A Lusofonia: Timor Leste


Timor deriva da palavra Indonésia "Timur" significando "Este".

Antes dos Portugueses chegarem a Timor, já existia uma pequena população de caçadores e fazendeiros. Há documentação que prove que esta ilha mantinha laços comerciais com a China (por volta do século VII): vendia escravos, cera de abelhas, sândalo e madeira nobre (usada para a manufactura de mobiliário de luxo).

1512: os Portugueses chegam a Timor Leste.
Durante 4 séculos os Lusitanos só usavam o território para fins comerciais (i.e. explorar os recursos naturais: sândalo e café) e, ao contrário do que foi feito nas outras colónias, os Portugueses nunca desenvolveram esta ilha (por exemplo: somente durante o século XX, mais concretamente nos anos 60, é que Díli [a capital de Timor Leste] teve electricidade, água potável, sistema de esgotos, escolas e hospitais; contudo, o resto do país não foi desenvolvido.

Agosto de 1975 (um ano depois da Revolução dos Cravos de 1974): o governo Português decide abandonar a ilha; passando o poder para a FRETILIN (Frente Revolucionária de Timor-Leste).

28 de Novembro de 1975: a FRETILIN (apoiada pela República Popular da China) proclama independência.
Mas esta independência não durou muito, uma vez que as tropas Indonésias invadiram a ilha (por ordem do General Suharto, no dia 7 de Dezembro, com o apoio dos EUA e da Austrália que temiam o efeito dominó do comunismo) tornando-se esta a 27ª provincia Indonésia (chamada de Timor Timur), apesar do repúdio expressado pelas Nações Unidas.
Os indonésios defendiam uma política de genocídio, o que resultou no massacre de Timorenses (para mais detalhes, ler aqui).

O líder da FRETILIN (Xanana Gusmão) foi preso; e quando Nelson Mandela o visitou (em Julho de 1997) o povo ficou ainda mais entusiasmado com a independência de Timor. A luta pela libertação das garras Indonésias foi extremamente violenta, o que levou os governos de Portugal e Indonésia (em 1999) a negociarem um referendo (sobre a independência do território) - no dia 30 de Agosto de 1999; 78,5% do eleitorado votou a favor da independência de Timor Leste.
Entretanto, a Indonésia deu início a um programa de desenvolvimento social para melhorar a sua imagem perante o povo timorense.

Após o referendo, as milícias (que, por lei, tinham toda a liberdade para defender os interesses da nação Indonésia) foram para as ruas para matar todo aquele que havia votado a favor da independência. Milhares de pessoas foram para as montanhas para se esconder; famílias foram separadas, os estrangeiros foram evacuados deixando, assim, Timor entregue à violência entre os militares e milícias.
Portugal (na pessoa de Durão Barroso, o actual Presidente da Comissão Europeia) batalhou, diplomaticamente falando, pela independência da Timor; uma vez que Portugal se sentia responsável pela situação actual. Os Portugueses, em território nacional (de Norte a Sul) colocaram nas suas janelas lençóis brancos como sinal de solidariedade para com o povo Timorense; e fizeram-se colectas de fundos para ajudar as famílias deslocadas e refugiados. Durante este tempo, Portugal abriu os braços a refugiados vindos de Timor.

20 de Maio de 2002: finalmente, Timor torna-se uma país independente e Xanana Gusmão foi eleito Presidente.

Língua
As línguas oficiais são o Tétum e o Português (ainda que para os negócios as línguas eleitas são o Indonésio e o Inglês); contudo há outras 15 línguas nacionais: ataurense, baiqueno, becais, búnaque, cauamina, fataluco, galóli, habo, idalaca, lovaia, macalero, macassai, mambai quémaque e tocodede.

Cultura
A cultura reflecte a influência de várias outras culturas: a tradição de igreja Católica Apostólica Romana; a cultura Portuguesa e Malaia.
A maioria da população é Católica Apostólica Romana.
O Hino nacional é a "Pátria" e é cantada em Português.


Arquitectura
Há alguns edifícios ao estilo Português; e há os tradicionais lulik (tétum para "casas sagradas") e os lee teinu ("casas com pernas") na região de Fataluku.

Video
E agora terminaremos com um video de imagens de Timor Loro Sae. Espero que gostem!



Próximo Porto: Macau

Comentários

  1. Ah, Max como é prazeroso ler teu blog! Eu conheço alguns timorenses, almoçamos e jantamos na cantina da FLUP, quase que sempre, e são pessoas doces, um tanto tímidas, mas muito sorridentes e educadas (no geral), e eu sempre peço tradução quando eles estão falando em tétum, é uma "língua" muito difícil para mim. Gosto especialmente quando eles estão a falar da cultura do país, e o mais incrível de tudo é que em meio a tanta diversidade cultural, percebe-se um pouco de cada país um no outro, claro, temos passado de colonização em comum... Mas é um aprendizado conviver em diversidade, é onde se exercita verdadeiramente o respeito pelo o outro.

    Um beijão, minha flor!

    ResponderEliminar
  2. Oi. É a primeira vez que visito teu blog, mas voltarei muitas vezes, com certeza. É bom encontrar alguém que escreve, e escreve muito bem, sobre coisas que me interessam de verdade.
    beijo

    ResponderEliminar
  3. Oi CB :D!

    "Ah, Max como é prazeroso ler teu blog!"

    Obrigada, minha linda (quanta gentileza) :D!

    Também acho os Timorenses muito simpáticos, embora a sua língua seja um pouco difícil de entender (mas confesso que também nunca fiz um grande esforço para aprender o Tétum).

    "Mas é um aprendizado conviver em diversidade, é onde se exercita verdadeiramente o respeito pelo o outro."

    Absolutamente!! Não podia concordar mais :D!

    CB, muito obrigada pelas tuas palavras, amei :D!

    Beijinhosss

    ResponderEliminar
  4. Oi Edna :D!

    Bem-vinda ao Etnias :D!!!

    "É a primeira vez que visito teu blog, mas voltarei muitas vezes, com certeza. É bom encontrar alguém que escreve, e escreve muito bem, sobre coisas que me interessam de verdade"

    Fica sabendo que és muito bem-vinda aqui, por isso ficarei à tua espera :D!
    Obrigada, minha linda....que honra :D!

    Edna, cá te espero e, obrigada pelo teu comentário :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Mas bah, Max.
    Como sempre é um prazer ler suas postagens. Tenho pouca informação sobre o Timor Leste, no entanto digo-te que a mim basta que um país seja de lingua protuguesa, para que já lhe tenha simpatia.
    Parabéns pelo Blog, é ótimo!

    ResponderEliminar
  6. Mas bah. Max.
    Voltei pra dizer que tem um meme pra você la no ARTeiro, espero que goste.

    ResponderEliminar
  7. Ohh Diler,

    Obrigada, meu amigo!

    Viva a Lusofonia! Que continue a unir-nos a todos!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Diler,

    Um meme? Vou dar uma olhada!

    Até já

    ResponderEliminar
  9. Max, a independência chegou, mas não a paz! O que leio no noticiário fala somente de distúrbios. Inclusive a Fretilin que coloca em dúvida qualquer ação de Xamana Gusmão e Ramos-Horta a cometer crimes contra a Humanidade.
    Gostei de saber detalhes da História que para mim eram desconhecidos. Beijus,

    ResponderEliminar
  10. Oi amiga

    Foi muito bom saber mais sobre o
    Timor...no vídeo o que mais me chamou a atenção foi as mulheres lavando roupa no rio, puxa! e eu não consigo sobreviver sem minha máquina de lavar roupas

    beijos

    ResponderEliminar
  11. Oi Luma :D!

    É isso mesmo: disseste tudo!

    Realmente não há paz naquela terra (ainda); mas esperemos que Xanana Gusmão e Ramos Horta consigam colocar aquilo em ordem.

    Obrigada pelo teu super comentário :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  12. Oi Dri :D!

    LOL pois é...nós não passamos mais sem máquina de lavar, mas há mulheres no mundo que ainda não tiveram uma...incrível, né?

    Obrigada pelo teu comentário, amiga :D!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço