Investigação a Passos Coelho: Promiscuidade & Amiguismos

Pagamento Devido -  Georges de la Tour

Hummm... Lembram-se do processo Face Oculta em que o ex-primeiro ministro José Sócrates aparentemente aparecia numas escutas em amena “cavaqueira” com o seu ex-sócio e amigo Fernando Vara?
Sim, lembram-se do banqueiro que andava enrolado com o ex-primeiro José Sócrates e que caiu em desgraça arrastando na lama o bom nome da sua família só porque irritou o governo do primeiro ministro Passos Coelho?  
Agora, justo agora às portas das eleições de 2015, estamos novamente perante insinuações de corrupção por parte da classe política e desta vez o nome do primeiro ministro Passos Coelho está na luz da ribalta.

Não quero saber se recebeu pagamentos dessa dita ONG nem tão pouco me interessa se fugiu ao fisco nem se não. O que me espanta em mim foi não ter dado ouvidos à minha boss Max; esta aconselhara-me a não votar no PSD, já que após ouvir o sr. Passos Coelho, nos debates e comícios dos social-democratas, chegou à conclusão de que ele não merecia liderar Portugal por não saber falar Português. Ri-me a bom rir, votei no PSD, o meu partido de sempre: merda, se arrependimento matasse!

Eu vou partir e explicar o significado de “Deputado em regime de exclusividade” num português simplificado que seja compreensível mesmo para alguém que não tenha completado o ensino secundário:
1- Deputado: pessoa que em princípio foi escolhida por um grupo através do voto popular para representar e defender os interesses desse grupo em sede própria (neste caso Assembleia da República)
2- Regime de exclusividade: enquanto o mandato estiver em vigor o representante do dito grupo está proibido de estar fisicamente em algum outro lugar que não seja a Assembleia da República; está também  interdito em absoluto, de trabalhar, assistir, servir, consultar para mais alguém que não seja o grupo que o elegeu nem que seja a feijões.
Meus caros, digam-me o que há de complicado ou de incompreensível no acima exposto? Nada!

Há uns anos atrás houve também um mega processo (que prescreveu) sobre fundos da União Europeia, em que esteve envolvido o sindicalista socialista Torres Couto. E agora a tal ONG (a já falida Tecnoforma) afinal também foi formada para captar fundos da União Europeia - os envolvidos são indivíduos do PSD.
Nos dois casos, os fundos seriam supostamente utilizados na formação de trabalhadores, nisto e naquilo.
Recordo-me que um conhecido meu também serviu de testemunha num processo envolvendo uma organização chamada Gira que igualmente utilizava fundos da UE para dar formação aos esquizofrénicos: dá para acreditar? Pois creiam meus senhores porque o dinheirito da formação esfumou-se.

Estes dinheiros da União Europeia são o maior logro de sempre, são os tentáculos da corrupção, são o maior escoamento de dinheiro para o esgoto do amiguismo, e não formam porra alguma porque não há resultados palpáveis visto que os trabalhadores portugueses, independentemente do sector, são mal educados, não trabalham com afinco, não se auto-superam e não buscam a perfeição. 
Conclusão: este país, em matéria de capital humano e recursos humanos, é uma lástima.

Agora já entendi porque razão os políticos não decretam um salário minimo dignificante para o trabalhador e futuro reformado; eles trabalham para esses empresários de meia tigela - i.e. a troco de despesas de representação ou de pagamentos de comissões ou de participação no investimento, os políticos servem-se da sua posição e conhecimentos do mecanismo de distribuição dos fundos da UE para ajudar esses fraudulentos a encherem os bolsos e a lixar os ditos formandos.
Para acabar com o flagelo dessas pseudo empresas de formação e cooperação, atrevo-me a fazer uma sugestão: os fundos para a formação de trabalhadores devem ir directamente para as empresas onde trabalham os futuros formandos; fundos esses que devem entrar na contabilidade das empresas que os recebem e, se os administradores das empresas receptoras cometerem fraude devem ir, de imediato, para a prisão tal qual iriam por defraudarem o fisco e a Segurança Social.

Premier Passos, neste espaço já lhe roguei que aumentasse o salário minímo para €1.000 e, aqui também o aconselhei – não que precise de mim, mas meto-me na mesma porque teve o meu voto – a abrir os olhos; por favor oiça: estou-me nas tintas para os rumores, mas se houver prova de que ignorou o “regime de exclusividade” pouca importa a razão, o senhor sabe o que tem a fazer.

Meu Caros: vou de férias. Até ao meu regresso!

Comentários

  1. Sim, senhor! Quer dizer, eu votei neste homem e agora vimos a saber que o gajo fugiu ao fisco? Vimos a saber que ele não respeitou as regras? UAUuuu quem quer que tenha enviado essa carta a denunciar a infracção deve almoçar com o Seguro todos os dias, o timing é suspeito!
    Mas se o sócrates escapou ileso da sua corrupção, o coelhinho também o fará se for esperto! Lenny, boas férias: quanto tempo estarás fora? Teremos saudades, pá!
    Shabbat Shalom, meus amores!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Hey, hey, hey....

      O mais certo é a dita investigação não dar em nada; mas se der o processo irá prescrever concerteza.

      Amorosa, tenho 30 dias de férias contudo postarei um artigo de 15 em 15 dias, assim as saudades não serão excruciantes ;).

      Shabbat Shalom, Amorosa!

      Eliminar
  2. Olá Lenny,

    É por estas e por outras que defendo uma profunda reforma política: os candidatos políticos devem submeter-se a um profundo escrutínio não só popular mas de certos grupos (após estes também terem sofrido uma severa purga). A política não foi criada para enriquecimento pessoal ou para amealhar; mas sim para gerir os interesses da maioria (i.e. democratia). Quem não compreender isto, não deve ter ambições políticas, ponto final.

    Então o PM Passos Coelho é português, vive em Portugal, governa o país e não sabe como ele funciona? Mau Situational Awareness. Qualquer indivíduo no seu lugar ter-se-ia precavido...e mais não digo.
    Sabes o que Portugal está a precisar? De crisis managers...vou pensar nisso.

    Bom trabalho, linda. Desejo-te boas férias e vemo-nos para o mês que vem.

    Beijocas e Shabbat Shalom

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ola´, Max!

      Em Portugal, os deputados pensam que podem contornar as regras: sabe-se lá porquê?

      Será que não? Olha os presidentes ladrões em Àfrica, que conseguem ser bilionários num abrir e fachar de olhos e ninguém lhes diz ou faz coisa alguma.

      Deste lado é um bocado mais difícil, mas os políticos servem-se da sua posição como rampa de lançamento para garantirem o seu futuro no sector privado.

      Crisis Manager? Ó pá contrata-me, serei aquela pessoa que lhes vai chamar todos os nomes e depois passo-as para ti e para a tua team ;).

      Shabbat Shalom!

      Eliminar
  3. Lembro-me bem deste blogue ter feito campanha pelo PSD, como é que a sua patroa lhe poder ter dito para não votar no Passos Coelho?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Anónimo!

      Embora a minha patroa penda mais para o CDS: neste blogue a maioria prevalece por isso fizemos campanha pelo PSD.

      Fomos todos aconselhados a ver os debates e a seguir de perto cada partido; a Max é peculiar e quando o actual primeiro ministro cometeu três erros gramaticais, ela de imediato sugeriu que votassemos no CDS de Paulo Portas.

      Ela votou no CDS e os seus colaboradores (inclusive eu) votaram no PSD. Se, repito se o então deputado sr. Passos Coelho realmente ignorou a regra e o princípio do "Regime de exclusividade" então: ele de facto não entende português.

      Obrigada por passar por aqui, volte sempre.!

      Eliminar
  4. Lenny, primeiro quero congratulá-la pela bela explicação a esse anónimo que não tomou tempo para estudar os autores deste blogue, Deus lhe perdoe! Segundo, minha cara, ainda estou a tremer com esta história, já imaginou se se provar que o PM realmente violou as regras? Que escandaleira!! Olhe, hoje tive que rezar com afinco para não perder fé n a humanidade, minha cara!
    Boas férias que são bem merecidas!

    ResponderEliminar

  5. Olá, Maria Joaquina!

    O jurista prof. Marcelo Rebelo de Sousa diz que o premier Passos Coelho não infringiu nenhuma regra, mas o impressiponante é o próprio não se recordar de coisa alguma; quão bizarro é isto?

    Obrigada, minha amiga, até ao meu regresso!

    ResponderEliminar
  6. Minha cara, boas férias! Ouvi falar deste caso e sinceramente ainda não desenvolvi uma opinião acerca disto. Vamos lá ver mas acho que isto poderá vir a prejudicar a campanha do PSD....

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço