Notas: Prisão de José Sócrates & Lei Estado Judaico



#1 Ex-PM Preso
José Sócrates, o ex-primeiro ministro socialista português, foi preso na passada sexta-feira acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão fiscal.
Pela primeira vez, em Portugal, um político de alto nível foi encarcerado – uma prova de que o país está finalmente a mudar e a justiça começa a ser igual para todos.

Ainda que eu devesse estar completamente satisfeita com o facto deste homem (que arruinou Portugal) estar finalmente no cárcere, algo me diz que há muito mais por detrás do que parece ser. Dizem que:

  • Ele, enquanto premier, tinha €20 milhões cuja origem se desconhece (o dinheiro é mesmo dele ou pertencia a outra pessoa?). 
  • Ele, enquanto premier, adquiriu um apartamento de €2.8 milhões, em Paris, para onde se refugiou após a sua demissão do cargo de PM (comprou mesmo o apê ou foi um presente?).

Mas pergunto:

  • Terá ele arrecado a sua fortuna através de favores feitos ao grupo “exclusivo” ao qual pertenceu e, se assim foi, irá ele admiti-lo ou levará com as culpas (da pior maneira possível)?
  • Estará tudo ligado ao Ricardo Salgado (do Banco Espírito Santo, agora caído em desgraça)? 

Não gosto de socialistas; não concordo com as posições tomadas por Sócrates; creio que ele tenha tendências despóticas, mas apesar disso reconheço que ele tinha uma visão para Portugal – mais ou menos como a minha, logo, tenho dificuldades em acreditar que ele tenha sido pouco inteligente. Pronto, ele é vaidoso, arrogante, megalomaníaco, mas burro? Nunca pensei que o fosse.
Então, o que foi que aconteceu neste caso? Eu diria que a Sócrates faltou-lhe o situational awareness – i.e. não estudou bem o meio ambiente no qual pretendia operar.
Resultado: o seu nome está a ser arrastado na lama por pessoas que vivem no seu mundinho simplório. O meu conselho seria que ele entregasse tudo sobre aqueles que com ele participaram na trama.

O mundo está mesmo a mudar.
Que o caso de José Sócrates sirva de exemplo para qualquer indíviduo de alto nível.

#2 Lei do Estado Judaico 
Israel finalmente passou uma lei que dita que Israel é um estado judaico.
Eu apoio esta lei por duas razões:

  1. Como poderá Israel exigir reconhecimento do Estado Judaico a quem quer que seja, se ele próprio não se reconhecer como tal? 
  2. Num período da história em que a Europa pretende encorajar Israel a cometer suicídio e não consegue proteger a judiaria europeia, é importante que saibamos que há uma Nação Judaica, a único no mundo, para onde voltar.  

Os críticos desta lei (e.g. Ministra da Justiça, Tzipi Livni) argumentam que, de algum modo, esta lei irá arruinar o país já que trai a democracia e discrimina contra os cidadãos não-judeus.
O PM Netanyahu, afim de chegar a um compromisso, decidiu que irá amenizar a linguagem da lei e que o Hebraico não será a única língua oficial do Estado Judaico...
Portugal é um país democrático-católico. A língua oficial é o português. Os direitos dos não-católicos e imigrantes estão salvaguardados.
Espanha é um país democrático-católico. A língua oficial é o castelhano. Os direitos dos não-católicos e imigrantes estão salvaguardados.
Itália é um país democrático-católico. A língua oficial é o italiano.  Os direitos dos não-católicos e imigrantes estão salvaguardados.
Grécia é um país democrático-ortodoxo. A língua oficial é o grego. Os direitos dos não-ortodoxos e imigrantes estão salvaguardados.
Brasil é um país democrático-católico. A língua oficial é o portuguese. Os direitos dos não-católicos e imigrantes estão salvaguardados.
Índia é um país democrático-hindú. A língua oficial é o hindi. Os direitos dos não-hindús e imigrantes estão salvaguardados.
Japão é um país democrático-Shintoista. A língua oficial é o japonês. Os direitos dos não-shintoistas e imigrantes estão salvaguardados.
Inglaterra é um país democrático-anglicano. A língua oficial poderá ainda ser o inglês. Os direitos dos não-anglicanos e imigrantes estão salvaguardados.
Et cetera...et cetera...

Por isso, porque é que há-de o Estado Judaico ser diferente? Já mau o suficiente que o mundo queira, mais uma vez, destuir a identidade judaica em Israel, mas ver judeus a quererem o mesmo é pura traição.

Comentários

  1. O que me choca é o PS agora estar-se a dar de ares! Todos clamam a inocência do sócrates, apesar dos factos indicarem o contrário, isto só quer dizer uma coisa, pá: ou estão todos metidos e o partido é o partido da corrupção qualificada, ou querem abafar o caso!
    Que vergonha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana :D!

      lol pois, os camaradas estão todos unidos...

      Obrigada pelo teu comentário, linda :D

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Concordo com a Ana! O PS é uma vergonha a justificar os pecados do sócrates...
    Am Yisrael Chai!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :D!

      Ah pois, ouve: os camaradas apoiam-se sempre e mantêm-se unidos, sempre.

      Obrigada pelo teu comentário :D.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. José Sócrates alegadamente cometeu crimes e está a sofrer as consequências dessas suspeitas, o que há de mal nisso?
    Mas olhem, a diferença entre os partidos de direita e os de esquerda: quando o isaltino foi preso o PSD e CDS consideraram que ele estivesse a pagar pelo seu crime sem escandaleiras; o sócrates é preso por acusações ainda mais graves que as do isaltino e o PS grita que ele está inocente e que o processo mediático é um escândalo!
    Acho que a media até está agir da mesma maneira de sempre, não vejo diferença nenhuma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo :D!

      Exactamente. E quando o Carlos Cruz foi preso: lembra-se do circo que foi? Não me lembro de ninguém dizer coisa alguma na altura, mas enfim. E o pior é que continuo achar que, esse sim, é inocente. Espero que um dia a verdade venha ao de cima.

      Anónimo, muito obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço