Samba do Crioulo Doido: A UE, a Goldman Sachs, o Partido Socialista e as Tiger Moms



O artigo desta semana é meio doido porque o mundo está igualmente ensandecido.

Exemplo 1 – Novela UE e a Goldman Sachs 

A UE está sem nada para fazer, nem sequer se tem ocupado do seu passatempo favorito que é atacar gratuitamente Israel. Ao que tudo indica deram-se conta do erro crasso que cometeram ao ovacionarem verticalmente o chefe da Autoridade dos árabes na Palestina, o qual descaradamente em pleno parlamento europeu despertou células dormentes, cujo resultado foram ataques terroristas perpetrados no espaço territorial europeu, por moços “desvairados” fugidos dos manicómios da UE. O vazio é tão grande que neste momento a agenda de Bruxelas é o novo emprego do ex-comissário Durão Barroso na Goldman Sachs International (GSI), razão pela qual repentinamente o ex-comissário passou a ser considerado um desonesto, imoral, anti-ético e possivelmente um corrupto que irá poderá vender segredos europeus à GSI.

A ombudsman (uma espécie de procurador geral na UE) Emily O'Reilly, que além de jornalista premiada tem também um curso de línguas, infelizmente está a liderar o processo contra Durão Barroso. A coitada não evoluiu com o currículo. Todos sabemos quem é que a UE gostaria de entalar, mas o justicialismo é uma idiotice pois é precedido de sobranceria política que é sempre uma má conselheira. Quando se vai atrás de algo, ou de alguém, deve esperar-se um resultado concludente, incisivo e clamoroso; ora, achincalhar a idoneidade de Durão Barroso para lhe retirar o tapete vermelho – o que quer que isso seja – ou para lhe sonegar a pensão por uma questão de interpretação de juízos de valor e não por um crime de facto é no mínimo mentecapto.

Eu sei que na mente dos europeus há sempre uma vozinha que lhes sussurra “vamos lixar o judeu, e coisas que tais...” mas o Blankfein e a sua camarilha não será apanhado nem com ódios nem com injúrias porque a GS joga tão limpo que até raia a fraude, e se quiserem imputar à GS todo o mal que ocorre no mundo, os políticos deveriam começar por olhar para si mesmos. Tentar denegrir a Goldman Sachs através do assassinato de carácter do ex-comissário Barroso deixem-me que vos diga que não é por aí que o gato vai às filhoses; portanto, O'Reilly please get a grip, you're pathetic! Junker please give us a break, you're a disgrace! EU peticioners you're full of shit, its repulsive!

Exemplo 2 – As Petas do Partido Socialista

Na rentrée da juventude socialista, a propósito do aumento de colocações para o ensino superior, ouviu-se “o aumento de colocações representa, a morte do modelo de desenvolvimento da direita que quis impor no país, um país sem salários, sem direitos e sem estado social. A quebra não era demográfica, deveu-se ás dificuldades financeiras que agora estão um pouco minoradas. Isto representa confiança no futuro”.

Pergunta: ó primeiro ministro da esquerda radical, está assim tão mal da batatinha? Ó António Costa, passou-se?

Sei que em política vale tudo, sei pela revista sábado que o António é um ser de declarações bombásticas a raiar a grosseria; mas afirmações absurdas como um país sem salários, sem direitos e sem estado social são uma deslealdade intelectual. Eu sei que a juventude mesmo com cursos universitários é incapaz de articular um discurso coerente e, quando se depara com um vendedor da banha da cobra do seu calibre, fica deslumbrada. Se o discurso for folclórico com laivos de baixeza, os coitados parecem-se com umas hienas asquerosas a babarem-se diante das réstias de miudezas.

António Costa, artífice da trafulhice política, quanto a mim pode pavonear-se e pronunciar  todas as barbaridades que melhor lhe aprouver porque está nas mãos da esquerda radical, e porque o António conseguiu um feito extraordinário: transformou o Partido Socialista numa organização chunga, na qual o debate de ideias passou a ser um espectáculo de chavões deploráveis. Ó Costa, qual é a diferença entre si e os meninos que atacam à machadada e à naifada? Nenhuma, ambos são “inimputáveis”.

Exemplo 3 – Tiger Mums

Num jornal inglês online dizia que as “tiger mums” ou mães extremamente competitivas e que incentivam os seus filhos  a serem academicamente sempre os melhores são umas mulheres infelizes.

Absurdo! Fui casada quase 40 anos com o mesmo homem (cumpriu), fui mãe de duas crianças um rapaz e uma rapariga, durante 14 anos fui mãe não-trabalhadora, e porque sou super competitiva os meus filhos foram sempre os melhores das suas turmas e terminaram o liceu com uma média acima dos 18 valores. Desconheço o conceito de depressão, nunca houve cenas de violência doméstica na nossa família, tivemos as nossas crises financeiras e nem assim nos candidatámos a subsídios de nenhuma natureza. Ensinei os meus filhos a escolherem ser felizes, ao invés de se deixarem cair em depressões na primeira contrariedade e em todas as seguintes.

No curso universitário, as notas dos meus filhos foram óptimas; a rapariga melhor que o rapaz que baixou a sua média consideravelmente, sem que no entanto jamais lhe faltasse emprego - tanto que é requisitadíssimo porque gosta do que faz e é bom no que faz. A rapariga é igualmente bem sucedida. Portanto, desafio qualquer cientista a dizer-me que sou ou fui infeliz porque ter sido uma mãe zelosa e atenta aos estudos dos meus filhos, para que o seu futuro não fosse penoso e para que as minhas noites de sono não se transformassem em noitadas de preocupação por ter parido uns falhados.

Senhores doutores, sou, fui e serei feliz até à minha morte porque cumpri o meu dever de zeladora dos meus filhos e agora sou uma avó maravilhada com os meus netitos que são levados da breca e brilhantíssimos que nem uma estrela.

Anda tudo doido!

Até para a semana

(Imagem: Tiger Mom - Sparks-mag.com)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Mana, não compreendo essa história do durão barroso, pra quê tanto barulho? Deixem o homem em paz! Ainda bem que ele conseguiu esse trabalho e não foi fazer o que todos fazem: acabar na ONU ou numa universidade a fingir que é professor a comer mais de 100 mil dolares de salário sem ter jeito para ensinar! Xii, parecem do mato, a sério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      São todos uma cambada de invejosos. Agora o palerma do Juncker afirmou que, o Barroso deveria ter ido trabalhar para qualquer outro sítio menos para a Goldman Sacks, porque esta deflagrou a crise de 2008. Se isto cabe na cabeça de alguém.

      Aquele Abraço, meu guerreiro de Moza

      Eliminar
  2. Olá Lenny,

    Este episódio da Goldman Sachs baseia-se naquele velho sentimento baixo: anti-Semitismo puro e duro. Ainda se poderia pensar que era mais uma batalha esquerdista contra o capitalismo (ai que cansativos!), mas a obsessão é tal que só posso concluir de que se trata de sentimentos mais baixos.
    Desejo o melhor a Durão Barroso e boa sorte no seu novo emprego.

    António Costa e a maneira como ele se submete ao BE e ao PCP é patético. E tudo isso só para estar no poder? Só para ter o prazer de não ter a direita no poder (ainda que ela faça um melhor trabalho com as contas públicas)? Eu só digo uma coisa: quando chegar a hora de fazer todas as contas e mais algumas, aqui estaremos...

    Adoro Tiger Mums e seria óptimo se houvesse mais delas. Mas infelizmente a maioria das mães ou é preguiçosa ou então quer ser amiguinha dos filhos. Erro crasso.

    Beijocas e adorei, adorei e adorei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      Essa mulherzinha, chefe mor dos jornalistas, chefe da claque dos direitos humanos, chefe disto e daquilo, chefe da justiça na UE etc, etc, etc..; está na UE para envergonhar as mulheres com a sua actuação de disléxica burra.

      Quanto aos governantes continuo a atestar a irrelevância do PS, este é liderado por um ser usurpador e parasitário.

      Fui tiger mum com muita honra e orgulho. Adorei ter sido o balão de ensaio de como combater o stress no futuro e como aprender a lutar contra as futuras frustrações.

      Beijocas

      Eliminar
  3. Ó lenny, minha querida, temos que admitir que o país está de matar a rir. Entre a mortágua e o comilão do costa, a Goldman Sachs é o mínimo dos nossos problemas! Ando a ver como remover os meus bens de portugal para não irem parar ao bolso, ou segundo os militantes do PCP 'o bolço', do BE e PS. Isto hoje em dia já nem é preciso ser eleito para governar em portugal, e agora há vice-ministros das finanças, que neste caso é a coitadinha da mortágua. Estou preocupado, minha cara amiga.

    ResponderEliminar
  4. Olá, João Pedro!
    Ó meu caro, não esteja preocupado, procure um país na Europa no qual, a lei não permite que se invada a conta bancária dos cidadãos a não ser que tenham cometido um crime e mande para lá os seus bens; melhor ainda se tem chance mude de nacionalidade: espanhola?
    A culpa deste desgoverno é do Passos Coelho, eu bem lhe disse que falasse aos portugueses senão perderia as eleições para a abstenção; meu dito e ....
    Quanto a essa mulherzinha do BE é uma ignorante, não quero nem saber do seu curso de economia furado.
    Um dia falaremos da Goldman Sachs, meu amigo, é uma companhia espectacular.

    No worries; saiba como defender-se dos proletários, graças a D**s, nós temos bases, boa formação e valores; sabemos que devemos deixar um legado aos nossos filhos; porque somos seres honrados; entende-me não é verdade?

    Ciao, caro mio

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço