Liberdade Religiosa na Europa? Só Para Alguns...



Os Cristãos estão sob ataque em todas as frentes. Quando não estão a ser assassinados pelos Islamistas, estão a ser impedidos de celebrar as suas festividades em países muçulmanos ou proibidos de usar símbolos cristãos no local de trabalho, em nações ocidentais.

Qual o problema principal que serve de base a esta perseguição aberta? O apaziguamento.
O Ocidente tem estado a levar a cabo uma campanha de apaziguamento há demasiado tempo: começa com a media e acaba com a esfera política. Contudo, o que é mais chocante é que nem sequer a Igreja Católica parece impermeável à Abordagem de Pacificação.

Vejamos alguns exemplos do quão longe a situação foi:

A. Cristãos, em Inglaterra, perderam o seu emprego porque se recusaram a esconder a cruz que usavam ao pescoço. Contudo, aos indivíduos muçulmanos é-lhes permitido usar a burqa nas ruas de Londres (e outras cidades) se assim o desejarem.

B. Árvores de Natal estão a ser substituídas por expressões artísticas para não ofender as comunidades muçulmanas.

C. Portugal, Espanha e outros países europeus baniram o crucifixo nas escolas porque "o símbolo cristão viola os direitos de liberdade religiosa das crianças" (eu gostaria imenso que me explicassem como. Ainda que eu não fosse cristã, estudei em escolas onde o crucifixo estava presente; tive aulas de Religião & Moral [ou seja, aulas de cristianismo] e nunca senti que os meus direitos à liberdade religiosa estivessem a ser violados porque eu sabia quem, o quê, eu era e o conhecimento só contribuiu para a minha liberdade intelectual)

D. Na Europa existem agora as chamadas zonas "No-Go" para os não-muçulmanos e anúncios/outdoors que sejam considerados ofensivos à fé muçulmana são vandalizados.

Os exemplos acima dispostos são extraordinários porque a identidade, senão a liberdade, cultural e religiosa europeia está a ser erodida perante os nossos olhos. Esta erosão, devido à indolência política (muito provavelmente devido à corrupção), está a abrir caminho aos partidos fascistas de direita que começam a reconquistar terreno na Europa e, a penetrar no coração do eleitorado.
Quanto mais estará o ocidente disposto a sacrificar em nome do dinheiro? Pode parecer conveniente aceitar fundos árabes para tapar buracos económicos e financeiros; mas não devemos esquecer que com essa conveniência vem muita pressão política, académica e mediática para não se mencionar o óbvio e, a longo prazo, o resultado poderá ser o indesejável: o regresso da extrema direita ao poder (como consequência daquilo que alguns já chamam de "Ocupação Sem Tanques ou Soldados").

Devo reconhecer que o PM David Cameron teve demonstrou fortitude quando, recentemente, se descreveu como sendo Cristão e defendeu os Cristãos ao dizer que ele quer "certificar-se de que os cristão recebem o apoio que merecem e que fará o que puder para remover qualquer obstáculo que impeça a proliferação de igrejas e grupos cristãos" e que "o governo falará contra a perseguição a cristãos". Outros políticos europeus, especialmente do centro e da direita, deveriam seguir o exemplo de David Cameron em nome dos valores e tradições europeus - de modo a prevenir uma extrema tragédia.

Nota à parte: para os nossos Irmãos Judeus que estão a sofrer perseguições na Europa - uma Aliyah em massa é a resposta para os problemas da comunidade. Agora temos uma Casa. 


Comentários

  1. Infelizmente esta é a realidade em que vivemos! É quase uma repetição da história, não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anon :D!

      É isso mesmo, é praticamente uma repetição histórica. Só espero que consigamos ter o mesmo sucesso de outrora...
      Muito obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar

  2. Olá, Max!

    Os muçulmanos em Espanha, em pleno século XXI, tentaram medir o pulso à igreja católica espanhola ao exigirem a devolução de uma igreja que fora conquistada aos mouros; os padres concordaram em ceder-lhes uma parte do templo para os seus serviços religiosos; os muçulmanos recusaram porque para esta gente é tudo ou nada.

    Os espanhóis então disseram-lhes: vão dar uma curva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lenny :D!

      Lembro-me bem dessa história e se não me engano, foi em Sevilha. Os muçulmanos queriam de volta uma mesquita (lindíssima) de volta, só que como agora é uma igreja católica ninguém...
      É isso mesmo: com esta gente é tudo ou nada.

      Lenny, muito obrigada pelo teu comentário :D.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Valha-nos nossa senhora! Temos de rezar muito para que Deus nos Livre destes infiéis que são os filhos da espada de moamé, porque nos estão a tomar de assalto, cruzes credo! Nem quero imaginar que me dissessem que não posso usar o crucifixo ao pescoço ou que não posso ter a nossa senhora no meu carro só para não ofender muçulmanos! Onde fica a minha liberdade religiosa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria :D!

      Como diz o título deste artigo: a liberdade religiosa é só para alguns, minha cara.
      Que Deus a abençoe!

      Maria Jo, muito obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço

      Eliminar
  4. Nesta altura do campeonato, não quero saber se a Europa explode ou não (por escolha própria)! Eu já decidi que irei fazer a aliyah. E pensar que estamos quase a celebrar o Shoá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :D!

      Vai fazer aliyah? Que bom! :D Seria fabuloso que outros lhe seguissem o exemplo.
      Pois é, é já no domingo...

      Minha querida, obrigada pelo seu comentário e boa sorte :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço