Mariana Mortágua: A Economista do Bazar Revolucionário



O governo da esquerda radical é politicamente desonesto, pois o BE e o PCP com a ajuda do PS assumiram funções governamentais sem ter um rumo adequado para Portugal. Como era de esperar, o proletariado está desorientado e, como é seu apanágio, já iniciou a exibição da feira do embuste.
  • Perder a vergonha – A deputada Mariana Mortágua no clube “pensante” do PS sugeriu um disparate de desavergonhada amplitude “temos de perder a vergonha de ir buscar dinheiro a quem está a acumular” e referiu-se ainda ao famoso 1%. Antes de mais nada, essa história de 1% é um número fictício e não é provável que Portugal tenha cidadãos seus no núcleo dos maiores detentores de riqueza mundial; depois como economista é incompreensível que seja tão básica.
  • Mandou a Constituição às malvas – O primeiro ministro António Costa sugeriu que se descartasse a Constituição sempre que conveniente; evidência suficiente e necessária para que se possa ir às contas bancárias de qualquer português (criminoso ou não) e, bisbilhotar as mesmas para prevenir a evasão fiscal; por que na sua visão não é justo que fiscalmente se onere os trabalhadores e não se possa fazer pagar a quem acumule riqueza.

Ora, a pequena Mortágua deu o mote e António Costa seguiu-lhe as pisadas; ou terá sido o contrário? Não importa assuntar, pois neste caso, a ordem dos factores é mesmo arbitrária ou seja: o mote foi combinado entre o BE e o PCP que, logo, instruíram o PS para que seguisse a linha da ordem decretada pelos sindicalistas - a classe defensora e pertencente aos 99% dos mundialmente “descamisados”.

Está provado que a esquerda quer perseguir e esmifrar o cidadão de posses e que seja frugal. Na concepção da esquerda quem é rico não é trabalhador nem nunca trabalhou; quem tem depósitos além do imaginário da esquerda não tem poupanças, acumulou riquezas e isto, só por si, representa um potencial risco de crime de evasão fiscal. Que se deve inferir deste estratagema da esquerda radical portuguesa? Vão extorquir dinheiro aos ricos, e quando a árvore secar onde irão buscar as Patacas?

O estado social é probabilidade se todos os cidadãos contribuírem com a sua quota parte com o fim de se implementar:
  • um robusto Serviço Nacional de Saúde e uma justa Segurança Social
  • escolaridade obrigatória e formação superior facilitada
  • saneamento básico universal
  • criação e manutenção das obras públicas
  • manutenção dos parques verdes e gestão da emissão de gazes para a atmosfera
  • remuneração condigna aos funcionários públicos
  • subsidiar os inválidos, seniores com reformas baixas, órfãos e viúvas sem posses. 

É um dado adquirido de que os pobres nunca deixarão de existir, mas é um dever de todos os cidadãos sem excepção minorar a angústia de quem vive de tão pouco. O estado não deve ser o criador primordial de emprego, mas é sua obrigação incentivar quem tem posses a investir na formação e empregabilidade dos pobres e miseráveis para que estes queiram mudar o rumo da sua vida. Contudo, a esquerda insiste em ser provedor incondicional de todos os cidadãos, preferindo conduzir os negócios da nação pela via gozosa, condenando o povo a sucumbir na via dolorosa; porque doutrinar as pessoas através do conceito da igualdade falaciosa - isto é, retirar a uns para dar aos outros ou redistribuição equitativa - é uma distracção dolosa porque as pessoas vão perder a vergonha e relegar de vez o conceito de trabalho árduo. 
 
Sou obrigada a repetir que a igualdade é válida só e somente perante a lei; a redistribuição é uma miragem, porque uns produzem mais que outros e mesmo que se quisesse acreditar nessa utopia, não seria equitativa pois o distribuidor não é idóneo. Quem é o parvo que vai confiar numa deputada que quer perder o que nunca teve para alcançar a perdição? Quem é o idiota que vai confiar num governo falido que em vez de o confessar publicamente, sugere que se desrespeite a lei que rege a nação, para ad-hoc transformar a Autoridade Tributária e Aduaneira num segundo titular nas contas de cada português?

Não compreendo este governo, nem as suas políticas nem a sua conduta. Só sei dizer que o secretário de estado da Autoridade Tributária não usa a cabeça para aparecer com um sistema de tributação credível e justo, para ajudar o ministro das finanças a gerir o Orçamento do Estado sem sobressaltos. Aquela barriga de texugo desmazelado diz-me que ele está a desgastar os seus dentes, a arruinar a sua saúde e a provocar em si uma miopia, pois deve passar muito tempo sentado a mastigar snacks, enquanto passa em revista a listas de gente milionária magicando como lixá-la através da extorsão despudorada. Espero que o premier António Costa, mande para casa aquele corruptível, lento e obeso para que faça algo consentâneo com a sua figura: deitar-se no rio a partir nozes em cima do seu ventre revestido de uma tonelada de banha.

Meus senhores do governo da esquerda radical, aceitam-se idiotas que acreditam que a vida é chapa-ganha chapa-gasta, foras-de-lei que querem nivelar a vida dos portugueses por baixo; só que a gordura mata.

Até para a semana
           
 (Imagem [Ed.]: Mariana Mortágua - Google Imagens) 

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Essa gaja não sabe o que está a falar! Tirou curso para fazer bonito mas quando abre a boca não diz nada de bom. A tipa que nos diga quanto é que ela ganha e nós decidimos se ela é rica ou não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!
      Essa mulherzinha é uma coitada que pode causar bastantes danos ao nosso país. Que estarão a pensar os potenciais investidores? Que estará a pensar quem tem papéis da dívida portuguesa?
      Não sei que pretende a esquerda alcançar com tanta incapacidade; olhe tenho pena das pessoas que acreditam que a sua vida será melhorada com o roubo de bens a outros cidadãos.

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. Ó lenny, minha querida amiga, esta menina não sabe o que anda a fazer, a menina viu a entrevista na tvi ontem à noite? Foi uma completa vergonha, ahahaha. O que mais me impressiona é a moiçoila falar com toda a propriedade e com aquela arrogância típica dos fracassados. Olhe, uma risada, minha amiga. Continue com o bom trabalho!
    JP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, João Pedro!
      Ó caríssimo, resolvi não dar mais audiência a essa tonta: para mim ela mais o seu curso pechisbeque podem ir pastar para a Venezuela.
      Ouvi dizer que mencionou o presidente Obama, mas esqueceu-se de dizer que o mesmo afirmara que o capitalismo, nos últimos 25 anos, havia reduzido a pobreza mundial de 40 para menos de 10%.
      O JP já disse tudo: uma fracassada; porque aparentemente não sabem pensar em termos sustentáveis para reduzir a miséria e pobreza em Portugal, senão recorrer a velha e cansativa fórmula de o "rico que pague a crise".
      Eu tenho uma teoria na qual discutiremos pessoalmente o que deverá ser feito, sem ter que roubar nem extorquir a ninguém.

      JP, um abraço!

      Eliminar
  3. Olá Lenny,

    Esta moça é a mais recente celebridade portuguesa. Enviaram-me o video da sua entrevista na TVI, e sinceramente há que dizer que ela foi desmascarada como a vendedora da banha da cobra que é - sem dados concretos que suportem a sua ideia, matemáticas mal feitas, demagogia barata, e total desresponsabilização (mais conhecida como tirar a água do capote)...tudo num tom de voz delico-doce que em nada disfarça o nervosismo de quem teme ser apanhada em falso...e foi.

    Enfim, mais uma esquerdista oportunista com sede de holofotes. Mas como já disse por aqui, a poverella nem vê que está a cair numa armadilha.

    Bom trabalho, querido.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!
      A poverella é a ignorância personificada; é um inculta porque atira com citações que nem neste século nem na conjuntura actual fazem sentido algum; é daquelas mulherzinhas que gosta de chavões para que se diga que é inteligente, não sabe a bichinha que o saber é a arte da lógica, do bom senso, da razão por implicar reflexão e não metralhada na oralidade: é mais uma burra com curso universitário.

      Beijocas, querida!

      Eliminar
    2. Lenny, primeiro: perdoa-me a troca de género na palavra "querido". Segundo, concordo com o teu comentário em número, género e grau.

      Beijocas

      Eliminar
  4. Ainda só ouvi esta menina a falar meia dúzia de vezes mas foram suficientes para apanhar um padrão no seu discurso: gagueja e repete algumas palavras quando se perde no raciocínio - o que parece acontecer muitas vezes. Irei à procura de videos dela para traçar um perfil mais vincado da personagem. Mas o que consegui apurar até agora é que a jovem é invejosa e a sua causa baseia-se num trauma de infância, ou de adolescência. Complexo de inferioridade? Talvez. Vamos ver, mas este tipo de político só tem duas saídas: ou vira socialista para subir ao escalão desejado, invejado; ou de repente vira à direita para se vingar. De qualquer maneira o resultado será o mesmo - a sua hipocrisia será exposta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ha, deste-me uma boa ideia, agora! E olha, quando traçares o perfil dela envia-mo para eu produzir um texto, yah?

      Eliminar
    2. Olá, Cristina!
      Olha eu já tracei o seu pefil: por ser tão nova e com tanto ainda por viver, sendo tão ignóbil em tempo de despertar e de lançamento de ideias novas, por tudo isto, concluo que quando amadurecer será uma burra e uma falhada sem paralelo; pois ela não recua nem por nada, mesmo depois de se aperceber que não é sábio querer limitar um país e seus cidadãos por baixo.
      Mas se tiveres acesso a alguma coisita espectacular passa para cá, pois porei a boca no trombone.

      Ciao, bela.

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço