Vota? Então Aprenda o Jogo dos Favores

Casamento à la Mode de William Hogarth

Se for um eleitor; se estiver a pensar em entrar no mundo da política ou se simplesmente for um politicoólico como eu...este artigo é para si.
Mas se não entender o quão privilegiado é por viver numa democracia (já que não vota); se preferir viver na ilusão de que pode escapar à política ou se simplesmente estiver politicamente sóbrio...este artigo não o interessará.

A política não é fácil. Uma vez que se veja apanhado na teia intrincada da constante estratégia, trama, negociação, comunicação, desinformação, mal-entendidos, traição, ilusão, paranóia e suspeita; terá de aprender rapidamente o nome do jogo: favores.
O eleitorado, à volta do globo, tem estado desencantado com os políticos há décadas. Para este grupo de pessoas, a política é suja e todos os políticos são corruptos - por essa mesma razão estão à espera que o Messias Político chegue e os tire desta pobreza politico-franciscana. Eles querem um ideologista; mas será o suficiente reconhecer as necessidades sociais e aspirações do Povo?
Um ideologista é um político que inspira o povo, que o compreende profundamente, que se compromete a lutar por eles; e que promete fazer de tudo para melhorar a sua vida - um político destes é amado e protegido pelo eleitorado; e é visto como sendo o cofre de todos os sonhos e  esperanças dos seus concidadãos. Que romântico!

Este tipo de político pode ter as melhores das intenções (e muitos são sinceros nas suas acções) mas depois; durante o processo de angariação fundos, de juntar apoios, plantar as sementes de influência e de formar a sua equipa; ele rapidamente se apercebe que a sua ideologia e as suas sinceras preocupações sociais devem ser postas de lado, sob pena de não conseguir chegar onde precisa chegar afim de "mudar o sistema".
Angariar fundos para a campanha política implica prometer X e Y àqueles que passam os cheques. Juntar apoios implica prometer políticas, emprego (a A, B...Z), acesso a eventos sociais etc. Plantar as sementes de influência implica favores implacáveis, tipo "A minha mão lava a tua, se a tua lavar a minha". Formar uma equipa implica certificar-se de que as pessoas que o rodeiam estão sempre contentes (sob pena de virem, um dia, a expôr todos os podres estratégicos).

Se o político tiver a sorte de chegar onde queria; as coisas tornam-se ainda mais enredadas porque as promessas que fez devem agora ser cumpridas (e na maior parte das vezes em detrimento daqueles que o elegeram e, em detrimento de si mesmo). Quando se atinge este ponto, a ideologia tem de ser cuidadosamente revista em face dos interesses daqueles que investiram nele; senão, todos os seus passos políticos poderão vir a ser empatados ou mesmo bloqueados, devido à sua "ingratidão". Não, a política não é mesmo fácil e é por isso que os políticos são como os cientistas: entram para o poder de cabelo escuro e saem de lá de cabelos brancos.

Se for um eleitor; se estiver a pensar em entrar no mundo da política ou se simplesmente for um politicoólico como eu...tentará compreender quem rodeia os candidatos políticos; quem está por detrás deles; quem trabalha com e para eles; quem os financia e quem está ligado a eles, antes de votar porque ao eleger um político também estará a eleger o seu entourage e os interesses deste.

Comentários

  1. Oi Max,
    Por aqui esta crescendo uma onda de desanimo, nas ultimas eleições tenho votado no menos pior, ou voto para que outro ( que seria o caos) nao vencer, isto e o fim! Nao acha?
    A política, o discurso , já nao existe mais!
    Eles nem se dão ao trabalho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Dri :D!

      Infelizmente chegámos a este ponto. Já lá vão os tempos em que a política era interessante, em que o debate desafiava o intelecto etc. Hoje, só de pensar em eleições as pessoas já ficam cansadas - já não há aquela antecipação...nada.

      Não se dão ao trabalho mesmo.

      Dri, minha linda, obrigada pelo teu comentário :D. Adorei.

      Beijos

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço