Maxiavelli: A Guerra das Tribos

Mosaico das 12 Tribos de Israel (da parede de uma sinagoga em Jerusalém)

"Por isso não terão herança no meio dos seus irmãos; o Senhor é a sua herança, como lhes tem dito. Este, pois, será o direito dos sacerdotes, a receber do povo, dos que oferecerem sacrifício, seja boi ou gado miúdo; que darão ao sacerdote a espádua e as queixadas e o bucho" - Deuteronómio 18:2-3

Os Haredim são praticamente os Levitas contemporâneos: eles diligentemente estudam todos os Textos Religiosos Judaicos; cumprem assiduamente o Tefillah, levam uma vida religiosa (severa, na maior parte das vezes) e, sejamos francos, guardam a chave da história, da tradição e da identidade judaicas, para que Am Yisrael jamais se esqueça de onde veio. Aos Judeus foi-lhes mandado cumprir o Torah na sua totalidade; mas hoje em dia nem todos eles cumprem a Lei - alguns seculares até comem porco (principalmente nos EUA e em Inglaterra); mas divago. Numa analogia moderna, Deus colocou os Levitas contemporâneos (os Haredim) de parte como um sacrifício em prol de Israel. O seu modo de vida é o que permite aos judeus seculares viverem como bem entenderem e, servirem a Israel como melhor lhes aprouver - sem irar o EU SOU.
Os Políticos Populistas Israelitas travam uma guerra contra os Haredim, com a desculpa de que estes são um peso para a sociedade. "Será o direito dos [Levitas], a receber do povo" querendo isto dizer que é o dever do Povo de Israel sustentar aqueles que executam os deveres religiosos e permanecem sendo os Guardiães da Tradição; por isso, parem com choradinho e sejam criativos: arranjem maneira de descarregar o peso de cima do Governo ao envolverem as fundações e agências civis. Não é por acaso que os judeus falam sempre de si no plural...

"E afastar-se-á a inveja de Efraim, e os adversários de Judá serão desarraigados; Efraim não invejará a Judá, e Judá não oprimirá a Efraim" - Isaías 11:13.

Os Políticos Israelitas, tanto de direita como de esquerda, parecem negligenciar os Judeus da Europa (apesar de tudo o que eles fizeram por Israel). Aqueles viram-se sempre para os Judeus da América (curiosamente, o PM Netanyahu até foi buscar um director de campanha americano para dirigir a sua campanha eleitoral; como se em Israel ou mesmo na Europa não houvessem directores de campanha competentes) - o dinheiro é importante mas não é tudo.
Os políticos israelitas não parecem entender que, na verdade, precisam dos Judeus Europeus. Países como Portugal, por exemplo (onde os judeus são praticamente os únicos que presentemente empregam pessoas e injectam dinheiro na economia [ainda que não se gabem disso em público, factos são factos]), votaram "sim" na ONU, em Novembro passado - para bom entendedor, meia palavra basta. O potencial dos Judeus Europeus unidos numa mesma causa é enorme; não obstante, o corpo político israelita dá mais preeminência aos judeus do outro lado do Atlântico - este comportamento é politicamente contraproducente.
Os meus olhos e ouvidos, na comunidade Judaica Europeia, dizem-me que o espírito prevalecente é o seguinte "Se Israel me ignora a mim e, aos meus interesses; porque haveria eu de lhe dar fundos e o meu apoio?". E mais, esperem até os israelitas se aperceberem de que o custo das casas tem vindo a aumentar desde que os Americanos começaram a especular na terra prometida - uma terra destinada a todos os judeus. O dinheiro é fabuloso mas não é tudo.

A Terra do Rei está em perigo. Eretz Yisrael ainda não é totalmente livre. A luta ainda não acabou.
Agora começa a hora das Tribos se unirem.

Comentários

  1. Max, para ajudarmos Israel teremos primeiro de sair da sombra. Os Americanos são mais orgulhosos acerca do seu judaismo do que nós, daí darem mais confiança aos políticos israelitas. Estes sabem que podem contar com eles, comendo porco ou não. Um grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :D!

      Compreendo o que queres dizer. Não concordo, contudo, que os Judeus americanos sejam mais orgulhosos que os Judeus Portugueses mas que são mais abertos, são.
      Pois...

      Obrigada, Carla, por teres partilhado o teu ponto de vista connosco :D.

      Um abraço

      Eliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço