O genocídio proposto pela UE na pessoa de Christian Berger


Bandeira da União Islamo-Europeia

Um: nas últimas eleições para o Parlamento Europeu, em nenhum progama eleitoral constava que Israel seria o tópico corriqueiro e recorrente da política externa da União Europeia.
Dois: se o anti-semitismo está a crescer na Europa e o islamismo está a ser abraçado é porque os políticos europeus incitam o ódio ao judeus e apregoam compaixão para com os sofridos dos árabes e muçulmanos do mundo inteiro.
Três: os europeus ainda estão convencidos da sua superioridade racial; e por este facto arrogam-se no direito de pensar que podem ditar a marcha do mundo - como vinham fazendo desde o século XV até aos meados do século XX. Pois bem, como diz um amigo “that ship has sailled”; porque desde a última década do século vinte até à data, os maometanos fizeram-nos o favor de acabar com o mito e hoje estamos todos a ser espezinhados, sufocados e catanados pelos muçulmanos de todas as facções.

Este intróito é para expressar a minha indignação quanto ao desmentido das ameaças preemptivas que foram “secretamente” elaboradas pela UE contra Israel.
As ameaças são o copy-paste das tão propaladas idiotices dos desmiolados do BDS Squad – pagos pelo Qatar, Arábia Saudita e Irão. Os coitados estão absolutamente convencidos de que pressionando Israel atrasarão o progresso dos judeus – as supostas torcidelas ao gasganete dos “sionistas” e Samaritanos vão desde limitar os acordos de cooperação até ao boicote dos produtos israelitas nos supermercados. Quão cretino é isto?

As tais ameaçadas veladas foram preparadas, e escritas, por um conterrâneo de Hitler que responde pelo nome de Christian Berger. As ditas deveriam entrar em vigor se Israel continuasse a construir casas para os seus cidadãos em seu território; se Israel não viesse a aceitar dividir a sua capital (Jerusalém) ao meio – tal como Berlim; se Israel se negasse a dar-lhes detalhes sobre a última campanha em Gaza que fora em resposta aos ataques dos “imaculados” do  Hamas e, talvez, se Israel não aceitasse beber o cálice de fezes diluídas e enriquecidas com yersinia pestis e mycobacterium tuberculosis preparado pelas nações maometanas e ministrado pelo seu criado favorito: a União Europeia. Estes fuínhas clamam que as acções de Israel estão a comprometer a sua visão para a criação de um estado palestiniano dentro das fronteiras de Israel.

Ó comprados de um raio, vocês estão-se a ouvir? Paternalistas duma figa, vocês não acham que conjuntamente com os turcos tenham defecado por demais no médio-oriente e no mundo em geral? Meus asnos, a vossa visão é mesmo sobre o quê e acerca de quem?
UE...vós sois a personificação do mal! Então querem que os judeus se deixem ensanduichar por duas facções arábes  terroristas que nem sequer se sabem governar? O Devil-Berger e a Cruella de Vil-Mogherini querem nos convencer que os europeus têm esse cacifo todo - i.e. garantir a sobrevivência dos judeus, se estes aceitassem viver entre o Hamas (em Gaza) e a Autoridade Palestiniana (na Judeia e Samaria), sem poderem ir orar ao monte do templo e posteriormente ao kotel e, ainda por cima terem como alicerces das suas casas os túneis armadilhados pelos “inocentes” dos arábes na Palestina?  
Mas que vem a ser esta fuckery? Quem vos deu a autoridade intelectual e moral de quererem lixar mais uma vez, o destino de um povo que regressou ao lugar donde foi arrancado pelos europeus? Quem foi que fez de vós os guardiãs da razão e do devaneio? Se querem mesmo ajudar a resolver o embróglio Israelo-Arábe, deixem que o assunto seja negociado entre quem despejou aquela gente ali – Egipto, Síria, Líbano e Arábia Saudita – e quem está a levar com eles – Israel; caso contrário desamparem o Médio-Oriente, sacando de lá para fora o vosso rabo.

Am Yisrael Chai significa que tu, Israel, nada deves temer - mesmo que os racistas esquerdóides, nazis, cobardes, salles fils de pute e corruptos da UE pensem que o seu arranjinho com os árabes, para mais uma vez vergar os judeus, está selado; significa que não te dobrarás sob pena de mostrares o nhófe, porque a UE é especialista em enculer tudo que não seja muçulmano e árabe. Não tenhas medo de mostrar o teu dedo médio ao continente americano – excepto Canadá – e quanto ao teu amigo EUA sê franco e diz-lhe “Sod off, não penses que Israel se vai imolar por causa do teu pepino árabe”.
Não temas declarar de uma vez por todas a Judeia e a Samaria como parte integrante de facto e de jure do território Israelita; e quanto à faixa de gaza, se o Hamas se armar em engraçadinho uma vezinha só que seja, não temas e faz o teu trabalho, até ao fim, porque Od Avinu Chai!

Ó UE, o Putin sabe muito bem que vós – menos a Alemanha – sois uma cambada de vendidos, por isso faz ele muito bem em anexar e protejer tudo o que esteja relacionado com a Rússia, visto que os Europeus poderiam vir a permitir em caso de confrontos étnicos, que minorias russas fossem sacrificadas a troco de uns cobres desembolsados pelos países arábes do costume, pela Turquia e pela Pérsia, como ficou provado com a minoria sérvia, que foi totalmente desconsiderada no Kosovo para o bem do islão.

Até para a semana!

Comentários

  1. Ah lenny, lenny...por onde começar?
    1- a UE está a querer distrair-nos da sua própria corrupção. Quer dizer, dizem-nos para votar nas eleições e depois lixam aqueles que votam! Sim, porque tenho a certeza que os árabes não foram votar em Maio, mas mesmo assim quem paga somos nós.
    2- a UE é de direita, maioritariamente, mas continua a fazer negociatas com os esquerdistas e a fazer-lhes as vontades. Porquê? O que é que querem? Só posso concluir uma coisa: a direita europeia é anti-semita, tal qual a esquerda.
    3- quando tudo começar a feder, esqueçam-nos!

    A Vaca da Mogherini chocou-me porque apoiei a candidatura dela ao posto que agora ocupa. Quiseram pôr lá uma nórdica mas fiquei contente quando a escolheram a ela, alguém do sul, do mediterrâneo...yeah, right! É tão perniciosa e hipócrita quando a Ashton!

    O Putin que apanhe a crimeia mas é. Tenho pena dos ucranianos, gosto deles até, mas assim verão que entrar para a UE é o mesmo que levar no cú, porque jamais estarão protegidos!

    Shabbat Shalom, minha cara!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey, hey....!

      A maléfica Mogherini é pior que a Ashton, porque se recusa a ver o erro da política externa da UE quando se trata de Israel: essa cabrona é burra: meu Deus que gente incapaz!

      Dizem que quarta-feira vão reconhecer um país fantasma chamado palestina: ó pá matem-me, porque regressarei como alma penada e assombrá-los-ei um a um até se borrarem de medo e começarem a tratar da Europa e não da casa alheia.

      EU if you have the need to subdue whatever, please try your own demons, for all of you, clearly, need to have a good fuck; because "Never again!"

      Só se Israel fosse uma prostituta barata, é que acataria ordens vindas de um impotente sem qualificação, que não é capaz de entender o preço disto e daquilo e que tudo, até mesmo a criação de uma região autónoma, há que negociar e só as partes interessadas devem falar e sem interferência de um chulo rasca: deplorável!

      Boa semana de trabalho, minha cara!

      Eliminar
    2. Hahahaha é isso mesmo lenny! O que eles precisam é disso: bom sexo! Espero que Israel que faça a coisa certa, mas é!
      E a europa que se meta na sua vida que está mal parada!

      Eliminar
  2. Ai valha-nos Deus! Mas o que anda essa gente a fazer pela europa a fora? Então mas foi para isto que eu votei, para entregarmos os continente aos infiéis? Ai não sei, lenny, mas agora estou preocupada! Rezarei pelo povo escolhido de Deus, os irmãos de Cristo!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Maria Joaquina!

      Os parlamentares da União Europeia são todos uns atrasados mentais; então a europa está numa crise sem paralelo devido ao número de jovens desempregados e em vez de tratarem deste problema, os idiotas estão concentrados em focinhar Israel?

      A Rússia anda a fazer incursões aéreas pelos países europeus e em vez de protegerem a Ucrania, os cretinos estão ocupados em reconhecer algo que não existe nem nunca existiu em lado nenhum: só para botar abaixo os judeus?

      Fui criada como católica apostólica romana, mas tenho família directa que é judia, por isso irei para o combate se preciso for para impedir que mais seis milhões de sionistas sejam dizimados por árabes mancomunados com europeus a direita e a esquerda.

      Pois bem meus racistas e vendidos: Nunca mais!

      Amiga, agradeço as orações pelos meus familiares e amigos; muito obrigada!

      Bjcas!

      Eliminar
  3. A bandeira diz tudo! E se o parlamento europeu reconhecer o falso estado estado árabe, que eles chamam de palestina, então a europa que se prepare! Estão-nos a arrastar para o abismo, lá na europa!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Anónimo!

      Os cidadãos europeus nem sabem o que lhes espera.

      Na Suécia, Inglaterra, Espanha e agora UE com o seu pseudo reconhecimento estão a dizer-nos que os cidadãos árabes e muçulmanos nos seus respectivos países têm mais valor que os seus cidadãos judeus: os primeiros são o creme de la creme porque os países árabes compraram os políticos e as instituições europeias; os segundos são o desperdício porque criam empregos na europa, e não enchem os bolsos dos legisladores europeus: é tão lindo, não é?

      Obrigada pelo seu comentário e boa semana de trabalho!

      Eliminar
  4. Olá Lenny,

    Primeiro, adorei a bandeira: vou usá-la.
    Segundo, infelizmente, é assim mesmo: os europeus naõ aguentam saber que há um estado de Judeus que não tenha sofrido os efeitos da crise de 2008-2010, um estado onde os Judeus são felizes e livres de se identificarem como tal, um estado forte e abençoado. Logo, há que criar um mecanismo de financiamento aos árabes, que a europa sabe bem que não vai para o povo mas sim para os corruptos dos políticos, para manter Israel na ponta dos pés a toda a hora e momento.

    Quanto à menina Francesca Mogherini: coitada, nem sabe o que lhe espera. Mais valia ter ido para lá uma nórdica.
    A UE dever-se-ia mas é preocupar com a Rússia, que está lhes está a cantar "nitaku hambela ximoko"...lol

    Bom trabalho, linda.
    Beijocas

    ResponderEliminar

  5. Olá, Max!

    Aos parlamentares europeus só tenho uma coisita para dizer: no matter what, Israel shall overcome and prevail forever!

    Quando olho para a diaba Mogherini mais a sua pérolas, juro que me lembro logo da pópóta.

    Beijocas e boa semana de trabalho!

    ResponderEliminar
  6. Aqueles gajos da união europeia já me estão a chatear. Mas lá adiaram o voto do reconhecimento do falso estado da palestina...terá sido o Papa?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Carla!

      Se foi o Papa, devemos todos agradecer ao Vaticano, por ter lançado luz naquele covil de ignorância chamado Parlamento Europeu.

      Um abraço!

      Eliminar
  7. Israel não deve ceder às pressões da união europeia. Se ela não quer dar tax breaks a israel então não dê mas não se meta onde não deve!
    Me pergunto porque a ue não se esforça por pôr os países árabes na linha, eles que desrespeitam as mulheres, que assassinam gays, torturam jornalistas e activistas políticos e forçam toda a gente a ser muçulmano? Mas é fácil perseguir a única democracia da região!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço