacionalismo francês e não quer o seu país islamizado.

Le Pen é o mal porque a esquerda internacional decidiu que assim seja, portanto faz com tal barbaridade seja repetida em todos os meios de comunicação, nas redes sociais e patrocina manifestações um pouco por toda a França, servindo-se dos agitadores profissionais.

O senhor Macron repentinamente transformou-se na coqueluche da cena internacional, ele é considerado moderado, aglutinador e amoroso. Políticos de todos os quadrantes recomendam o voto no homenzinho, políticos do mundo inteiro mesmo não sendo franceses já se vêm a votar pelo Macron. Como convém, Macron é ouro sobre azul, pois é pela União Europeia por vocação, é pelos imigrantes, quer o entendimento entre os cristãos franceses e os muçulmanos, quer uma França unida etc; etc...

Balelas! Eu se fosse francesa não votaria num indivíduo que aos 15 anos foi aliciado pela sua professora (25 anos mais velha) e o bichinho está convencido de que o oposto é o verdadeiro. Não votaria num elemento que escolheu casar com uma senhora coroca apenas porque não teve capacidade, nem habilidade, para lidar com alguém da sua idade. A esquerda internacional unida quer que se vote num cidadão que teima em romantizar uma história sexual sórdida.

Os agitadores mercantilistas, pagos pela esquerda unida, já andam a gritar aos quatro ventos o quão extraordinária é a velhinha do Macron, por detrás de um grande miúdo de 39 anos está uma grande esposa de 64: alarmante!

Uma nota: desde que nos Estados Unidos da América apareceu uma estúpida teoria de que as vacinas causam autismo, tal e qual um rastilho, há pessoas que em Portugal se arrogaram no direito de não vacinar os seus filhos. Povo, se querem seguir tendências quando houver uma epidemia de doenças contagiosas, por favor, peguem nos seus filhos e ide viver nas cavernas e deixem em paz os cidadãos observadores da ética e cumpridores dos seus deveres parentais.

Bom votantes franceses, se o Emmanuel fosse eleito ficaria confirmada a teoria da besta influenciável e seguidista que foi inventada pela esquerda internacional que se diz agnóstica e não crente em D**s, mas no entanto gosta de se armar em toda-poderosa e ubíqua.

Até para a semana


(Imagem: Brigitte Macron e Marido [Ed.] - Google Imagens)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. lol lol Ai, este post está muito engraçado. Mas colocando o humor à parte, eu diria que temos mesmo de desconfiar do Macron e perguntarmo-nos acerca dos seus patrocinadores: quem são eles, e o que querem ao colocar um muppet no poder em França? Atenção, chamo-lhe muppet porque segundo os relatórios o Sr Macron não consegue funcionar sem levar a sua esposa para todas as reuniões - hello! Poderá esta senhora, uma civil, ter acesso a segredos de Estado? Trés dangereux...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, CCG!
      Deve estar a ser patrocinado por algum grupo obscuro e com o apoio de Jacques Attali ex-conselheiro de estado do presidente de Mitterrand.
      Ai, não consegue fazer nada sem a presença da sua Brigitte, como se diz em Moçambique, a devoradora de menores "engarrafou-o" quando o pobrezinho tinha 15 anitos.
      A senhora Macron não terá acesso a nada, porque o seu baby não ganhará as eleições; ponto final.

      Boa semana de trabalho, chérie!

      Eliminar
  2. Quem não vacina os seus filhos expõe o país a ataques terroristas biológicos! Será que ninguém vê isso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      Esses irresponsáveis precisam de uma medida de coação por parte das autoridades.
      A vacinação tem de ser obrigatória; eu vacinei os meus filhos e não nos demos mal.

      Estimámos vê-lo por aqui, obrigada!

      Eliminar
  3. Hehehehe mana, não seria a primeira vez que uma cota usava um puto para chegar ao poder, né? Há várias formas de poder, atenção aí! Acima falaram que ela vai a reuniões com o marido, mas isso é permitido? Aqui na terra não seria. Mas pergunto: como é que ela não foi presa por dormir ou namorar sei lá com um miúdo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      Usar um puto para chegar ao poder de modo legal e ético não faz mal, mas a relação do Emmanuel e da Brigitte está ferida de ilegalidade e de indecência.
      Quem nos garante que essa mulherzinha não terá assaltado mais crianças?
      Tudo é permitido num mundo governado pela libertinagem da esquerda. Não foi presa porque os pais do pequeno Macron acreditaram que transferindo o menino de escola a devassa não o perseguiria mais: enganaram-se redondamente, a polícia teria livrado o miúdo das mãos da predadora Brigitte.

      Aquele abraço, resistente de Moza

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço