Maxiavelli: Terror em Toulouse

Excalibur (in 2 Clicks Swords)

Logo quando pensávamos que o sol brilhava de novo, a núvem do terror voltou a pairar sobre a Europa.

No dia 11 de Março, em Montauban, o primeiro cidadão Francês (um soldado) foi morto num encontro marcado para a venda da sua scooter.
No dia 15 de Março, num centro comercial em Toulouse, dois cidadãos Franceses (paraquedistas) foi mortos a tiro e, um terceiro cidadão (também um paraquedista) foi deixado em coma.
No dia 19 de Março, também em Toulouse, uma Escola Judaica Francesa (Ozar Hatorah) foi atacada tendo sido mortos 3 crianças e um Rabino.

Todas as vítimas representavam minorias (três soldados eram descedentes de Norte  Africanos, o paraquedista em coma é descendente de Caribenhos e, as quatro últimas vítimas eram Judias). Posto isto, a polícia pensou de imediato que os assassinos pertencessem a grupos da Extrema-Direita (já que ultimamente têm andado um pouco activos, em França). Algumas pessoas, especialmente na web, sugeriram que os autores dos crimes fossem Islamistas e, logo, foram acusados de racismo.
48 horas depois saíu a informação que a maioria mais temia: os ataques foram perpetrados por Mohammed Merah, um cidadão Francês com ligações a Forsane Alizza (Cavaleiros do Orgulho) – um grupo Islamista banido por França, no mês passado.

Este crimes têm algumas implicações:
  • Politíca: oferecer uma certa vantagem xenófoba ao partido nacionalista (Front National), apesar da líder do partido, Marine Le Pen (candidata presidencial), ter evitado qualquer retórica extremista, em público. Este evento também força a França a re-avaliar as suas políticas de negócios estrangeiros em relação a Israel e à causa Palestiniana.
  • Segurança Nacional: a França tem um historial negativo em relação aos seus cidadãos Muçulmanos. Este acontecimento poderá trazer esse período negro de volta, particularmente agora que o Alerta Escarlate foi activado (o mais alto nível de ameaça do Vigipirate) querendo isto dizer que “estão autorizadas medidas que são altamente prejudiciais à sociedade civil”. Também poderá provocar mais descontentamento em relação às comunidades Muçulmanas na Europa e, dar luz verde às actividades da Extrema Direita por toda a Europa.
  • Social: os Muçulmanos moderados estão a ser colocados numa posição muito difícil pelos membros radicais das suas comunidades, que claramente não hesitam em assassinar/sacrificar um dos seus para defender a sua causa política.
  • Religiosa: pode levantar questões sobre a possibilidade de se travar uma batalha dos cruzados do século XXI ou não; e, resultar em estratégias religioso-políticas perigosas.  
 No mesmo dia que crianças Judias, e um Rabino, foram assassinados em nome da Causa Palestiniana, o Hamas – um grupo terrorista – estava para ser recebido de braços abertos em Geneva (pelo Conselho dos Direitos Humanos da ONU). Pensar-se-ia que um crime de ódio ocorrido ás 07:55 fosse motivo suficiente para que o UNHRC se escusasse de anfitriar Ismail Al-Ashqai; mas não. Só depois de Israel apresentar argumentos que explicassem por que é que o representante do Hamas não deveria ser recebido, é que o orgão da ONU cancelou a visita.
Isto remete-nos para a História recente: o Mufti de Jerusalém encontrou-se com Hitler enquanto Judeus estavam a ser exterminados. A Europa nunca aprende!

E pensar que os Europeus se acham tão superiores aos EUA, tendo a lata de os acusarem de serem paranóicos e racistas (no que toca aos Islamismo); pois bem, parece que a sua paranóia é bem fundamentada e que eles respeitam mais os seus Judeus que a Europa.

Comentários

  1. O assassino pode até não ter ligação com nada e ser simplesmente um psicopata, causando todo um aumento da discordia entre nações. Fiquei sabendo que ele enviou um vídeo à sede do canal Al-Jazeera, para se promover, virar notícia, ser famoso?
    Temo pelos inocentes!! Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luma :D!

      "O assassino pode até não ter ligação com nada e ser simplesmente um psicopata, causando todo um aumento da discordia entre nações."

      Pois, essa é a resposta romântica da elite de esquerda Francesa. Mas não, o rapaz esteve no Afeganistão, onde recebeu treino; antes disso esteve na Samária e na Judeia em 2010 (agora estão a ver por onde ele andou na altura) e mocito estava ligado à Forsane Alizza (Cavaleiros do Orgulho, um grupo radical Islâmico).

      "Fiquei sabendo que ele enviou um vídeo à sede do canal Al-Jazeera, para se promover, virar notícia, ser famoso?"

      Dizem que não foi ele pela maneira como as imagens foram editadas. Estão a investigar a assinatura da edição. Mas não era para se promover porque para isso colocaria as imagens no youtube. A intenção do envio era mesmo para disseminar a mensagem já que o video continha citações do Al-Qur'an e otras cositas más. Se o governo Francês não tivesse ameaçado as estações de televisão talvez a Al-Jazeera tivesse passado o video...

      "Temo pelos inocentes!!"

      Tememos todos, minha cara; tememos todos.

      Luma muito obrigada pelo teu comentário :D.

      Beijoss

      Eliminar
  2. Mas bah, guria.
    Estremistas de toda ordem serão nossos fantasmas neste século.
    É justo nós, cidadãos comuns, temermos esses ataques, por outro lado nossas autoridades não podem se deixar intimidar...Atacar gente inocente é crime, é terror, é qualquer coisa, menos fato político e assim deve ser tratado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Diler :D!

      É verdade, os extremistas são os fantasmas do nosso século.
      Concordo: as forças de segurança não se devem deixar intimidar e devem estar sempre alertas.

      Diler, obrigada pelo teu super comentário. Já estava com saudades :D.

      Um abraço

      Eliminar
  3. Enquanto eu lia seu texto, muito bem explicativo, diga-se de passagem, eu fazia uma retrospectiva história do homem, desde o paleolítico, quando descobriram e dominaram o fogo, e usaram a seu favor, inclusive para fundir o bronze e fazer armas, e desde então há sempre a dominação do homem pelo homem ("sejamos o lobo do lobo do homem"); depois os assírios "os povos mais violentos" da história da humanidade, continuei passeando pela História, e nem quero falar sobre todas as formas de dominação e preconceito; cheguei nas Cruzadas, "guerras santas"? Isso faz-me rir...
    Daí para outros absurdos foi só o tempo cronológico. Uma história que todos conhecemos, feita em cima de sangue, dor, violência, cerceamento de liberdades, e outras insanidades mais, Mas por que ainda me surpreendo com as atitudes humanas??

    Beijo, Max, estou de volta, espero!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi CB :D!

      É isso mesmo: infelismente o homem aprende muito pouco com a sua história. É incrível como a sua memória é curta (mesmo lendo e estudando o passado da humanidade).

      "(...) cheguei nas Cruzadas, "guerras santas"? Isso faz-me rir..."

      É curioso, não é?

      Querida, muito obrigada pelo teu comentário fantástico :D.
      E fico feliz por estares de volta.

      Beijosss

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço