Falácia intelectual: Ateísmo e Cª, Roubalheira Camarária e Marca Foleira


Esta semana falarei de três tópicos tão interessantes quanto patéticos:

1- Sou agnóstico, sou laico, sou ateu, e... sou baralhado

Definitivamente os políticos não conseguem viver na (e com a) verdade; mesmo em matérias residuais. Há um Ser que é comum à maioria dos seres: Deus. Porém há aqueles uns que se consideram desligados do elo comum: os ateus, os agnósticos, os apologistas não-praticantes de uma qualquer filosofia asiática/oriental e os laicos...Não há problema nenhum em não acreditar em Deus, o facto é que Ele existe quer queiramos ou não; apenas difere a forma como cada crente se dirige e chega a Ele.

Não é segredo que os marxistas-leninistas andaram por aí a apregoar que a religião era o ópio do povo; mas como as pessoas não abdicaram da sua crença, a esquerda internacional resolveu reinventar-se e juntar-se ao povo; actualmente diz-se que na Europa a esquerda é predominantemente cristã e despudoradamente assegura-se que no sul da Europa predomina a esquerda católica: cada um manipula conforme a ocasião se apresenta. Contudo, acho-me na obrigação de esclarecer que ser ateu, agnóstico, laico e onda ao sabor das conveniências, não é exactamente aquilo que um crente classicamente consideraria uma ligação espiritual a um ser invisível, omnipresente e omnipotente.

As designações atrás referidas são simplesmente uma forma de dizer “sou um vácuo” senão vejamos:

  • Ateísmo é um estado de revolta constante, comparável às revoluções políticas de esquerda que não têm um fim à vista.
  • Agnosticismo é um estado de capricho primário, tal e qual uma criança voluntariosa conhecedora do código comportamental mas no seu não total entendimento da norma, aquela acha-se no direito de desafiar o estabelecedor das regras.
  • Laicismo/laicidade é uma agenda politiqueira, um mequetrefe gritante porque mais uma vez se esquece o homem no seu todo. 
  • As chinesices são uma filosofia de vida comparável à complexa ambiguidade dum estado de alma.
As exéquias fúnebres de dr. Mário Soares realizaram-se numa das salas do Mosteiro de Jerónimos e não houve nenhuma função religiosa porque o falecido terá afirmado “sou republicano socialista e laico”. Suponhamos que por laico, o falecido e seu circulo tenham  subentendido não religioso; se partiram desta suposição, qual a razão da utilização de uma sala num símbolo da religiosidade católica? Ai a falácia...

2- Roubalheira Camarária em Odivelas

Os estudantes de Coimbra nos anos 60/70 tinham uma cantilena que dizia “Se o tabaco paga imposto, os fósforos imposto pagam, só falta pagar imposto a m*rd* que a gente c***” pois bem, a Câmara de Odivelas veio finalmente confirmar os receios dos estudantes coimbrões.

Tenho uma amiga octogenária que reside no concelho de Odivelas e a sua conta da água é abismal como pode verificar-se na descrição que se segue:




O brother Tony Costa tem andado pelas terras da Índia a ofertar vistos de trabalho à rapaziada das startups, aos cinéfilos de Bollywood para virem para Portugal e juntar-se aos seus irmãos que já operam no centro comercial da Mouraria. Não tenho nada contra, até porque Portugal é para toda a gente mais ou menos exótica excepto para os portugueses. Gostaria contudo que o Tony Costa falasse com o presidente socialista de Odivelas e lhe fizesse notar que a extorsão tem limites.

A minha amiga tem a seu cargo três netos universitários vindos de Angola, de cujo país está difícil fazer remessa de divisas, esta agravante tem trazido à minha amiga em absoluto stress com as contas da água que no seu caso parecem triplicadas. Será que a Valor Sul e os seus lacaios nas Câmaras de Odivelas/Loures estão a fazer-se ao piso por um subsídio governamental para processar os lixos domésticos a preços acessíveis e assim evitar esta corrupção inexorável sobre os cidadãos daqueles municípios? Porca miséria...

3- Mimosa, a marca foleira

A Mimosa tem um anúncio que passa na televisão portuguesa; é uma coisa queridinha, ternurenta, contudo no mundo actual, a dita mensagem audiovisual é repugnante, repulsiva e uma merda despudorada. Em Portugal, o leite e seus derivados são um bem abrangente; e todas as camadas sociais e raciais têm acesso a esse bem, seja do seu bolso ou através de instituições de solidariedade social, portanto quando uma marca de referência faz um anúncio apenas com bebés brancos, como se em Portugal não existissem outras raças, é triste e pesaroso. Que pirosice intelectual!

Até para a semana
 
(Imagem: Psicose - mdsaude.com)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Por quê que a senhora não aderiu ao tarifário solidário para idosos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      Boan ideia, sim senhor. Contudo a casa é do filho que está emigrado, mas depois de preeenchidos certos requisitos é o que ela irá fazer. Embora eu continue a achar que a SIMAR seja extorsionária, visto ter conversado com uma senhora do prédio com cerca de 45 anos (dois filhos entre 10 e 12) que me confirmou que o preço da água nos concelhos de Odivelas e Loures é simplesmente uma roubalheira.

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. Minha amiga, não assisti às cerimónias fúnebres de Mário Soares mas sei que o velório foi no MOSTEIRO dos Jerónimos. Nada mau para um ateu, hein? E faz absoluto sentido também hehehe. Mas a água é caríssima em Odivelas! Acho que temos aqui negociatas entre a câmara e a tal Valor Sul, ADLVT etc, não? E tudo à custa da pessoa comum. É vergonhoso, minha amiga. Já assisti ao anúncio de que aqui fala e pensei quase no mesmo, digo quase porque não só notei na ausência de fofuras de outras etnias como também de fofuras morenas como eu próprio. Um autêntico cliché!
    Um abraço, bom fim-de-semana, JP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, João Pedro!
      Também acho que exista negociata da grossa; como é possível gastar por exemplo €35 de água e acabar pagando uma factura de quase €100? Até dá impressão que têm um contador especial para a quantidade da urina e das fezes, sem contar com o pagamento à EPAL e a reciclagem dos lixos: é uma ladroagem sem tamanho.
      Neste país paga-se para o Banco ganhar juros com o dinheiro do depositante; paga-se para que alguém enriqueça com o tratamento do lixo doméstico, pagar-se uma taxa sobre o preço da água para urinar, obrar e manter a sanita limpa: é um inferno.
      Olha a minha família que é composta por brancos, pretos, mestiços, indianos e canecos e somos quase trezentos (os jovens da casa estão a fazer bébés) migrámos para outras marcas: a mimosa que se vá lixar.

      Aquele abraço, meu caro.

      Eliminar
  3. Lenny, desculpe-me mas o ateísmo é a não crença em divindades de qualquer tipo. Ateus existem em qualquer tipo de ideologia, seja direita ou esquerda. Ateu de verdade não é um revoltado, e sim um ser que usa razão e lógica. Quanto a política, o que existe é o oportunismo, falácia e muitas mentiras, nisso eu concordo com você.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cidão,

      O ateísmo, por definição, é a rejeição da crença em Deus ou em qualquer tipo de divindade (como pode um ser que rejeita o seu criador ser racional e lógico se não entende a razão e a lógica da sua criação e do seu Criador?). Sim, existem alguns ateus à direita, mas eles prevalecem mais à esquerda (a rainha do niilismo).

      Como sabes, eu não acredito no ateísmo (é algo que não existe, é uma ilusão); mas acredito que haja pessoas que não queiram ter uma religião, nem mesmo uma vida espiritual devido à disciplina que ambas exigem e simplesmente essas criaturas ou não têm pachorra ou maturidade para seguirem qualquer dos caminhos espirituais à sua disposição. Mas ateísmo, ateísmo, é outra falácia.

      Um abração

      Eliminar
    2. Olá, Aparecido!
      A única vez que os ateus fazem uso da razão é quando se debatem em busca de uma razão, pela qual terão de justificar a sua escolha; é quando intencionalmente desejam racionalizar uma subjectividade.
      Enfim...mas que sei eu, meu caro!

      Cumprimentos

      Eliminar
  4. Temos de ver como nasce o ateísmo: sempre a partir de uma revolta. Ora pedi isto ou aquilo a Deus e Ele não deu, tendo poder para fazê-lo; tirou isto ou aquilo; levou esta ou aquela pessoa através da morte; não respondeu a anseios; não fez o milagre pretendido na hora pretendida, etc etc e tal. Depois as pessoas revoltam-se porque o "Todo Poderoso tem tanto poder e não faz isto por mim? Onde é que ele estava?" logo para essas pessoas Ele não existe; mas a percepção dessas mesmas não implica veracidade, nem constitui prova da sua inexistência, ou impotência. O ateísmo é mais uma questão do foro psicológico, é uma tentativa falhada de fazer catárse.

    Compreendo a Mimosa, Lenny: os negros gostam de boas marcas; logo não compram Mimosa. E a marca sabe-o bem. Agora analisemos as outras marcas portuguesas e ver qual delas é racista embora consumidas pelas minorias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cristina!
      Então os psicanalistas estão no jackpot: ganhar uma pipa de massa por algo que se poderia facilmente solucionado - crer.
      Mas tenho pena de todos os que desistiram de Deus por, aparentemente, não ter respondido atempadamente aos anseios de quem estava aflito.

      Quanto aos foleiros: eles que se lixem!

      Beijocas, amore mio

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço