As Marcas que Marcam e Allez, Selecção Portuguesa!


Meus caros leitores primeiro que tudo devo anunciar que durante o mês de Julho estarei ausente do nosso blogue. A partir de hoje, até às minhas merecidas férias, vou ignorar a política por completo e falarei somente das coisa que me fazem sorrir:

1- Coca-Cola: A Bebida

Eu nasci em Lourenço Marques/ Maputo, por conseguinte era uma laurentina bem como uma coca-cola. A Coca-cola é daquelas bebidas que verdadeiramente desconhece estatuto, religião, raça e sexo: é de todos e para todos. Não havia refeição, convívio, casamento, funeral, piquenique e momentos de solidão em que não estivesse presente a sacrossanta garrafa de Coca-cola.

Aos fins-de-semana, quando se ia às compras não faltava a grade de Coca-cola. A Catembe (bebida tipicamente moçambicana) era feita com bastante gelo, vinho tinto e Coca-cola; o gelado de chocolate regado com Coca-cola e bebido com uma palhinha - os snobs juntavam menos Coca-cola e deliciavam-se com uma colher comprida. Na hora de um desabafo, bebia-se Coca-cola antes de se desfiar o rosário. Quando o vizinho pedia para se ficar com os seus filhos malcriados e/ou reguilas subornava-se as crianças com Coca-cola gelada. Havia quem fizesse gelo-doce com Coca-cola. Ao invés da da Europa, a Coca-cola em África não incha o estômago, o arrotar é suave e o caramelo não é tão acentuado: a Coca-cola é the coke.

Debaixo dos pinheiros nos meses mais quentes, nas praias da Costa do Sol, Ponta de Ouro, Bilene, Tofo, Xai-Xai etc; jovem ou criança, adulto ou velho, estava sempre alguém a bebericar pela garrafa de vidro a famosa Coca-cola. A The Coca-cola Company deveria investir massivamente em escolas de artes e ofício em toda a África sub-sariana porque, para aquela gente, a Coca-cola é festa da tribo africana. Ainda hoje, quando vejo no supermercado a Coca-cola penso na minha meninice em África e sinto recorrentemente uma nostalgia benfazeja.

2- Fairy: O detergente da loiça

Adoro o detergente Fairy porque desengordura a loiça, tira o chulé das meias, tira nódoas na roupa, limpa as lentes dos óculos, limpa o ecrã do computador, telemóvel e do tablet. Mas detesto todos os anúncios que passam na televisão portuguesa sobre o Fairy. Então este último anúncio, no qual o miúdo está com voz de enfado porque o fairy nunca mais acaba...eu do meu sofá digo “Puto nós queremos que o fairy seja de facto infindável e a tua cara deveria expressar contentamento, primeiro porque se poupa dinheiro com a aquisição do fairy e segundo porque mesmo depois da última gota, ao juntar-se um pouco de água, a propriedade saponácea assim como a anti-gordura prolonga-se até à substituição por um novo frasco”.

Pelos sorrisinhos dos meus netos percebi que achavam que eu estava a perder o juízo; expliquei-lhes que a abertura do Fairy era melhor para a tia Jujú que sofre de artrite, que era prático para poupar água quente e tempo; que era fantástico quando se é impaciente, pois não precisa de muita esfregadela e formidável para quem preza o brilho da perfeição. A partir da minha ideia, nasceu uma cantiga sobre a qual não darei as notas musicais pois são propriedade da minha posteridade “Sofre de artrite, pok: compre Fairy; sofre de falta de tempo, pok: compre Fairy; sofre de impaciência, pok: compre Fairy; é perfeccionista, pok: compre Fairy; Fairy Fairy Fairy ...” e sempre que estamos a lavar a loiça ou quando vemos os anúncios na TV, os miúdos repetem o nosso refrão: compre Fairy...

Bom, aqui termino dizendo que nem a The Coca-Cola nem a Procter&Gamble me pagaram o que quer que seja. O facto é que gosto destas duas marcas porque nunca me causaram mal estar: a Coca-Cola serve-me quando estou com soltura intestinal e dores de cabeça. O Fairy desengordura mesmo e apesar da minha idade as minhas mãos permanecem macias.

NB: Um Extra Marcante

O primeiro-ministro inglês David Cameron disse que se o brexit vencesse, seria difícil proteger Israel. Ora meu troca tintas, quantas vezes a Inglaterra protegeu Israel, durante  todo o tempo em que esteve na UE? Nunca, de facto sempre votou contra Israel e até contra o relatório Peel que aconselhou que Israel/Palestina fosse entregue aos judeus naturais donos da terra. Se lata matasse, Cameron estaria desdentado. Quanto ao Brexit tanto me dá como se me deu, Portugal sobreviverá, como sempre.

Para os portugueses, um povo que está sempre nervoso, angustiado e ansioso antes do início dos jogos da selecção; pronto seus desconseguidos – como dizem os angolanos – vou aqui dizer-vos que Portugal estará na final com a Itália; ganhará ou será vice pour la deuxième fois? A..a..ah malta, nós seremos campeões!! Pronto amores, comecem já a mandar boas vibrações ao excêntrico do Fernando Santos e aos bravos rapazes de Viriato.

Até para a semana


[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Olá Lenny,

    A selecção quase que me deu um ataque de coração ontem, mas ao menos passámos. Espero mesmo que chegue à final e se for com Itália: ai, ai, ai...

    A parte do Fairy matou-me a rir! lol lol lol lol

    Até para a semana e estou ansiosa pelas férias bem merecidas.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      Minha linda, a selecção portuguesa será campeã da Europa e a final será contra a Itália. O cozido á portuguesa baterá qualquer uma das pastas.

      Mais um artigo e partiró para lontano.

      Shabbat Shalom

      Eliminar
    2. Lenny,

      "O cozido á portuguesa baterá qualquer uma das pastas."

      LOL LOL credo. Eu prefiro pastas mas no campeonato tenho de apoiar os Tugas. Força Portugal!!

      Eliminar
  2. Sofri bué no jogo de ontem mas Portugal GANHOU!!!!! Foi linddo de ver, pá!
    Pessoal, a cola de áfrica é boa boa, a da europa é uma porcaria mas tá aí: mais um resultado das belas leis europeias. Lenny, o que achas do Brexit?

    ResponderEliminar
  3. Olá, Cêcê!
    Sofreste? Então eu não disse que Portugal chegará a final e será campeã? Estás como os desconseguidos ou quê?

    Quanto ao Brexit fiquei a saber pelos comentadores nacionais e internaionais e pela petição fraudulenta de 3.000.000 para repetição do referendum que: a rainha de Inglaterra que supostamente terá pedido 3 razões válidas pela continuação do seu reino na UE é tão velha, pobre, labrega e ileterada como os 52% do povo que votaram pela saída da Gra-Bretanha.
    Como vês acho o Brexit muito interessanate. Devido a isto, sou a obrigada a retratar-me e voltar atrás na promessa de não falar de política até ir de férias; mas não aguento a hipocresia.

    Allez, salut et calme toi, la vitoire est à nous: Portugal allez!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço