Comentário: O Dia Internacional da Mulher



Ontem foi o Dia Internacional da Mulher.
Este dia é celebrado, todos os anos, com vários seminários e fóruns; com a troca de emails e mensagens cantando a força, inteligência e poder femininos – é tudo tão lindo e comovente.

No dia 8 de Março, discutem-se e louvam-se as conquistas do “movimento feminino” (N.B: não confundir com o “movimento feminista” – presentemente, o maior inimigo do “movimento feminino [i.e. Pro-Femina]”). De facto, as mulheres conseguiram alcançar imensas coisas (o percurso tem sido complexo contudo tem valido a pena): elas agora têm uma vida académica, o seu intelecto é apreciado e respeitado; elas votam; elas têm carreiras profissionais, contribuem para o PIB; e por aí adiante...

Nesta mesma data, a injustiça praticada contras as mulheres também é relembrada: igual trabalho, salário desigual; quando chegadas a casa do trabalho, este ainda não termina (limpar a casa, cozinhar, tomar conta das crianças etc) [N.B: no mundo Ocidental, muitos homens ajudam as esposas, não obstante este comportamento não é universal à volta do globo]; a falta de acesso (de uma maneira geral) a posições de topo (os homens ainda comandam o Universo Bancário e Corporativo)...

Sim, o Dia Internacional da Mulher é realmente especial: mulheres, de todo o mundo, acenam a bandeira branca por um dia e desejam-se “Feliz Dia da Mulher!” com um fervor tal que qualquer um poderá ser levado a acreditar que elas realmente se apoiam incondicionalmente; que elas, na verdade, são leais ao ser mulher; que elas nunca, jamais, tendem a colocar-se do lado dos homens contra outras mulheres e contra tudo o representa ser uma mulher de verdade.

O dia 8 de Março...o dia em que os políticos (tanto homens como mulheres) explicam às mulheres o significado de ser uma mulher (ela reproduz vida; ela é vital para a nossa economia; as mulheres representam ½ da população mundial etc); eles explanam a necessidade de defender os direitos deste seres humanos fantásticos...Aplausos de pé [“Vou votar neste grande homem/mulher!”]...Crença...esperança...Ingenuidade...

Depois vem o dia 9 de Março e tudo é obliterado...Até ao próximo ano!


Imagem: Composições de Jëno Barcsay

Comentários

  1. Mas bah, Max.
    Seu texto nos pinta um cenário bem real, a igualdade entre mulheres e homens tem caminhado, mas ainda resta muita estrada...Entendo que aqueles que compreendem melhor a necessidade dessa igualdade têm-se beneficiado dela; se por um lado as mulheres avançaram em mercados, posições e profissões, tradicionalmente masculinas, por outro os homens ganharam direito a uma paternidade mais afetiva, podem trocar fraldas, enbalar suas crias e até chorar, sem correrem o risco de serem acusados de fracos.
    Então, minha cara, a igualade é um bem de todos.

    ResponderEliminar
  2. OI MAx

    Apenas datas não modificam o real,a vida na prática.
    Muito se conseguiu a respeito de melhoria na vida da mulher, mas ainda está longe de uma situação ideal, mas de quem é a culpa? dos homens? não. das próprias mulheres,claro que não são todas,mas daquelas que não se valorizam,que se expõe, que vendem uma imagem de mulher-objeto, mulher-fácil, mulher-descartável.
    Daquelas que não estudam, que não se defendem e não se unem as outras.
    O que eu acho o fim,são mulheres que brigam se desentendem, principalmente se o motivo for um homem, eu acho o auge da humilhação...mas é o que vemos aos montes por aí...

    Beijo amiga, uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  3. Onde que eu assino, Max? Porque concordo em gênero, número e grau, com as suas colocações nesse precioso e preciso post.

    Beijinhos e ótimo final de semana!

    ResponderEliminar
  4. Quantas verdades nesse texto,heim? Um lindo fim de semana,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Oi Diler :D!

    "Seu texto nos pinta um cenário bem real, a igualdade entre mulheres e homens tem caminhado, mas ainda resta muita estrada..."

    É, o caminho ainda é longo...

    "Entendo que aqueles que compreendem melhor a necessidade dessa igualdade têm-se beneficiado dela; se por um lado as mulheres avançaram em mercados, posições e profissões, tradicionalmente masculinas, por outro os homens ganharam direito a uma paternidade mais afetiva, podem trocar fraldas, enbalar suas crias e até chorar, sem correrem o risco de serem acusados de fracos.
    Então, minha cara, a igualade é um bem de todos."

    Muito bem dito!! *aplausos*

    Diler, obrigada por este comentário maravilhoso!! :D

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Oi Dri :D!

    "Apenas datas não modificam o real,a vida na prática."

    É verdade!

    "Muito se conseguiu a respeito de melhoria na vida da mulher, mas ainda está longe de uma situação ideal, mas de quem é a culpa? dos homens? não. das próprias mulheres,claro que não são todas,mas daquelas que não se valorizam,que se expõe, que vendem uma imagem de mulher-objeto, mulher-fácil, mulher-descartável.Daquelas que não estudam, que não se defendem e não se unem as outras."

    Muito bem dito *aplausos*!

    "O que eu acho o fim,são mulheres que brigam se desentendem, principalmente se o motivo for um homem, eu acho o auge da humilhação...mas é o que vemos aos montes por aí..."

    Concordo plenamente contigo (tocaste num ponto fulcral). É uma vergonha quando as mulheres se apunhalam por causa de um pénis...um pénis, gente!! Não entendo isso...

    Dri, obrigada por este comentário super super :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Oi CB :D!

    "Onde que eu assino, Max? Porque concordo em gênero, número e grau, com as suas colocações nesse precioso e preciso post."

    Aqui mesmo ;). Obrigada, querida :D!

    Beijoss

    ResponderEliminar
  8. Olá Chica :D!

    "Quantas verdades nesse texto,heim? Um lindo fim de semana,tudo de bom"

    Obrigada, minha linda! Boa semana!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço