Introdução à Política: Como Fazer...

Planeta Terra (Fonte: Space Nasa)

Como distrair o eleitorado
Quando o governo está a resolver um problema grave (ou a tentar impedir que uma bomba seja publicada), tudo o que há a fazer é entreter o eleitorado com assuntos pouco importantes. O governo tem de criar manobras de diversão tal como um desentendimento entre o PM e um dos seus ministros; iniciar debates controversos como a adopção/co-adopção por parte de Gays; lançar o rumor de que as escolas primárias irão ensinar a teoria do género; expôr a privada vida "complicada" do presidente, afim de se camuflar a sua incompetência (audiência francesa); ou elaborar projectos de lei que o governo sabe bem que jamais passarão na assembleia da república, apenas com o único intuito de desviar a atenção das pessoas do verdadeiro problema.

Como informar o povo que o Regime irá mudar
O governo é sempre o primeiro a aperceber-se da mudança de qualquer situação. Por isso, quando o eleitorado recebe a informação de que aqueles que administram o país têm fundos escondidos nas Ilhas Virgens, deve logo inferir que o regime está gradualmente a colapsar e que, por isso, os políticos estão a garantir o seu futuro conforto.

Como mascarar uma agenda política
Precisas de montar uma ONG para alimentar os que têm fome, para ajudar os refugiados aqui e ali, para vestir os nús; levar água aos sedentos, luz aos cegos etc. Depois de fazeres prova de intenção, começas a receber dinheiro de certos governos que irão ditar a tua agenda. Sabes bem que não é suposto seres político, mas se quiseres continuar a receber os fundos, tens de o ser. Com este dinheiro irás ajudar pessoas mas também irás tirar partido dele para fazer nome para a organização; depois precisarás de celebridades que se tornarão embaixadores (eles pensam que se estão a juntar a ti para angariar fundos quando na verdade a sua utilidade serve para te conceder credibilidade e validação), mas quando esses embaixadores não apoiam o movimento BDS...convida-os a sair da ONG com efeito imediato. E mais um detalhe: certifica-te de que o teu business nunca acaba, para isso tens de contribuir para a perpetuação dos problemas sociais - para isso necessitarás de fazer alianças vitais com algumas pessoas duvidosas do mundo empresarial e aprofundar as existentes com os governos que te alimentam.
Organização não-governamental: ser fundamentalmente governamental ou não ser, essa é a questão.

Como fazer política obsoleta
Praticamente só terás de tentar agradar a gregos e a troianos. Como político, ao procurares ser eleito, prometerás o mundo às pessoas. Prometerás mudança, prometerás uma nova era, prometerás baixar os impostos e resolver os seus problemas; prometer-lhes-ás a lua. Contudo, quando conseguires o que queres...esquece o povo.
Se fores um político honesto, com ideias românticas e valores, fica sabendo que quando chegares ao poder, serás informado acerca de tudo o que precisa de ser corrigido na política nacional; depois assim que dês a tua opinião, o establishment olhará para ti e dir-te-á "Repense e diga-nos o que fazer." porque há certos mecanismos em acção que não é conveniente tocar: Dinheiro do Deserto (que envolve muito lobbying - outra indústria na qual não se deve tocar, seja ela legal ou não); exploração de petróleo, gás e minerais em países que violam os teus princípios e valores democráticos etc etc...por isso, engole o teu orgulho e permite o business as usual.

Como fazer política evoluída
Abres os braços tanto a gregos como a troianos; contudo, pesas os benefícios e os custos económicos e de segurança nacional, de lidar com os dois, a longo prazo. Se os gregos estão mais próximos de ti - em termos de valores e princípios democráticos - se eles te concederem vantagem tecnológica, inteligência e aumentarem a tua capacidade militar, então precisas de os apoiar. Se os troianos não partilham os mesmos valores e princípios democráticos que tu; se, apesar das trocas comerciais entre os vossos países, eles injectam dinheiro no teu país para converter gente em massa à sua crença e, apoiar ataques a alvos e interesses nacionais...precisas de os manter por perto, só que envias as mensagens certas.
O político da nova era é mais corajoso e menos hipócrita, ao mesmo tempo que mantém relações convenientes com toda a gente presente no coliseu político - incluíndo os pequenos-mas-estratégicos e os aparentemente pequenos.

A política não é um jogo fácil. Contudo, isto é o século XXI e é inaceitável que os políticos ainda se agarrem à velha maneira de fazer as coisas...especialmente quando o comportamento do eleitorado está a mudar a um passo acelerado.


Comentários


  1. Olá, Max!

    Estás a pregar no deserto, porque infelizmente "money makes the world go round"!

    A maior parte das pessoas vai para a política porque não tem capacidade para enfrentar e lutar contra a incerteza; então fazem tudo por tudo para serem eleitos: chegando mesmo a vender a sua alma a doadores que ferem de morte os seus princípios.

    Não sei se já reparaste que apesar das manobras acima descritas por ti, o mundo parece envolto numa energia estranha; parece que o mundo parou e no entanto a destruição está activíssima no globo: que bizarro!

    Bom trabalho, minha linda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lenny :D!

      lol se calhar até estou...

      Infelizmente, falaste uma grande verdade. A maioria dos políticos está ali porque não conseguem vingar na via privada, e não por amor à causa.

      Já reparei já...é muito estranho.

      Obrigada, Lenny, pelo comentário e pelo apoio :D.

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Haja paciência para aturar tanta maluquice. Olhe, Max eu ás vezes só me apetece desligar-me do mundo e dedicar-me inteiramente ao Senhor! As ONGs são um logro! Só nos devemos fiar nas missões católicas! Deus vos abençoe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria Joaquina :D!

      Concordo quanto às missões católicas. Nem todas as ONGs são um logro, ainda há umas quantas decentes pelo mundo que fazem um trabalho fabuloso. O que não gostamos é da hipocrisia.

      Maria Jo, obrigada pelo seu comentário :D.

      Um abraço, minha cara

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço