O Dom do Sofrimento


“Melhor é a tristeza do que o riso, porque, com a tristeza do rosto se faz melhor o coração” (O Pregador 7:3)

O que quis dizer o Pregador com estas palavras?
Ele quis explicar que quando sofrem, os humanos tendem a olhar para dentro de si. A tendência é virar-se para si e analisar o seu comportamento; a sua reacção às vicissitudes da vida e o que pode ser feito para escapar a este estado mental desagradável. A partir desta auto-análise carrega-se no botão de fast-forward e, logo, o pensamento é transportado para questões mais preeminentes: quem sou eu? Porque estou aqui? Para onde vou?
Através do sofrimento pode-se atingir a Iluminação (a Verdade). E isto é certamente um dom.

Buda disse que tudo era sofrimento. É inescapável: nascemos a sofrer (choro) e no meio do sofrimento (dores das contracções); crescemos e desenvolvemo-nos em sofrimento (as nossas necessidades, desejos e consequentes disapontamentos); como adultos sofremos e falecemos com dôr (apego, desilusão e agarrar-se à vida). 
A filosofia Budista sugere que acabar com o sofrimento levará ao alcance da verdade acerda de todas as coisas; contudo como o sofrimento é inacabável, eu diria que seguir a Via Óctupla leva um indivíduo a virar-se para dentro, a confrontar-se com o seu verdadeiro Eu e, assim, atingir a Verdade.
A Sabedoria (a Visão e Intenção Correctas), a Conduta Ética (o Discurso, Acção & o Viver Correctos) e o Desenvolvimento Mental (o Esforço, Atenção e Concentração [atingida através da meditação] Correctos) não representam um meio para a libertação do sofrimento, mas sim um instrumento vital para enfrentar e lidar com esta inevitabilidade.

O sofrimento molda o carácter se se fizer a escolha certa ao experienciá-lo: devemo-nos render a ele e abrir a porta à auto-comiseração e victimização; ou devemos agarrar o sofrimento pelos cornos, lutar, derrotá-lo e continuar a andar?

As pessoas é que decidem se o sofrimento é um dom ou uma maldição.

O LS partilha o seu Dom do Sofrimento: Aqui (Inglês)

Comentários

  1. Mas bah, Max.
    Como cristão, vos digo:
    "As coisas acontecem na hora certa..
    Exatamente quando devem acontecer!
    Momentos felizes, louve a Deus.
    Momentos difíceis, busque a Deus.
    Momentos silenciosos, adore a Deus.
    Momentos dolorosos, confie em Deus.
    Cada momento, agradeça a Deus. "
    É na Fé, cara amiga, que encontro minhas respostas...
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço