A Morte da Língua Portuguesa: tu Vistes, tu fostes...


Acho agradável, por vezes, sair por aí e ouvir os meus con-cidadãos a falar. Reparei que há um erro comum, em Portugal - há pessoas que trocam a 2ª pessoa do singular e do plural, do Pretérito Perfeito.

Enquanto falava com uma pessoa amiga, fui alvo da seguinte pergunta:

"Vistes o casamento do Alberto do Mónaco?"

Olhei para os lados para ver se estaria alguém atrás de mim; mas não, era eu a única receptora das palavras daquela pessoa.

Um amigo meu, veio-me buscar para irmos a Lisboa e, disse-me:

"Já fostes ao Oceanário? Os teus sobrinhos iriam adorar!"

Lá respondi; mas fiquei a matutar se seria comum este erro. 
Depois de muito perambular pela capital Portuguesa, cheguei à conclusão que, em Portugal, é "normal" cometer este erro. 

Façamos uma pequena revisão da conjugação do Pretérito Perfeito:

Eu vi [fui]
Tu viste [foste]
Ele viu [foi]
Nós vimos [fomos]
Vós vistes [fostes]
Eles Viram [foram]

Se nos dirigimos a 1 pessoa (próxima, íntima), no passado, usamos a 2ª pessoa do Singular do Pretérito Perfeito.
Se nos dirigimos a mais de 1 pessoa, no passado, podemos usar a 2ª pessoa do Plural do Pretérito Perfeito. 

E vocês, já alguma vez ouviram alguém proferir este erro?

Assalto XXIII

Comentários

  1. Max, é um equívoco comum no Brasil também. Em algumas regiões usam o tratamento exatamente da forma aqui pontuada por ti.

    Beijos, querida!

    ResponderEliminar
  2. Oi CB :D!

    Obrigada pelo teu comentário :D.

    Beijoss

    ResponderEliminar
  3. Aqui em São Luís do Maranhão, também é comum usar o tu fostes, tu vistes, mas a utilização soa meio poético mesmo que seja errado.

    ResponderEliminar
  4. Oi Bira :D!

    Um erro poético? Tá certo, compreendo o que queres dizer.

    Muito obrigada pelo comentário e volta sempre :D.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. No Pará também cometem esse erro!
    Muito bom o seu post! Adorei.


    Abração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sílvia :D!

      Parece ser um erro mais comum do que eu pensava :).

      Sílvia, muito obrigada pelo teu comentário e, espero que voltes mais vezes ao Etnias :D.

      Um abraço

      Eliminar
  6. Já não "postas" (conheces esse verbo, também já é comum cá no Brasil) nada em teu blogue? Gostava de ler mais das tuas tão sagazes observações. Também sou desses que gosta de ouvir falar a gente e notar como pronunciam, como articulam, etc. E acho lindo quando vejo "erros" comuns deste lado do oceano serem também comuns do lado de lá. Eles sugerem que, talvez, o erro seja da regra - ora, se tanta gente diz "a gente fazemos", talvez o certo mesmo fosse dizer assim!
    E já que estás em Portugal, tens contato com gente galega? Acho que deveríamos incluí-los na lusofonia!

    ResponderEliminar
  7. Olá Bruno :D!

    Como assim "já não postas nada em teu blogue"? Se te referes à série Morte da Língua Portuguesa, devo responder que o projecto está momentaneamente em pausa: tenho andado pelo estrangeiro, pelo que me fica um pouco difícil controlar as façanhas e tropeços da língua Portuguesa.
    Mas de resto estamos por aqui todas as terças-feiras (que é quando saem os artigos), sem falta :D!

    "Gostava de ler mais das tuas tão sagazes observações"

    Junta-te nós todas as semanas! Como disse, saem artigos todas as terças.

    "Eles sugerem que, talvez, o erro seja da regra - ora, se tanta gente diz "a gente fazemos", talvez o certo mesmo fosse dizer assim!"

    lol compreendo o que dizes, embora discorde.

    A minha base é Portugal, mas agora tenho andado por fora. E não, não tenho contacto com galegos (por agora). Mas concordo que os devessemos incluir na Lusofonia :D.

    Bruno, adorei o teu comentário: muito obrigada :D. E já sabes, volta sempre.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Oi Max, é bem interessante esse blog mas em relação a isso creio que não existe erro algum, a lingua existe dessa forma mesmo que a gramática nos mostre a regra dessa forma, não é somente em Portugal que se fala assim, em boa parte dos países onde o Português é usado se fala assim mesmo na escola; creio que nunca ouvi e nunca ouvirei alguém falando "vós vistes" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo :D!

      Obrigada. Bem, se a gramática (que é a Lei de qualquer Língua) diz que se deve falar de determinada maneira e, as pessoas quebram a lei gramatical (seja por ignorância ou por conveniência) dita o princípio do respeito pelas regras e leis, que essas pessoas estejam erradas.

      LOL Bem, sugiro então que vá à cidade do Porto (Norte de Portugal): lá, ainda falam "vós vistes", "vós sabeis", "vós sois" e por aí adiante :).

      Anónimo, muito obrigada pelo seu comentário :D. Volte sempre.

      Um abraço

      Eliminar
  9. Bom dia,muito bem observado da tua parte :)
    Aqui onde eu moro (cidade de Porto Alegre,no sul do Brasil),um erro comum do povo é falar na segunda pessoa do singular e conjugar o verbo na terceira(exemplo no presente:tu tem dinheiro?),onde tu moras acontece isso também ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Guilherme :D!

      Obrigada. Em Portugal algumas pessoas têm este hábito de usar a segunda pessoa do singular e conjugar o verbo na segunda pessoa do plural; mas nunca ouvi nenhum falar do modo que indicaste...

      Guilherme, muito obrigada pela visita e comentário. Adorei :D.
      Volte sempre.

      Um abraço

      Eliminar
  10. Que morte nada, mas uma natural mudança como acontece com tudo o que é vivo.....oxe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Elzelias :D!

      Concordaria se fosse uma natural mudança para melhor (i.e. evolução) e não para pior (i.e. regressão).

      Obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar
  11. conjugação dos preguiçosos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo :D!

      Obrigada pelo seu comentário.

      Um abraço

      Eliminar
  12. Infelizmente já ouvi e muitas vezes. É um erro comum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :D!

      Pois é...
      Obrigada pelo teu comentário (já posso tratar-te por tu?).

      Beijinhos

      Eliminar
  13. Não vejo como erro!
    Cada estado tem sua forma de falar !!
    Saber qual e o correto ? Ninguém sabe .
    Se em Portugal falam assim , então esta correto já que a língua portuguesa e deles..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo :D!

      A gramática é só uma. Agora, na forma oral as pessoas poderão por vezes dobrar as regras (tal como inventar palavras que não existem tradiconalmente, fazer uso de estrangeirismos, criar novas palavras a partir destes etc), mas a conjugação de verbos é sagrada e a concordância é tudo.
      Obrigada pelo seu comentário :D.

      Cumprimentos

      Eliminar
  14. No Brasil, onde podemos dizer, que é uma unidade na diversidade, haja vista que um "falante" da "lusa-mãe" é bem compreendido (pelo menos no falar) de uma vila, no Caburaí (ponto extemo do Norte) ao Arroio Chuí (ponto extremo do Sul). Mas, temos "expressões": em Pernambuco, o "vice" (você viu?), o "ó pá i" (olhem só para isso), entre tantas; no Pará, "égua" (uma expressão que traduz inúmeras situações). Isso, resumidamente, porque teríamos vários dicionários de carioquês, paulistanês, pernambuquês, paraensês, gauchês, e, ainda os falares de cada cidade, a exemplo do pessoal de Florianópolis ("o manezinho da ilha), muitas vezes quase incompreensível. Temos na antiga capital brasileira uma diversidade de regioletos, a exemplo de quem fala em Campo Grande (bairro carioca), encontram-se diferenças linguísticas àquele que fala na Pavuna.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anónimo :D!

      Qualquer país é uma unidade na diversidade, especialmente hoje em dia. E o mesmo se aplica na área dos regionalismos de qualquer país; mas isso não altera o facto de se exigir o respeito pela gramática, pelas regras da língua, particularmente na conjugação dos verbos (porque é disso que este post trata).

      Mas já que abordou o regionalismo, uma coisa é a comunicação oral, outra coisa é a comunicação escrita: os regionalismo nem sempre são bem-vindos nesta última. Inclusivé, há pessoas cujo CV foi recusado por causa desse detalhe.

      Obrigada pelo seu comentário. E volte sempre.

      Eliminar
  15. Sim. Reforçando o comentário do amigo Guilherme Alves de Porto Alegre sobre a conjugação errônia do verbo na 3a pessoa do singular do presente do indicativo ao invés da 2a pessoa do singular. É comum em diversas regiões e está definitivamente matando a Lingua Portuguesa. A ponto de ouvirmos jornalistas, apresentadores e até professores - pasmem - falando "você fez", ao invés de "você fizeste". Ficou tão comum que já está ficando estranho quem conjuga o verbo no tempo certo (2a. pessoa do singular).

    ResponderEliminar
  16. Não sabia que no português, esse erro também existia. Eu falo espanhol, e este erro também é "normal", mas a diferença é que no espanhol, não serve nem para o tú, nem para o vosotros (vós em portugués). Seria assim:

    Yo vi [fui]

    Tú viste [fuiste]

    Él vio [fue]

    Nosotros vimos [fuimos]

    Vosotros visteis [fuisteis]

    Ellos vieron [fueron]

    Porém, tem gente que diz tú "vistes" ["fuistes"] que é inventado porque o verbo está mal conjugado. É horrível quando tenho que ler isso e pior escutá-lo. Em espanhol, ou viste ou visteis mas não "vistes" (o mesmo com os outros verbos). Em português, ou tu viste ou vós vistes mas não "tu vistes" (o mesmo com os outros verbos). Cuprimentos.

    ResponderEliminar
  17. Sou de São Luís, Maranhão, Brasil, e aqui, no século passado, conjugava-se na segunda pessoa tal qual especificado na gramática normativa, tanto que em algumas famílias aqui da capital maranhense ainda é possível verificar isto. Mas, com as constantes migrações de pessoas de outras cidades do interior do estado, de outros estados e a crescente globalização das mídias tem-se utilizado um falar característico do restante do Brasil, o uso crescente do pronome você concomitantemente com o tu, só que agora com o verbo conjugado na terceira pessoa do singular. É uma tendência brasileira. Como aqui utiliza-se ainda bastante o tu, eu tenho dado preferência a sua utilização com o verbo na segunda pessoa do singular. A língua portuguesa é um de nossos maiores patrimônios culturais, devemos zelar por aquilo que é nosso. Nosso imenso país tem sua identidade, na América, em grande parte, garantida por nosso expressivo idioma. O português é a língua materna do Brasil, e como somos a maioria dos lusófonos, deveríamos em parceria com outros países de língua portuguesa, resgatar os valores de nosso belíssimo idioma. Nossa língua, juntamente com outros valores culturais, nos dá essa identidade brasílica. Somos, com Portugal, Angola, Moçambique e outros lusófonos os perpetuadores deste idioma no mundo. Por nossa causa o mundo pode apreciar a beleza, riqueza e nuances de nossa querida língua portuguesa. Por isso, imensamente apaixonado por nossa língua, tento resgatar seus valores normativos, considerando, é claro, a dinâmica de sua evolução.

    ResponderEliminar
  18. Na verdade não há erro algum. Em Portugal usa-se o "vós", logo, ele está apenas implícito nas frases que vós dissestes.

    "(Vós) vistes o casamento do Alberto do Mónaco?"

    "(Vós) já fostes ao Oceanário? Os teus sobrinhos iriam adorar!"

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço