José Eduardo dos Santos e Portugal: Caíu o Nível

Eduardo dos Santos (Fonte: Google Images)
O presidente de Angola José Eduardo dos Santos, no discurso sobre o estado da nação angolana, diz que tudo é um mar de rosas por aquelas bandas, excepto no que se relaciona com Portugal. Por isso, diz-se disposto a pôr término à parceria estratégica luso-angolana, devido a incompreensões em certos sectores portugueses e, ao clima político que se vive em Portugal.
Angola está no seu direito.

1º - Incompreensões ao nível da cúpula 
É do conhecimento público que alguns angolanos, na área dos negócios, estão a ser objecto de uma investigação por parte da Procuradoria Geral da República; e isto está a chocar a cúpula do governo em Angola porque:
a) A elite governatriz angolana não está habituada a ser questionada;
b) A rapaziada desse clube está convencida de que não deve satisfações, a quem quer que seja, quanto à origem da sua fortuna e, as leis sobre política monetária internacional não lhe dizem respeito;
c) O governo português não trava a dita investigação; através de uma chamada telefónica ao Procurador Geral ameaçando-o com uma substituição.

Senhor presidente Eduardo dos Santos, não sei se recebeu alguma promessa, mas se por acaso o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, como quem não quer nada, tentou saber alguma coisa sobre o processo que envolve algum conhecido seu; ele deveria ser igualmente investigado e quiçá preso; porque estaríamos perante um caso de corrupção.
Caro presidente José Eduardo dos Santos, espero que compreenda a incompreensão porque, em Portugal, o sector Judicial é aquilo a que nós, deste lado, designamos por 3º poder e, este não só é absolutamente autónomo como também o garante da equidade judicial. Nada, ninguém, nem coisa alguma pode interferir com o curso do seu funcionamento.

2º - Clima político actual reinante nessa relação
Mas presidente Zeca dos Santos, o clima político actual é uma adversidade pela qual os portugueses têm de atravessar para que a casa portuguesa possa estar livre de preocupações financeiras, e sociais, podendo assim colaborar melhor na reconstrução da comunidade lusófona. E, creia-me, todos precisam dessa inter-ajuda: Portugal com o empurrão dos PALOP reganhará voz na cena internacional e virá a ser um bom interlocutor para a causa destes; Angola, Moçambique (terra que me viu nascer e crescer até aos 19 anos), Cabo Verde, S.Tomé e Princípe e Guiné Bissau poderão alcançar aquilo que V.Exa deveria ter implementado no seu país - porque até a data foi só desapontamento.
Ouvi dizer que em Angola alguém dissera que portugal, devido à actual crise, está mais parecido com a Guiné Bissau do que outra coisa qualquer. Sabe bem sr. presidente que isso não ofende os portugueses, porque a malta deste lado joga noutra liga; ok? Com isto, sr. presidente dos Santos, eu que não sou uma africanista (porque, cá está, o clima político actual em África irrita-me - melhor ainda, enfurece-me; mas sou uma fã e torcedora do grande potencial dos povos africanos), gostaria de lhe lembrar que não deve cair no conto do vigário desses tais investidores e turistas que agora lhe demonstram o seu interesse. Com isto não estou a dizer que outros não devam ajudar no desenvolvimento desse imenso país; mas eu já vi - e o senhor também - que nem tudo o que reluz (no seu caso) é diamante.

Senhor presidente, qual é a real razão da sua frustração? Os negócios dos angolanos em Portugal vão de vento em popa; se têm sócios portugueses é por razões pessoais, não por imposição legal ou coacção. Pergunte à Bebel se aqui não tem tido tratamento de primeira! Está certo, as pessoas dizem que os fundos investidos aqui por ela são o suor do povo angolano; mas também dizem que o patrão da Sonae começou o seu império com dinheiro roubado à viúva do seu ex-patrão; dizem que o sr. Amorim (associado de sua filha) começou sua fortuna através do roubo de cortiça nas fazendas alentejanas...diga-me lá se o tratamento não é equitativo?
Quer mesmo mandar os doentes angolanos para serem tratados em hospitais públicos na América, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, China, Rússia?
Quer mesmo ficar a dever a empresários desses países anos a fio?
Quer mesmo convencer-se de que o governo de Angola poderá investir nesses países sem escrutínio?
Quer mesmo iludir-se pensando que os angolanos poderão ir em massa fazer turismo para esses países?
Estará a dizer-nos que agora finda a operação de lavagem de fundos, dando razão à procuradoria da república, pode pegar neles e investir em países Blue Chip?

Não sei o que espoletou a sua reacção, mas (nota bene: não estou, e correndo o risco do senhor pensar que estou, a insultá-lo), quero dizer-lhe que mais vale manter-se na companhia do diabo com quem partilha afinidades, do que aquele que não conhece. Porém, se achar que o meu conselho é merdoso, senhor presidente faça o que lhe aprouver – como qualquer outro ditadorzeco – porque como soa dizer-se: Portugal e os portugueses sobreviverão!      

Comentários

  1. Sinceramente...

    Olá Lenny,

    Estou estupefacta. Eu só posso concordar contigo: José Eduardo dos Santos já obteve tudo o que queria de Portugal e agora está a querer limpar as pegadas. Se tivesse que apostar, eu diria que o processo de lavagem está completo.
    Mas Portugal não deve desistir da investigação...queremos saber quem está por detrás deste ilustre presidente.

    Bom trabalho, como sempre :D.

    Beijocas e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Max!

      Não percebo esta birra do presidente de Angola; alguém deveria explicar à cúpula angolana que, em portugal ninguém está acima da lei.

      Bjcas e boa semana de trabalho

      Eliminar
  2. Ahahahaha...O Zéquinha está chateado, é? Pensava que iria fazer farinha com os Pulas e sair incólume? Pois é, os Pulas estão a mostrar-lhe como é!
    Gosto quando Portugal mostra a sua verdadeira raça, a raça Lusitana! Já vos demos demasiado tempo e espaço para brincarem com dinheiro do povo angolano! Olha, José Eduardo....vai mas é construir escolas e hospitais na tua terra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey, hey...

      Espero que o enviado do governo seja capaz de explicar que, a Procuradoria irá até ao fim; mas se os investigados forem inocentes, estes poderão ir aos tribunais Portugueses e pedir uma compensação financeira por terem sido expostos sem culpa formada.

      Enfim isto é só uma ideia.

      See you next week, bjcas!

      Eliminar
  3. Isto não será converseta para consumo interno, não? É que isto não faz sentido nenhum! Como é que vão fazer com a Galp, com o BPN, a ZON e tudo o mais onde tenham enfiado o dedinho? Isto é tudo muito estranho!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Ola, Carla!

      Se calhar vão vender de volta, ao verdadeiro dono, os fundos por aqui investidos: o povo angolano?

      Boa semana de trabalho!

      Eliminar
  4. Por mim a equipa do presidente de angola pode pegar nas suas coisinhas e ir embora de vez! Mas não me levem a Kizomba!

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Olá, Anónimo!

      Meu caro, assim você mata-me! Kizomba, é? Muito interessante!

      Um abraço e boa semana de trabalho

      Eliminar
  5. Olhe, a menina não me leve a mal, Lenny, mas eu já não tenho pachorra para esta história do José dos Santos e da sua camarilha, não tenho pronto! A menina sabia que eles nos chamam...ai, qual é a palavra? Tem algo a ver com pular ou dar o pulo, não sei...sabia? E também são muito agressivos como se nós lhes devemos Deus e mundo, eu não compreendo. Olhe, prefiro os cabo-verdianos, eu tenho uma empregada óptima da ilha do sal e gosto muito dela! A vendedora de hortaliças no mercado é de são tomé e também gosto imenso dela; mas não posso com angolanos. Desculpe lá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Isabel!

      Compreendo-a, minha cara, pois eu também fiquei estupefacta com a conversa da treta.

      Será que o presidente foi obrigado, a pronunciar tais incongruências, pelos seus pares?

      Será que o presidente se sente vulnerável, com medo que algo lhe aconteça?

      Olhe também gosto das nacionalidades por si mencionadas; quanto ao epíteto que nos é atribuído pelo povo mangolê: temos que engolir em seco e andar para frente que atrás vem gente. Não acha?

      Obrigada pelo seu comentário, boa semana de trabalho

      Eliminar
  6. Espanta-me a burrice do presidente de Angola, porque essa reação é a prova do que toda a gente sabe sobre os dinheiros desse país. O povo na miséria, quem quer denunciar certas situaçoes é impedido de o fazer, como aliás é normal nas ditaduras, mas os dinheiros de origem duvidosa andam a ser lavados por esse mundo fora, e eles pensavam que ninguém descobriria. O que me espanta também é que esses dinheiros tenham entrado em certos países sem que as autoridades financeiras, tenham feito o que fazem com toda a gente, com rigor. Ainda há tempo para corrigir os erros, e que esses dinheiros sejam devolvidos ao povo angolano, para que se possa desenvolver como aliás merece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Anónimo!

      A dita investigação é uma espécie de obra de Santa Engrácia; não acha?

      O presidente de Angola deveria era chamar à pedra os seus ministros; principalmente o da educação, saúde, obras públicas e o da solidariedade social.

      Esperemos que Angola volte novamente a ser racional, em vez de ser reactiva e melindre.

      Obrigada por passar por aqui!

      Um abraço e boa semana de trabalho

      Eliminar
  7. O presidente de Angola subestimou-nos. Portugal pode fingir que está a fechar os olhos, mas não os fecha completamente.
    Ele que explique a origem da sua fortuna, porque sabemos bem que não a tinha quando tomou o poder em Angola; e já agora, que a sua filhota faça o mesmo. Está mais que na hora de haver um certo nível de transparência na política; pois, como bem disse o Anónimo, os governos andam atrás dos cidadãos comuns (na maioria das vezes) e permitem que certos líderes políticos cometam crimes graves como a lavagem de dinheiro. Não pode ser!
    Mas, e há sempre um mas, se a família dos Santos estiver inocente que o prove - e todos admitiremos o nosso erro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Celeste!

      Se estiverem inocentes podem recorrer aos tribunais e pedir uma indemnização choruda, na figura do governo português!

      O presidente de Angola prefere prejudicar o povo angolano, só porque os seus amigos estão a ser investigados; porquê que o presidente não quer esperar que a justiça se faça?

      Um abraço e boa semana

      Eliminar
  8. Deus nos valha a todos! Este senhor tem cá uma lata...então agora vem ameaçar-nos? Comprou coisas ao desbarato aqui e agora ameaça cortar com tudo? Que efeito terá tudo isto em Portugal, Lenny? Tem a certeza de que sobreviveremos? Ai eu não sei...tenho de rezar e de falar com o sr padre...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Maria Joaquina!

      Posso garantir-lhe que sobreviveremos.

      O sr. padre dir-lhe-á o mesmo que eu, porque ele sabe que a mão de Deus nos susterá.

      O povo angolano vai como sempre ser prejudicado pelo seu presidente; quão irónico é isto?

      Olhe minha querida, esperemos que a cúpula angolana, caia em si e deixe de pressionar o presidente dos Santos.

      Bjcas e boa semana de trabalho

      Eliminar
    2. Pois foi o que o sr. padre me disse. Deus a abençoe, Lenny!

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço