Quebra de Etiqueta: Discutir Religião, Fé e Descrença

Retrato de um Frade - Carlo Ceresa

Tenho uma amiga que se converteu ao novo modelo de cristinanismo, “nascidos de novo” e, durante o nosso chá semanal, a Silvie quebrou a regra ao falar da sua fé.
Enquanto a Marta – bi-polar – se dirigia à nossa amiga no seguinte tom “Ó parva, às quarta-feiras, estás interdita de nos falares do teu radicalismo; além do mais, nós somos porcas, por isso não nos dês pérolas...capisce?”; eu estava no processo de me familiarizar com a iguaria macrobiótica que a Silvie candidamente apelidou como “dónute sem glutén”. 
Não sei por que razão a minha mente, imediatamente, depreendeu que talvez se estivesse diante dum pedido de ajuda encapotado; portanto decidi dar-lhe espaço.

Entretanto no meu cérebro fervilhavam ideias de como o chefe pasteleiro, Rudolf van Veen, faria para melhorar o dito dónute sem glutén e, eis que a Silvie afoitamente me acusou de vaidade, pois na sua óptica eu não precisava nem de me pintar nem de usar ornamentos, porque Deus me criara sem maquillage de espécie alguma. Ora, todas no grupo estavam cientes da minha falta de pachorra, e por isso olhavam para mim quando lhe perguntei “Quando foi que Deus te passou uma procuração para falares em seu nome? Compreendo e aceito que cada ser humano tenha o direito de procurar e dirigir-se a Deus, como lhe for mais conveniente; mas não tens o direito de te auto-nomeares assessora do Criador!” 

A Marta também decidiu quebrar o protocolo e prosseguiu a senda iniciada pela Silvie. 
Fechei os meus ouvidos e encetei uma conversa comigo própria – visto que quase toda a gente tem conversas com Deus (ateus incluídos). Perguntei-me se teria sido racional da minha parte estabelecer que nunca se discutisse sobre religião, fé e descrença; mas pelo comportamento das minhas amigas, concluí que a minha decisão fora mais que justificada:  
Para uns, Deus é um ser que deve ser deixado em paz; para outros é um sanguinário; para aqueloutros é o causador dos seus problemas; para os ateus Ele não existe porque uma vez perante a adversidade, Ele não responde.

Como não tenho paciência para essas minoridades, prefiro não falar sobre Deus com ninguém, porque lembrei-me que numa noite de verão quente e húmida, deitada na esteira, debaixo dum céu repleto de estrelas cintilantes, a minha avó foi a pessoa que me fez entender quem é Deus; foi a pessoa que me disse que o Criador era uma Força que se sustém de todos os que já partiram deste lugar e de outros controlados por Ele. Devido à partilha espiritual com os nossos antepassados, essa Força está constantemente presente; move-se como um vento leve de uma suavidade silenciosa; quem for capaz de captá-La, aceitá-La e conduzir-se segundo as tradições da sua família e observando o respeito pelos espíritos doutras famílias; essa pessoa será um ser feliz, uma vez que encontrou Deus.

Finda a conversa comigo mesma, mandei calar as duas neuróticas; dizendo à católica (Marta) “Falta-te compaixão; és maníaco-depressiva por falta de caridade; cura-te!”; e dizendo à evangélica (Silvie) “Estou feliz que tenhas re-descoberto Jesus e que agora possas ler a Bíblia Sagrada a teu belo prazer; mas para mim, Deus não é uma busca. Para mim, Deus não é uma questão de Fé. Para mim Deus é uma certeza e Ele vive em mim!”

Até para a semana!   
  

Comentários

  1. Olá Lenny,

    A tua relação com Deus é absolutamente linda - que Deus te abençoe!
    Quanto às tuas amiguinhas: hoje em dia parece que a polémica é que está a dar e todos querem ser protagonistas das série lol :).

    Com que então, vais melhorar o dónute sem glúten, huh? Depois quero provar.

    Beijocas e Shabbat Shalom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max?

      Tenho um primo que diz: "mulher, discos e livros não se emprestam" e levava isto tão a sério que se queriamos ler um livro tinhamos que fazê-lo na sua casa e o mesmo se aplicava à música.

      Não é novidade a minha propensão para a polémica; mas o combinado, entre amigos, deverá ser respeitado, sob pena de arruinar a amizade.~

      Bjcas, minha amiga!

      Eliminar
  2. Ó lenny, mas que texto tão bonito, minha cara! Olhe, a minha parte favorita foi: "para mim, Deus não é uma busca. Para mim, Deus não é uma questão de Fé. Para mim Deus é uma certeza e Ele vive em mim!” Amén, amén e amén! Que Deus a abençoe hoje e sempre! Perdoem-me a ausência mas desde que o período de peregrinação começou tenho andado ocupada. Em breve estarei de volta, e vocês não têm férias?

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Maria Joaquina!

      Ó caríssima esteja a vontade! Como vê desta vez estou a responder com duas semanas de atraso devido a tantos afazeres; mas cá estou eu de volta e esperarei por si, aqui neste nosso cantinho.

      A Max já entrou de férias, a outra colaboradora (Cristina C.Giancchini) também; eu, se Deus quiser entrarei em Setembro.

      Amiga, Deus a abençoe hoje e sempre!

      Bjcas

      Eliminar
  3. Ai as suas amigas são umas mimosas. Mas esqueceram-se da regra de ouro: desporto, religião e política nunca se discutem. Eu confesso que também quebro a regra por vezes mas também tenho consciência de que o meu erro sempre acaba mal hehehe. Bom fim-de-semana, lenny.
    JP

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá JP!

      Eu também as acho uns amores-perfeitos. Não se esqueceram, gostam de me desafiar!

      O que se passa é o seguinte: nos grupos há sempre alguém que pensa que pode dizer e fazer tudo; que irritante!

      Há quem pense que, as regras foram feitas para serem quebradas :)

      Bom fim-de-semana, JP!

      Eliminar
  4. Haha parece que estou a vê-la a meditar em como melhorar a receita enquanto as suas amigas discutem uma com a outra, lenny! Que descrição tão real! A lenny é engraçadíssima!!!! Fé e religião são duas coisas privadas que prefiro não discutir com pessoas, mas às vezes somos empurrados para isso.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Carla!

      Ó Carla, já sei como fazer a receita sem glútén, comprei Goma Xantana no Celeiro (uma roubalheira), é o que acontece quando não há concorrência.

      Vou aperfeiçoar a coisa e depois mandarei o docinho com o recheio de lima-limão!

      Agora mais que nunca, tenho também sido obrigada a entrar em discussões apaixonadas sobre religião, devido a conjuntura mundial: enfim!

      Bjcas!

      Eliminar
  5. Olá meus amores! Maria Joaquina, é bom vê-la de volta, já tínhamos saudades suas! :-)
    Ó Lenny, sinceramente as tuas amigas são ainda mais doidas que as minhas! Hehehehe mas pronto, ao menos divertem-se, não é? Eu também quero provar esses teus dónutes, mas faz-me um favor: com glúten, please!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Hey, hey, hey...

      Eu também estava com saudades dela; confesso!

      As minhas amigas são uns narcisos: amo-as! Divertimo-nos imenso, cada uma delas dá-me algo para nutrir a minha mente e assim prevenir a morte dos meus neurónios por falta de actividade :)

      Conforme o pediste, assim será, pois esses são faceis de confeccionar!

      Bjcas, darling!

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço