A União Europeia, os EUA e a América Latina Patrocinam Terrorismo

David & Golias - Caravaggio

A partir de 1 de Setembro irei fazer uma pausa sobre estes assuntos repugnantes porque vem aí a rentrée política em Portugal e, o primeiro tópico será concerteza a luta pelo poleiro no Partido Socialista.

Última hora: O grupo terrorista ISIS difundiu uma cena horrorosa e macabra, onde se mostra a decapitação do jornalista americano James Foley por um dos seus assassinos, súbdito de Maomé e alegadamente também da Rainha de Inglaterra.
Em todo o mundo, os muçulmanos moderados vieram ruidosamente para as ruas condenar tamanha barbárie...[yeah, right!]

Imagine-se... digo-vos já que não acredito na história dos “moderados”. Este termo foi inventado pelos próprios muçulmanos para se poderem infiltrar nas nossas instituições e depois apunhalar-nos quando lhes fosse mais conveniente. Nem acredito que sejam descendentes de Abraão, nem tão pouco acredito que seja seu o Deus de Abraão, Isaac, Jacob e Moisés, porque como Deus disse em Josué 1:1-6 e em Isaías 43:10 a terra de Israel é herança das tribos de Jacob. Obviamente Deus não voltou aberta e comprovadamente a falar com viva alma, logo os Maometanos ao negarem a Israel (sionistas e todo o resto) o direito à sua terra, estão abertamente a chamar louco ao Deus de Abraão, Isaac, Jacob e Moisés e como Ele menciona outros deuses em Deut 28:14; só posso depreender que os muçulmanos sejam monoteístas que prestam culto a um deus menor.

Lendo o artigo da Max desta semana, concluí que a ambiguidade da classe política mundial quer que a mortandade siga o seu curso selvatica e sanguinariamente pois a guerra é uma engrenagem que quebra a cabeça a uns, ocupa outros e alguns beneficiam: quem?
Por exemplo, os russos são um povo à parte e, o doido do Putin – que já está a descarrilar – sem medo e sem falsos pudores faz tudo que esteja ao seu alcance para preservar a identidade e cultura do seu povo.
Par contre Israel, que tem o planeta inteiro contra si, sem excepções – inclusivé os novos  judenräte i.e. alguma esquerda judaica – anda a brincar com o fogo:  o gabinete do Premier Netanyahu tem de explicar qual é o problema de mandar, simultaneamente, o mundo inteiro às malvas enquanto anexa a Judeia (relativo aos judeus) e a Samaria como partes integrante do território israelita e, re-conquistar Gaza de uma vez por todas para nos poupar ao deplorável espectáculo da destruição devido às provocações do Hamas.
Se comme habituellement, o mundo começar a espernear então: cumpra-se a vontade da classe política vigente, partamos para uma 3ª guerra, após a qual se restabelecerá uma Nova Ordem Mundial.    

Meus caros, não é uma coisa escondida, todos sabemos que o Irão patrocina o Hezbollah e o Hamas; a Árabia Saudita patrocina a quase defunta Al-Qaeda, o Al-Nusra e o Hamas; o Qatar por sua vez também contribui para o Al-Nusra, Hamas e o ISIS. Honestamente? Isto não me choca porque os muçulmanos sempre tiveram em mente o aniquilamento dos judeus.

A América Latina (através da fronteira triplíce: Brasil, Argentina e Paraguai) também patrociona estes grupos terroristas do Médio-Oriente porque permitiu que eles se associassem aos cartéis do tráfico de estupefacientes para financiarem as suas actividades subversivas: fiquei no entanto boquiaberta ao descobrir que os da América Latina são uns católicos retrógados que ainda acreditam que os judeus foram responsáveis pela morte de Jesus – ignorando por completo as pistas dadas pelo próprio Cristo – e logo, usam os muçulmanos como seus testas-de-ferro no ódio pelo judeus. 

A Europa através do seu Mecanismo Pegase patrocina a Fatah (braço político do grupo terrorista OLP - Organização da Libertação da Palestina [pátria natural dos judeus]) - e o Hamas. 
Os Estados Unidos da América também têm a Fatah e por conseguinte o Hamas na sua contabilidade.
Se considerarmos que tanto na Europa assim como nos Estados Unidos da América, a maioria das pessoas são teo-filosoficamente sofisticadas; é um enigma. 

Mas nesta encruzilhada de lutas pelo domínio e influência mundiais, os ocidentais devem arcar com as consequências visto que tendem a fazer dos outros uns estúpidos ou uns distraídos (o século XII não está assim tão distante); por isso, recuso-me a obrigar a minha mente a fingir que lamenta os ferimentos e mortes dos árabes que habitam em Israel, nem tão pouco vou accionar em mim otites, devido à verborreia ensurdecedora do Ocidente, porque se o POTUS Obama anda a insistir para que o Congresso Americano disponibilize fundos para os terroristas árabes na Palestina; e se os funcionários públicos do Hamas são pagos com os impostos dos cidadãos da União Europeia, então porque raio andam todos a fingir consternação com a decapitação do James Foley?

Meus caros vamos a parar com a ilusão, o sangue do senhor Foley está nas mãos do povos europeu e americano, dos pais do decapitado e dos pais dos jihadistas ocidentais, porque nós povo, de tanto nos sentirmos vazios, chutamo-nos diariamente com a histeria dos Media e na hora de votar: ou não exercemos o direito ou então devido ao medo da mudança acobardamo-nos e votamos continuamente nos suspeitos do costume.

Eu, tu, ele, nós, vós e eles seguramos pelos cabelos uma cabeça a pingar sangue porque acabámos de decapitar o James Forley....

Até para a semana!  

Comentários

  1. Ora muito bem...

    Olá Lenny,

    Por onde começar? Concordo que o mundo inteiro seja responsável pela decapitação do jovem Foley.
    Irei mais longe e colocarei as culpas directamente na media e nos nossos políticos cobardes e acéfalos que permitiram que a situação chegasse a este ponto - sim, porque quando se tem gente que defende o Hamas em público (e.g. Ana Gomes) sob a capa de uma falsa preocupação com os árabes da Palestine sem se aperceberem (ou se calhar até se apercebem) de que estarão a validar actos terroristas; quando temos gente que não denuncia em público a violação de 1,400 jovens britânicas por parte de muçulmanos Paquistaneses com medo de serem catalogados de racistas...bem, é passar um cheque em branco a todos os Islamistas...luz verde.

    O mecanismo Pegase e outros programas de ajuda similares são um logro. Eu só gostaria de saber o que é que a UE pensa que está a fazer ali? Porque insiste em financiar aquele conflito? Muito estranho...
    O Brasil, sob o governo petista, só me tem espantado; mas tudo o que tenho a dizer por agora é: oxalá o terrorismo não lhes bata à porta quando o monstro Islamista acabar de crescer no seu território.

    Lenny, bom trabalho. Até para a semana.

    Beijocas e Shabbat Shalom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, Max! Sim, a Ana Gomes e as gentes como ela é que apoiam estes islamistas. E quando ela se orgulhou de ter ido à líbia e ter falado com os revolucionários? Ela deve estar muito orgulhosa do que eles andam por lá a fazer, ai deve deve!

      Eliminar

    2. Olá, Max!

      A história das miúdas na Grã-Bretanha é bizarra: "não quero ser catalogado de racista, por isso vou permitir ao facínora desgraçado que dei guarida, que viole e venda as meninas (desde os onze anos) da minha casa"

      Os políticos desta Era são deploráveis!

      Beijocas

      Eliminar
  2. Infelizmente, é isso mesmo: somos todos responsáveis pelo que aconteceu ao coitado desse jornalista! E provavelmente ele próprio foi responsável porque os jornalistas apoiam essa gente recusando-se a dizer a verdade com a desculpa de não quererem incendiar os espiritos. Tudo mentira!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Carlitos!

      Mas a Media é mesmo salafrária; na CNN chegaram ao cúmulo de dizer que não iriam difundir as imagens da barbárie para não dar visibilidade ao ISIS; no entanto transmitem as escandaleiras e mentiras do Hamas pelo lucro e sensacionalismo a custa de um povo que só se está a defender de ataques indiscriminados dos terroristas do Hamas.

      Este comportamento da Media faz-me lembrar aquele vizinho que quando os seus filhos estão na algazarra estão a brincar, mas quando os filhos dos outros estão a fazer exactamente o mesmo que os seus: os filhos do vizinho estão a perturbar as regras da boa vizinhança.

      Um Abraço!

      Eliminar
  3. Lenny, fiquei devastada ao ver aquele video horrível! Esta gente está me a assustar, palavra de honra que está. Só Deus para nos ajudar, minha amiga, só Deus! Teremos de travar mais umas cruzadas para pôr esta gente no seu devido lugar?
    Mas pronto, estou de volta minha cara. Já estava com saudades de todos aqui!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Maria Joaquina!

      Seja bem-vinda minha amiga!

      Eles são monstruosos, não nego, mas não devemos cair na psicologia do medo; devemos é prepararmo-nos para o combate, porque sabe Deus, um dia destes talvez, um de nós venha a ter um bandido desses, como vizinho, acabadinho de regressar desses países do terror e da morte.

      Este é o tempo de estar alerta e a missão agora é: salvar qualquer confuso que queira converter-se ao islão, e assim aumentaremos o exército dos soldados do "não ao proselitismo islamico"

      Aquele abraço!

      Eliminar
  4. Mas que verão. A menina sabe que nem consegui descansar como deve de ser? Entre os patéticos de Gaza e os mutiladores do Iraque/Síria, venha o diabo e escolha. Não há pachorra! Mas o que mais me choca são os palermas que ainda justificam estes canalhas, lenny. Já não vejo mais notícias, quer dizer já não se pode; e ainda por cima vi o Nuno Rogeiro a fazer a sua pseudo-análise dos acontecimentos e pareceu-me a mesma análise feita nas guerras anteriores, mas o que vem a ser isto? O indivíduo não viu o mesmo que eu e que toda a gente sensata.
    Sim, somos todos responsáveis e que Deus nos perdoe.
    JP

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, JP!

      O Nuno Rogério ainda faz as mesmas análises que fez em 2008; ele e tantos outros ainda não viram que o modo como se travam as guerras é bem diferente de outrora.
      O senhor Rogério diz que Israel perdeu, quando um dos líderes do Hamas, o assassino Mechal diz que o Hamas perdeu porque não conseguiu nenhuma das suas exigências: quem sabe melhor o senhor Rogério ou o Mechal?

      Depois, já reparou que todos os "pandits and panelists" têm sempre, in loco, um judeu amigo ou colega ou idiota que lhes faz as piores análises sobre a situação?

      Mas ver para quê? Há sempre uma ONG "bem reputada" que lhes dirá o que dizer cá fora.

      Quanto ao seu descanso: ninguém é perfeito ;)

      Um abraço e boa semana de trabalho!

      Eliminar
  5. Lenny, já nada me choca. Ainda agora encontrei um individuo, que desde já digo que apagou os comentários da Ana (para o caso dela aparecer), que ainda estava a defender esta gente e a chamar racistas aos israelitas! Pronto...e a união europeia deveria ter vergonha e pergunto-me se não o fará de propósito para aborrecer os judeus em israel?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Carla!

      Apagou? Deve ser um desses incapacitados transversais i.e. uma pseudo macho que não sabe lidar com mulheres brilhantes, porque gostaria de ser como ela e, como não consegue faz esse tipo de baixeza para ser ele somente a parecer inteligente na sua página.

      A União Europeia não tem vergonha: estão as a dançar ao som da balalaica russa, porque não fazem ideia de como lidar com a situação Ukraniano-russa, mas estão cheios de ideias quanto a situação lá longe, em Gaza e em Israel: paradoxo!

      Os judeus e os blacks são pau para toda a obra. Não sabia?

      Beijocas e boa semana de trabalho, minha cara!

      Eliminar
  6. Meus amores! Voltei das férias. Epá, a coisa está ainda mais preta do que eu pensava! A UE não me espanta, os EUA surpreendem-me, a américa latina é uma vergonha...enfim, venham de lá os negros agora a financiar esses gajos!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Hey.....!

      LOL,LOL,LOL,LOL....espera estou com falta de ar.....AHAAHAAHAAH....os negros não têm capacidade para financiar porra nenhuma, mas estão no bolso dos árabes para darem guarida à pessoas recém convertidas e radicalizadas para assim os países islamicos do Golfo aumentarem a sua inflência política global.

      Muitos negros em África fazem parte dos mil milhões e tal de muçulmanos que odeiam os judeus e estão apostados em exterminar uma nação com pouco mais de seis milhões de pessoas, simplesmente porque são judias.

      Os negros primeiro faziam trocas comerciais com os árabes, deixaram estes apanharem alguns sítios em África e, alguns converteram-se ao islão; depois foram colonizados pelos europeus e a maioria foi cristianizada, depois das independências chegaram-se aos russos e chineses que só queriam explorar os recursos naturais em troca de apoio ideológico; quando a ideologia marxista-leninista- maoista se revelou furada e causadora da fome, tendo virado as costas completamente ao Ocidente, os negros deixaram-se comprar por fundações Árabes converteram-se em massa, a troco de 30 dinheiros a pensarem que estavam a lixar o homem branco.

      Agora têm os Boco-haram, os Seleka, os ADF(Allied democratic forces - muçulmanos ugandeses foragidos) no ex-Zaire, os al-shabbab que agora estão literalmente, a fazer a vida negra aos negros.

      Ah... minha linda, os negros desde que se deixaram escravizar (alguns chefes mancomunados com os indianos e os árabes a troco de soldo venderam rivais, inimigos, orfãos e rapazes que lhes fizessem frente), nunca mais tiveram de volta o espírito guerreiro nem o espírito pensante e, agora que são dominados pelo vácum, quem der mais obtém terras, recursos humanos, e carne humana para a servidão em países pouco escrupulosos i.e. muçulmanos.

      Bom, ainda bem que estás de volta e pronta para o combate, porque o Zuma, o Tutu, o continente americano (excepto Canadá), a Árabia, os europeus, os ásiaticos, os do Pacífico, os orientais (excepto o Japão), os neuen-judenräte, os muçulmanos d'África inteira, os odiadores profissionais de Israel, desta vez, não levarão a melhor, pois não farão dos judeus carne para canhão: não desta vez porque tu e eu estamos aqui!

      Beijocas

      Eliminar
    2. Meus Deus...que resposta.
      Só queria fazer uma pequena correcção: Israel tem mais de 8 milhões de cidadãos entre os quais +6 milhões são Judeus, +1 milhão são árabes (não sei se estarão também incluídos os Cristãos de origem 'árabe') e outros. Fora de Israel há outros tantos milhões de Judeus. Mas o espírito das tuas palavras permanece intacto: +1 mil milhões de pessoas querem matar pouco mais de 15 milhões só porque são Judeus - quão Hitleriano é isto?

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço