Inédito: Mário Soares Faz Ameaças Veladas

Regicídio (fonte: Aqui)

O Mon ami Mário Soares, nas sua 88 primaveras, resolveu ser bombástico ao declarar que portugal deveria dizer à tróika: não pago!
E enquanto divagava sobre a crise que assola o país, lembrou ao presidente da república, Aníbal Cavaco Silva, sobre a fragilidade da vida (leia-se: ameaça velada).
Apesar da sua participação nas negociações que conduziram à independência de  Moçambique; apesar de ter na memória uma dilecta amiga que, nas mãos da PIDE-DGS, à ponta de cigarro, ficou sem os mamilos; e apesar de partilhar com a família Soares uma mágoa intrínseca (i.e. a de não saber o dilaceramento do Sentir nem a complexidade do debate mental, no inconfessado e derradeiro momento, em que sob tortura, o prisioneiro decide sucumbir); decidi oferecer ao conselheiro de estado, Mário Soares, uma espécie de afectividade subliminal. Contudo, vou parar de me apaziguar e começar a questionar.

O sr. Soares quando questionado acerca da sua parca prestação nas negociações dos Acordos de Lusaka, desculpou-se com os militares que não estariam mais dispostos a continuar nas colónias.
Não tenho motivos para duvidar das suas palavras, porque tal qual um país do 3º mundo os militares de Abril esqueceram-se de um dos seus primeiros deveres: a defesa das populações. Por essa razão, escolheram ignorar a vida dos quinhentos mil portugueses que viviam em Moçambique e de caminho mandaram literalmente os pretos àquela parte.
Sendo o sr. Soares um estudioso, deveria ter olhado para as ex-colónias inglesas que apoiavam a FRELIMO (Tânzania e Zâmbia – regimes de ideologia Marxista e Leninista); pensado quão pedragolhoso iria ser o caminho para aqueles que não tinham ascendência portuguesa e, naquele momento ou pouco depois, negociado o fim do conflito noutros moldes; mas não...a tropa estava interessada em agarrar o poder para depois transferi-lo para o PCP; Mário Soares queria validar o seu Partido na cena política portuguesa; enquanto em Moçambique se sorvia a ideologia comunista da FRELIMO: campos de re-educação, degradação do ser humano, lojas francas (pagamento só em dólares), escassez de bens de 1ª necessidade e guerra cívil (que só acabou com a intervenção da Itália).

Agora vem o sr. Soares dizer que o presidente da república deveria ter cuidado porque por muito menos o rei Dom Carlos e seu filho, D.Luís, foram aniquilados? Senhor Conselheiro de Estado, não se faça de desentendido porque o  presidente da república, enquanto primeiro-ministro, limpou e organizou a confusão por si causada ao país. Logo, o seu ressentimento não tem razão de ser; já que a crise que o país atravessa, não só é culpa do seu correligionário José Sócrates, como também é sua, porque enquanto o descalabro acontecia o sr.conselheiro manteve-se calado; e quanto a mim esta dita crise, que assola meio mundo, não é tão transcendental porque acabará quando um certo grupo decidir que já é tempo.
Quanto a portugal, claro que vai pagar a sua dívida porque Aníbal Cavaco Silva colocou este país no ranking dos países industrializados (i.e. honrado e confiável).

Depois de Francisco Sá Carneiro; mais nenhum político português será assassinado - ou devo depreender pelas suas palavras que estava a enviar uma mensagem aos seus amigos da maçonaria e afins?
Sr. Conselheiro, Mário Soares, em nome do ramo goês, chinês, Judeu e português da minha árvore genealógica, não lhe desejamos a morte pela péssima descolonização. Mas, pelo sofrimento infligido aos moçambicanos e ao ramo preto da minha família, eu considero-o culpado...!!!  

Comentários

  1. Tenho dito!!! Nao posso com esse gajo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Retornado emigrado,

      Só os de esquerda é que podem com ele. E os de direita que "podem", são os que de cá nunca sairam para lado nenhum.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Olá, Retornado emigrado!

      O senhor e a escritora Rita Ferro; lol, lol!

      felicidades

      Eliminar
  2. Olá Lenny,

    *Palmas* fizeste bem em expôr esta ameaça velada. E o pior é que acho que o Sr Mário Soares não se ficou por ameaçar O President Cavaco Silva; acho que foi mais longe...de qualquer maneira: message received.

    E já agora, obrigada pela confissão, Sr. Mário Soares.

    Portugal faz vénia a este senhor quase como se de um deus se tratasse; esquecendo-se que o cavalheiro em questão estragou a vida de milhões de pessoas (tanto dos retornados como dos indígenas das ex-colónias).
    Tal como Rita Ferro não tenho pejo nenhum em dizer que não gosto do Mário Soares. Para mim, é mais um socialista irresponsável para aqui anda.

    Bom trabalho, minha linda!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Max!

      O sr. Mário Soares é um incongruente, porque quando ele foi primeiro ministro, Portugal enfrentou dificuldades extremas; por isso agora como outrora é tempo de pôr a ideologia de parte, como conselheiro de estado, a sua obrigação é ajudar portugal, e não fazer campanha para levar ao poder os seus incompetentes comparsas do PS.

      Obrigada, pelo teu comentário, bella mia!

      Beijocas

      Eliminar
  3. Ahahah...Mário Soares ameaçou Cavaco Silva? Meu Deus...saio para festejar o aniversário de Israel e é isto que acontece em Portugal? O homem não está bem da cabeça!
    É impressão minha ou o Sr 88 primaveras confessou a sua participação num crime/conhecimento do mesmo? Oy, oy, oy...

    Como vês, já estou no Google: fui informada de que em breve reinará o despotismo no universo Google e resolvi antecipar-me.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hey, hey, hey!

      Mário Soares anda completamente perdido. Quando uma pessoa pensa que nada a poderá surpreender, eis que aparece este senior com histórias macabras: é tão triste, pá!

      Parabéns pela tua adesão ao novo formato da Google, ahahahah....

      Beijinhos até para a semana

      Eliminar
  4. O Sr Mario soares não merece que se perca um minuto que seja a falar dele. Eu já perdi 42 segundos. Está tudo dito acerca dessa personalidade. Vca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá. Anónimo!

      Obrigada pelo seu contributo.

      Um Abraço

      Eliminar
  5. Olá Lenny,

    Primeiro, parabéns por este artigo fabuloso.
    Segundo, será que a economia portuguesa estava melhor no tempo do sr Mário Soares? Será que a memória dos portugueses é assim tão curta que não se lembrem da miséria que foi?

    Lenny, diz-lhes porque é que o FMI esteve cá e o que aconteceu nessa época. Qual era a taxa de juros na altura e, a inflação?

    O sr Mário Soares está claramente a querer atirar areia para os olhos dos portugueses.

    Tchau

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Celeste!

      Na 1ª crise em 1977, durante o governo de Mário Soares, houve em Portugal racionamento de bens.
      Na 2ª crise em 1983, mais uma vez pela batuta de Mário Soares, a inflação atingiu 30%; taxas de juro acima dos 20%(se bem me lembro); desemprego era 11%; e sendo o FMI uma instituição estática, Mário Soares foi obrigado a fazer exactamente o mesmo que este governo está sendo obrigado a fazer agora. Mas em abono da verdade, Mário Soares era um comunicador sem paralelo porque, vinha à televisão pedir ao povo para apertar o cinto, numa linguagem compreensível. Par contre este governo parece um autista.

      Bom minha linda, obrigada pelo teu comentário.

      ciao

      Eliminar
    2. O quê; houve racionamento de bens em Portugal em 1977? Dessa eu não sabia - obrigada, Lenny.
      Então, tendo os Portugueses já passado por esta situação, agora está-se a fazer de novas? Estou chocada...

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço