Off-Shores da Esquerda Internacional: Comissão Trilateral, Illuminati, Bilderberg e Cª



Illuminati, Maçonaria, Bilderberg, Rothschild, Trilateral Commission e seus respectivos Think Tanks: são grupos originados por pessoas que se julgam capazes de executar uma miríade de acções espectaculares. Não vou fazer a resenha de cada um dos grupos aqui descritos, os caros leitores podem ir ao Google e informarem-se acerca dos mesmos. Estas organizações são supostamente constituídas por pessoas que se designam a si próprios de elites, não obstante, que terá este crème de la crème feito de palpável que comprove a sua grandiosidade?

Enquanto o mundo finge que está assombrado com a eleição do senhor Donald Trump, em Portugal decorreu um gathering no qual participaram o presidente da Câmara de Lisboa, ex-governantes, a classe empresarial, banqueiros, convidados de vária ordem e o primeiro ministro franco-goês António Costa – gente com excesso de tempo nas mãos. O encontro foi patrocinado pela Trilateral Commission, no qual presumo que se tenha analisado o andamento sócio-político e económico dos cinco continentes, menos o africano.

As manifestações organizadas pelas elites são sempre contraproducentes e de uma clamorosa perda de tempo, senão vejamos: a especialidade do Trilateral Commission são os negócios, contudo estes seres pensantes deixaram ocorrer a crise de 2008.

Se se é especialista da peculiaridade dos mercados e complexidade do dinheiro; se se é a elite – o topo – do entendimento das duas características atrás referenciadas; se se passam 24 horas em gabinetes impenetráveis a analisar as movimentações do capital; como foi possível que ninguém no Trilateral se tenha apercebido da desgraceira que estava prestes a abater-se sobre o fundo financeiro em 2007-2008?

Desde que a esquerda se cimentou mundialmente nos meandros da governação, um dos maiores sorvedouros dos Orçamentos de Estado são a Função Pública, os salários dos políticos e o estado social cuja manutenção depende da compra do voto através de acções governamentais de vária ordem, como por exemplo, o empório de subsídios de toda a índole e consequentemente a contracção de dívida.

  • Então, a inacção da Trilateral e de todos os outros grupos foi pôr a nu as vulnerabilidades do sistema de endividamento dos governos? 
  • Achou a Trilateral e seus comparsas que os governos estavam arruinando não só os bancos mas também os próprios países, ao secretamente obrigarem os bancos nacionais a adquirirem a dívida estatal?   
  • Será que os juros prometidos aos bancos pelos governos não compensavam a aquisição de tanto papel governamental? 
  • Será que para continuar a financiar a perenidade da esquerda no poder, a Trilateral e seus iguais exigiram ditar as políticas do dia-a-dia, ou quiseram imiscuir-se na escolha de certos ministeriais? 

Se especulo acerca dos propósitos desta organização, preciso de ser esclarecida porque razão a nata do business internacional não previu a catástrofe que acabou por prejudicar a marcha da maioria dos países, e respectivas populações?

A Trilateral alega que os seus membros não podem simultaneamente estar ao leme da organização e exercer funções governamentais, porém podem pertencer ou cooperar com o Think Tank dirigido pela Trilateral: ora, parece-me que estamos perante um associativismo relativista.

Sinto-me absolutamente perdida, o topo da canalhada da União Europeia fez um cagaçal porque o ex-comissário Manuel Durão Barroso aceitou ir trabalhar para a Goldman Sachs Internacional (GSI), aparentemente uma organização temida no mundo da alta finança devido aos seus métodos, e por aparentemente ter sido mais astuta que os patrões de muitas organizações e associações que também gravitam nos fascinantes meandros do capital. Olho para todas as ditas “elites”, Goldman Sachs incluso, e acho que são todos um e o mesmo, então:

  • Porquê culpar a GSI - vulgo a Firma ou Hidra - pela crise de 2008?
  • Terá sido porque nos escritórios do GSI, os dossiers do capital são estudados até à exaustão?
  • Terá sido porque os tentáculos do GSI têm as ventosas livres de impurezas?
  • Quem será verdadeiramente o núcleo que rege todas aquelas elites acima descritas?
  • Que estará o comandante-chefe a preparar durante esta “espontânea” inquietação das massas, devido à eleição de Donald Trump?    

Cada dedo de uma mão tem a sua função, portanto cada uma dessas organizações,  associações, o islamismo assassino, o espezinhamento orquestrado a Israel, os naïfes que andam para aí aos gritos por causa da eleição de Donald Trump são todos acessórios de uma só organização: a Internacional Socialista (IS).

Até para a semana


PS: Hillary Clinton poderia hoje ser a presidente eleita dos EUA, não fora o facto de se ter concentrado nas conversas de balneário de Donald Trump. Preferiu não se focar no seu metier e trucidar Trump, por alguma razão obscura, que só ela conhecerá - será que os seus patrões da IS saberão de alguma coisa?  


(Imagem: Logo Trilateral Commission - Google Imagens)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Olá Lenny,

    Trilateral: era só o que nos faltava, mais um grupinho inútil. Nunca tinha ouvido falar deles.

    Há uns anos, uns amigos meus falaram-me dos Bilderbergs e dos Illuminati; mas sempre achei tais grupos um bando de inúteis porque o mundo não melhorou, pelo contrário. Também desconfio da sua agenda de um governo mundial, abolindo por completo as fronteiras nacionais...tudo para se aumentar a corrupção corrosiva na sociedade? Não obrigada.

    A Firma/Hidra não pertence a nenhum destes conglomerados de esquerdistas? Se não pertence, claro que vai ser atacada por todos até pertencer ou permitir que outros façam parte do "clube"...

    Quanto a Hillary Clinton: jamais ganharia a eleição. É que embora as off-shores da esquerda internacional sejam vocais, não se devem esquecer que também há grupos de Direita (como deve de ser, sem infiltrados) que fazem o seu trabalho.

    Excelente trabalho!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      E quem elegeria o tal governo mundial; seria a mesma treta que para o parlamento europeu? Passo....
      A firma/Hidra per se não tenho a certeza, mas têm gente graúda que pertence tanto à direita como à esquerda.
      Desejo tudo de bom ao senhor Donald Trump e ao povo americano.

      Beijocas

      Eliminar
  2. Mana, esses grupinhos servem só para os manos comerem e beberem bem! Não fazem nada, não resolvem nada, só clubinhos de divertimento. São uns coitados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      Yah, são exactamente isso, agremiações de entretenimento, tipo feira das vaidades: coisas de labregos metidos à besta; topas?

      Aquele abraço, resistente de Moza

      Eliminar
  3. Lenny, irónico que a esquerda queira acabar com as offshores hahahaha. Obrigado por este post tão oportuno, minha amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      De que a esquerda é perniciosa já todos sabemos, só não sabiamos quão pérfida; enquanto lhe foi conveniente que existissem as ditas offshores, a esquerda permitiu a sua proliferação, agora que outros além dos esquerdistas estão a fazer o seu quinhão: as offshores agora são a mãe de todas as evasões fiscais. Não há pachorra.

      Meu caro, os meus cumprimentos!

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço