Mélange Lusitana

Bandeira Portuguesa

Portugal, um país com circa de 5 milhões de emigrantes, está repentinamente adverso à emigração. Ok, não Portugal  per se mas a Esquerda Portuguesa...
Presentemente, o território Lusitano tem dezenas de milhares de professores desempregados (partilharia o número exacto, mas nem o site da FENPROFme consegue dar uma resposta concreta). Todos os anos, países como a Suiça, o Brasil, Timor e Moçambique (por exemplo) pedem a Portugal professores, mas a maioria destes recusa-se a emigrar.
Passos Coelho, o Premier Lusitano, no mês passado explicou que haverá um aumento do desemprego no sector da Educação (já que mais escolas serão encerradas, resultado da descida das taxas de natalidade) e, como tal sugeriu que os professores desempregados procurassem emprego no estrangeiro, especialmente nos países de língua oficial Portuguesa. A Esquerda reagiu histericamente acusando Passos Coelho de não oferecer esperança ao professores Portugueses - de novo, a esperança paga contas? Não, mas trabalhar no estrangeiro poderá fazê-lo. Mais, a Esquerda não está a ver bem o alcance da estratégia por detrás desta sugestão.

Li recentemente um artigo que calculava a taxa de desemprego, para 2011, a 10,8%; contudo o INE (Instituto Nacional de Estatística) calculou, para 2011, uma taxa de desemprego a 12,4% porque fez uso de uma nova metodologia (e.g. alteração do questionário). A nova metodologia sugere duas coisas: 1- os números calculados sob a antiga metodologia, que atiraram os mercados e governos ao ar, não representavam a realidade mas sim uma manipulação; 2- os números aos quais se chegaram através da nova metodologia, que nos fazem sentir desconfortáveis, não representam a realidade mas sim uma manipulação, de novo...

Na semana passada vi a Esquerda verdadeiramente defender o povo pela primeira vez na vida.
Contexto: Portugal já não tem TV analógica. A partir de 1 de Janeiro, foi-nos apresentada a TDT (televisão digital terrestre); querendo isto dizer que se uma casa não tiver TV paga, tem de adquirir um descodificador TDT se quiser continuar a assistir aos canais generalistas. A campanha da TDT, em Portugal, diz "Em Janeiro, se não tiver TDT; não vê televisão!". Até agora a Operação TDT tem sido um total desastre visto que as pessoas que já aderiram à TDT têm tido dificuldades em ver televisão.
A Esquerda perguntou ao governo (e foi justa o suficiente para relembrar ao Partido Socialista o seu belo papel nesta confusão, aquando da sua governação) acerca dos custos involvidos para adquirir a TDT (flat TVs, compatibilidade de conexão, etc). Se um agregado familiar auferir menos de €500 (+/- R$1.170) o kit de TDT será subsidiado, custando somente €40 (+/- R$93) - mesmo assim, muito dinheiro; se um agregado familiar auferir mais de €500 terá de pagar €77 (+/- R$180) - se nesse agregado houver 2 crianças, €77 é uma fortuna. Por isso, congratulo a Esquerda por um trabalho de oposição positivo.

Finalmente, gostaria de sugerir a Portugal que se abrisse mais ao mundo. É uma vergonha não haver a opção de ler sites Portugueses (ou até literatura) noutras línguas - o que é que Portugal tem a esconder, ou o que teme? Páginas da web governamentais deveriam estar traduzidas para outras línguas (especialmente para Inglês) pelo simples facto de ser do Interesse Nacional (disseminação da cultura, investimento, turismo etc). O mundo quer saber mais de, e conhecer, Portugal (e não somente Sintra e Algarve).
Por exemplo, no meu blogue em Inglês quis partilhar os links que continham os dados aqui discutidos e não pude porque só se encontram escritos em Português...

Portugal: estamos no século XXI, acorda de uma vez por todas, pá!!

Comentários

  1. Você acha que o país acordará?

    Beijos, Max!

    ResponderEliminar
  2. Oi CB :D!

    Boa pergunta. Estou à espera que acorde há mais de 30 anos: fez grandes progressos, mas ainda não abriu o olho completamente...por isso, vou-lhe dar mais 30 anitos para ver se retomará a devida glória.

    Querida, obrigada pelo teu comentário :D.

    Beijoss

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço