O Retorno do Mahdi: o Messias Islâmico

Paisagem com Túmulo, Caixão e Coruja de Caspar David Friedrich

O Mahdi (o Guiado por Deus) é o tão profetizado redentor Islâmico que governará antes do Dia do Juízo Final e, que livrará o mundo da malvadez, da injustiça e da tirania com a ajuda de Jesus. Ele será um homem comum da linhagem de Maomé:

“O mundo não terminará até que os Árabes sejam governados por um homem da minha família, cujo nome seja o mesmo que o meu e, cujo pai tenha o mesmo nome que o meu pai” (Profeta Maomé)

Os Estudiosos Islâmicos modernos parecem rejeitar esta doutrina, tendo Allama Muhammad Iqbal dito:

“Penso que o conceito do Mahdi, do Masih e do Mujjadid sejam percepções unicamente Iranianas e Ajmi. Este conceito não tem qualquer ligação com o Qur'an, o Islão e as percepções Árabicas.” 

Mesmo assim, vamo-nos concentrar na doutrina Shia que acredita que o Mahdi seja uma ideia religiosa central e poderosa. Os Shiitas parecem acreditar veramente que o redentor virá e que alguns sinais interessantes anunciarão a sua chegada:

  • Um grande conflito na terra da Síria, até que esta seja destruída. 
  • Morte e medo que irão atingir o Povo de Bagdade e do Iraque. Um fogo aparecerá no céu e o vermelho cobri-los-á.  

O Presidente Ahmadinejad é um crente ferveroso na vinda do Mahdi. Ele acredita que a Revolução Iraniana pavimentou o caminho para o seu retorno e que o processo poderá ser apressado através de uma Guerra Nuclear (daí a urgência em desenvolver um Programa Nuclear para fins não-pacíficos).
Isto poderá levar-nos a questionar se o Irão terá tido a coragem de patrocinar o caos na Síria (como faz no Iraque) para poder apressar a vinda do Messias Islâmico...realmente, a política e a religião a caminharem lado a lado, de mãos dadas, pode muito bem turvar a razão.

O que é mais curioso é que a aparente crença de que para se proporcionar a vinda daquele que é Guiado por Deus, alguns Muçulmanos "pensem" que a violência e a destruição sejam a melhor maneira para acelerar o processo.
Esta percepção conduz-nos para um ponto de vista completamente antitético, a do Judaísmo Hassídico, que acredita que para acelerar a vinda do Mashiach (o Ungido, o Messias, o Masih [traduzido pelos Gregos como Khristós]) os Judeus têm que aumentar os actos de bondade.

Eu tenho uma imagem do que o Mahdi devesse ser: um Ser Humano muito inteligente e racional, sobre quem recai o espírito de Allah, que guiará os Muçulmanos em direcção à Luz (afastando-os, assim, das trevas que são o ódio, a violência, a guerra e a destruição) e pavimentará o caminho para uma interacção pacífica entre os Muçulmanos, Judeus, Cristãos, Hindús, Budistas, Místicos etc em qualquer parte do mundo. Pela mão do Mahdi, será atribuído mais poder às mulheres Muçulmanas e o seu estatuto aumentará. Com o Mahdi, o Islão significará mesmo Salam (Paz).
Na minha humilde opinião, para apressar a sua vinda tudo o que os Muçulmanos deveriam fazer era acordar e fazer uso da Razão Constructiva em vez das Emoções Destrutivas, chegar a um consenso e fazer reformas para o Bem.

Comentários

  1. Já foi relembrado ao mundo a existência do super e supra islam.
    Deus Verdadeiro está vivo e as suas boas letras palavras livros e bibliotecas são infinitas e inesgotáveis.
    Deus É Grande!

    ResponderEliminar
  2. Que a Paz esteja consigo, Anónimo :D!

    "Já foi relembrado ao mundo a existência do super e supra islam."

    Pedir-lhe-ia que elaborasse melhor o seu pensamento para que aprendêssemos um pouco mais consigo...

    "Deus Verdadeiro está vivo e as suas boas letras palavras livros e bibliotecas são infinitas e inesgotáveis."

    Só há um Deus, não?

    "Deus É Grande!"

    Amén!

    Anónimo, obrigada pelo seu comentário. Volte sempre para partilhar a sua sabedoria connosco :D.

    Um abraço de Paz

    ResponderEliminar
  3. No islam, Deus não está no mundo nem nas pessoas.
    Mas para os super e supra muçulmanos, O Bom Divino está na realidade, no mundo e nas pessoas e para além disso.
    Um super muçulmano vê mais que um muçulmano e vê apara além do que eles vêm.

    Estes temas são interessantes.
    Mas estamos limitados pela linguagem humana.
    Podemos argumentar que se Deus tb está para além da realidade, então não faz sentido dizer que é singular ou plural, pois que é inumerável e imensurável.
    Ser religioso tb é questionar o que se sabe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo,

      "Mas para os super e supra muçulmanos, O Bom Divino está na realidade, no mundo e nas pessoas e para além disso.
      Um super muçulmano vê mais que um muçulmano e vê apara além do que eles vêm."

      A minha crença vai de encontro à dos super e supra Muçulmanos, então.

      "Estes temas são interessantes."

      São super interessantes e tornam-se ainda mais interessantes quando pessoas de crenças diferentes trazem a sua sabedoria para um debate saudável.

      "Mas estamos limitados pela linguagem humana.
      Podemos argumentar que se Deus tb está para além da realidade, então não faz sentido dizer que é singular ou plural, pois que é inumerável e imensurável."

      Acredito que não haja limites para a linguagem humana; temos é de ser criativos o suficiente para passar a mensagem; e, também acredito que Deus seja as duas coisas: singular e plural (dependendo da forma sob a qual se manifesta).

      "Ser religioso tb é questionar o que se sabe."

      Concordo.

      Anónimo, muito obrigada (mesmo) por esta conversa tão agradável. Espero que volte mais vezes e dialogue connosco :D.

      Um abraço

      Eliminar
  4. Mas bah, guria.
    Como cristão vivo as palavras de Jesus Cristo; Fé, Esperança e Caridade...
    Lamento que judeus e mulçumanos estajam condenados a viver a espera Daquele que já esteve aqui e que um dia voltará...
    Abração e muita paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Diler :D!

      "Lamento que judeus e mulçumanos estajam condenados a viver a espera Daquele que já esteve aqui e que um dia voltará.."

      Bem, como Cristão já deves ter lido o Livro de Isaías (que fala explicitamente do 1º e do 2ºPlano de Deus: sendo o 1º Jesus [o que iria morrer na cruz] e o 2º o Mashiach [que iria reinar sobre Israel e unir as 12 tribos - relembro-te que Jesus afirmou ter vindo "não para unir, mas sim para dividir"]). Alguns muçulmanos (neste caso os Ahmaddiyya) dizem que o Mahdi e Jesus são uma só pessoa e que a segunda vinda já aconteceu no século XIX. Tendo isto em conta, também poderíamos dizer que é lamentável que os Cristãos fiquem à espera de uma segunda vinda de Cristo, que já ocorreu (ou que nunca venha a ocorrer)...

      Diler, obrigada pelo teu super comentário (aprecio uma boa polémica) :D.

      Um abração e paz, meu amigo.

      Eliminar
  5. Este mundo jas do maligno. Se queremos alcançar a Deus, devemos seguir O Caminho(Jesus). Ele voltará, mas não para dar uma continuação a este mundo, e sim, mudar. Quando o príncipe das trevas e seus seguidores forem aprisionados. E habitarão aqui apenas os que se separarão das concupiscências da carne, que aceitaram a mensagem de Deus e se arrependeram de seus pecados, pois Deus é justo. Acha que as pessoas ruins deste mundo, que escolherão as trevas, devem conviver em um Reino aqui nesta terra junto com as pessoas separadas(santas)? As trevas e a luz não se combinam. Sendo assim, aquele que vier, e "dominar" este mundo, com as pessoas ruins daqui, não será Guidado por Deus, e sim pelas trevas. Pregando que aqui é o paraíso, que as crenças são as mesmas, que não há certo e errado.
    Jesus é o Salvador!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Davi :D!

      Muito obrigada pelas suas palavras. Afirmou que a Luz e as Trevas não combinam, mas de certo concordará que as duas criam um equilibrio, certo?

      Davi, é sempre bem-vindo no nosso espaço. Espero que regresse mais vezes :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço