João Galamba: o Porta-Voz Obscuro do PS



O porta-voz do Partido Socialista (PS) é um mentecapto, um elemento rasteiro e boçal. Mas Porquê; é por ser feioso? Indagar-se-ão os leitores. Nada disso! O indivíduo tem quarenta anos, é licenciado em economia e está a pensar doutorar-se em filosofia política - mais uma dessas cácas que nada querem dizer, visto que filosofia é a busca da verdade e a política é a busca do poder através da ausência da verdade: incompreensões..!

Dizia eu, o agora feito a cara do PS, tem na verdade um olhar que não combina com o seu sorriso, há ali algo sinistro. Talvez seja essa bizarrice que molda a sua lógica. Veja-se que apesar da sua existência compreender quatro dezenas de vivências, quando abre a boca para rebater os adversários soa como um marialva da Ribeira que fora abandonado pela sua prostituta por falta de sofisticação.

Todos sabemos que globalmente os presidentes, administradores e gestores de bancos revelaram-se uns burros e desconhecedores da noção de merecedor de confiança por parte dos seus clientes. Em abono da verdade, os banqueiros em vez de se concentrarem na gestão financeira, foram obrigados a ser ajudantes da polícia (devido à catadupa de leis monetárias). Os banqueiros foram coagidos pelos seus governos a adquirirem as dívidas nacionais e a tapar buracos financeiros de conveniência estatal; estas mesmas sumidades foram intimadas a entreter os desvarios relativos aos excessos do crédito ao consumo às populações; tendo de uma assentada se transformado em agências de fancaria e balcões policiais.

Os bancos portugueses privados agora são estrangeiros ou estão enfraquecidos, o banco público Caixa Geral de Depósitos (CGD) anda à deriva - tal qual os políticos - e para baralhar ainda mais o assunto, o Tribunal de Contas emite um relatório ambíguo sobre o descontrole da CGD. Ora, o porta-voz socialista, em vez de ser um homem que se guia pela racionalidade, atirou-nos com uma verborreia típica dum sujeito tinhoso.

Pronto, a CGD está desgovernada, descontrolada, descarrilada e descapitalizada; contudo não queremos assistir ao espectáculo de má criação por parte do Johnny socialista que raia a degeneração mórbida. 

Toda a gente tem direito à indignação e a cara dos socialistas, que por acaso reside num país civilizado, tem todo o direito de se manifestar contra tudo que seja indigno; mas certamente por ser deputado, jovem e instruído tem a obrigação de abandonar a mentalidade e tácticas da velharia política saída dos anos sessenta, e adoptar uma postura de homem reflectivo. Sei que devo estar a pedir demais, visto que desde que o ex-primeiro ministro Sócrates trouxe o Galamba para a cena política, há muito que notei que o pobre sofre da incapacidade de criar consensos e catapultar os jovens para a política direccionada ao homem da actualidade.

O Johnny Galamba é um cru por isso ataca; é um triste logo um miserável insatisfeito; é um inculto por isso desconhece o sentido de diálogo.  

Até para a semana


[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Não suporto este rapazola. É de uma arrogância sem medida e de uma maior falta de educação. Gostei do seu artigo, minha amiga e confesso que já tinha saudades deste tipo de leitura; porque a menina tem andado a filosofar muito! Beijinhos JP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, João Pedro!
      O tipo é um grosseirão!

      Ó meu caro; filosofar muito? Não me faça rir.

      Estimei tê-lo por cá; beijinhos

      Eliminar
  2. Ser arrogante não é problema, quanto a mim. O problema é ser arrogante sem ter nada de concreto para sustentar a arrogância, capisce Lenny? Shabbat Shalom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cristina!
      Capisco, amore mio!
      O lamentável, nesse rapaz, é querer ficar na história parlamentar como o execrável.

      Boa semana de trabalho, amore mio

      Eliminar
  3. Lenny, pá nem sei por onde começar: o galamba é um betinho metido a esquerdoite. Quem é que ele escolheu para casar? Poiiisss....não foi atrás da mortágua ou sei lá como ela se chama, ainda que ela se atire a ele sempre que possa em público (leiam o corpo dela). Este jovem metido à besta é um mal educado sem tamanho e nós não somos as únicas a dizê-lo, mas de certo como todo o parolo mal criado arrogante ele finge não ouvir as críticas dizendo que são vozes dos invejosos. Inveja de quê, pá? João, não tens nada que se inveje em ti! Cresce e aparece!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Cêcê!
      Não, o Galamba não é nem nunca terá a classificação de betinho; um betinho é alguém que faz sempre questão de ser bem educado e é sempre conservador.
      A linguagem corporal da dita Mortágua é das camaradas dos anos 60 que estavam sempre disponíveis aos camaradas machos, para o que for preciso.
      Inveja? Oh please, ele é um hick, um red neck que não observa as regras da boa educação e mesmo com a instrução recebida, o rapaz raia a linha da ignorância social e política.

      Amiga, tem uma boa semana de trabalho.

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço