Gil: O Espião Português Que Se Vendeu Por Pouco



Frederico Carvalhão Gil, 57 anos, é um funcionário dos serviços de informações de segurança (SIS) portugueses que foi interceptado em Itália quando estava prestes a passar segredos de Estado.

Perfil

  • Agente de nível 2: a sua antiguidade permitia-lhe acesso a documentação considerada sensível
  • Agente correcto e de uma inteligência superior: não pronuncia impropérios, é elegante no trato e presumivelmente um elemento frio e calculista
  • Agente duplo: passava segredos sobre a OTAN aos Russos  

Ocorrência

Noticiou-se que o agente secreto que agora se encontra num dos calabouços italianos, terá enveredado pela aleivosia após o seu divórcio. Ora, o dito “atrás dum grande homem, está uma grande mulher” é uma falácia como outra qualquer, porque a maior parte dos meliantes que se destacam mundialmente são casados ou com mulheres tão ilícitas quanto eles ou com pobres desgraçadas que são simplesmente umas omissas. Portanto, se o agente Gil decidiu abertamente comportar-se como um canalha para com a Nação, e um desconsiderado perante os seus camaradas, nada tem a ver com o seu divórcio: o homenzinho já possuía um íntimo corruptível.

Diz-se que o agente Gil é formado em Filosofia; contudo, na minha humilde opinião, ele não ponderou sobre a causa e efeito da sua ilegalidade; a não ser que na busca do Conhecimento tenha chegado à conclusão de que a máquina de guerra Russa deva sobrepor-se à OTAN, por esta ser uma organização composta por países adeptos dum neo-liberalismo selvático que promove frivolamente a intervenção, e expansionismo bélico, e não a defesa das nações e respectivos povos com o faz a Rússia. No seu método investigativo, o agente Freddy pendeu para a Rússia de Putin porque o Ocidente está a perigar as nações ocidentais (com um multi-culturalismo negligente e a proliferação da mescla de ADN que descaracteriza a Europa); logo, o país dos oligarcas merece o seu voto de confiança.

Valor da Informação

Espiões traiçoeiros, duplos e/ou infiltrados não é nada de novo no mundo dos serviços secretos, mas eu estou absolutamente envergonhada e desapontada: então, este indivíduo vende segredos ao maior e único rival da OTAN por somente €10.000 contra cada entrega de documentos? Porque terá assumido um risco de tamanha magnitude? Por uma questão ideológica ou por falta de brio profissional?

Terão os russos obrigado o agente Gil a aceitar um pagamento simbólico para melhor o controlarem? Terão os russos uma hoste de operativos nos serviços secretos sob o comando do agente Carvalhão e, os dez mil Euros são para distribuir por essa chusma? Este comportamento do Freddy envia um sinal muito negativo sobre Portugal, por causa da sua inferioridade remunerável ficou estabelecido o seguinte: Portugal é um país reles, repleto de gente miserável que se vende ao desbarato.

Os meus respeitosos cumprimentos à unidade de contra-espionagem que conseguiu parar a actividade corrupta do seu colega.

Até para a semana

(Imagem: A Mudança de Guarda - Victor Ostrovsky)

[As opiniões expressadas nesta publicação são somente aquelas do(s) autor(es) e não reflectem necessariamente o ponto de vista do Dissecting Society (Grupo ao qual o Etnias pertence)]

Comentários

  1. Olá Lenny,

    Isto é uma vergonha para o país. Quer dizer, se um espião se vende pelo menos vende-se por uma quantia como deve de ser, mas se calhar o coitado não sabia como camuflar os rendimentos ilicitos. A Filosofia de nada lhe serviu, não é? Talvez o país comece a treinar espiões com os cursos certos, porque já se sabe que certas disciplinas pendem para a esquerda; esquerda-União Soviética; União Soviética-Rússia. Gente, os espiões devem ter cursos de CT, direito, línguas, contabilidade, IT, engenharia...cursos a sério. E nada de cunhas para a entrada nos serviços, há que fazer uma selecção cuidadosa de agentes (começando nos liceus e universidades).

    Mas pronto, a mensagem negativa acerca de Portugal já foi enviada. É uma pena.

    Bom trabalho, minha querida.

    Shabbat Shalom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E psicólogos também, né Max?

      Eliminar
    2. Carlitos, sem dúvida. Esses são importantíssimos mas ficam mais nos gabinetes ;). E há outros cursos importantes também, mas o tempo é escasso para fazer uma lista completa :D. Cumprimentos.

      Eliminar
    3. Olá, Max!
      Como não sabia camuflar rendimentos ilícitos? Bastava ter aberto uma conta num banco russo: quel idiot!

      Beijocas

      Eliminar
    4. lol Mas o que é isto, Lenny? Ainda vão pensar que sabemos coisas que não sabemos certamente...

      Eliminar
  2. Xii um espião que se vende por 10 mil euros só? Até africano se vende por mais do que isso hehehehe. Portugal é engraçado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Carlitos!
      Portugal é uma grande nação, que infelizmente está a ser gerida por idiotas, miseráveis e traidores.
      O facto do povo se calar, é desesperante logo: Portugal não é engraçado, é desesperante!

      Aquele abraço, meu resistente de Moza

      Eliminar
  3. Mas que espião tão pobrezinho! Pá, quando li acerca deste tipo fiquei chocada com o nivel dos espiões portugueses, porque se este era o melhor que o SIS tinha, então coitada da Tuga! Um ser superior, de inteligência superior, que se vende por 10K? Porra!!! Gente, contratem-me, serei mais competente e mais leal à causa HAHAHAHA! Shabbat Shalom, meus amores!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey, hey..!
      Em Portugal um ser superior e de inteligência superior é um ser apoucado com tendências esquerdóides; um agente secreto de alta patente, posta a sua fotografia nas redes sociais; um apartamento/moradia de luxo é sempre uma pirosice; e por aí fora.

      Olha candidata-te pode ser que sejas contratada.

      Boa semana de trabalho, minha linda!

      Eliminar
  4. Como podemos ter a certeza de que ele só vendeu informação sobre a OTAN? E porque os russos precisavam de um tuga para isso, lenny? Algo não cheira bem aqui, a sério! 10.000 euros de cada vez? Xii até um manxangana sabe se deve vender por mais hahahaha, mas também depende da quantidade de informação que ele vendeu né? Já tava com saudades de vocês. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Leila!
      Sim, concordo contigo; porque precisaria a Rússia de um espião português?
      ò pá nem que tivesse sido uma só linha; o camarada não tinha nada que se vender por tão pouco nem tão pouco aceitar ser o balão de ensaio dos russos.

      Estimei ver-te por aqui novamente.

      Aquele Abraço, amiga!

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço