Comentário: Retrato de uma Mulher

Retrato de uma Mulher de Károly Brocky
Mulher: pessoa adulta do sexo feminino; esposa; pessoa do sexo feminino de condição social modesta, em oposição a senhora; espécie de jugo popular; rameira.
Marianismo: versão feminina de "machismo". Ideal da verdadeira feminilidade - modéstia, virtude, abstinência sexual até ao casamento e depois ser fiel e subordinada ao marido.

Como já vimos (em "Comentário: o Retrato de um Macho"), a definição de palavras não aprofunda a enredo de ser um homem/macho, e o mesmo acontece no que toca a ser uma mulher/mariana.

A jornada entre ser uma Fêmea e uma Mulher é, muitas vezes, extremamente complexa e é precisamente esta urdidura que os dicionários não conseguem expôr:
Um, a virgindade está sobrevalorizada (não, não concordo com o sexo na adolescência - na minha opinião, a virgindade feminina deve ser oferecida o mais tarde possível, porque o sexo é um acto que exige maturidade e ética [sim, leram bem]). Se uma pessoa escolher ser virgem até ao casamento, tudo bem; mas quando o Homem tenta usar a virgindade como meio de controle e poder, sob a égide do "ideal da verdadeira feminilidade" aí temos problemas. 
Dois, nem todas as mulheres podem ser boas esposas e/ou mães. O facto de uma pessoa ter nascido com genitais femininos não fez dela automaticamente uma boa mãe; para dizer a verdade há mulheres que simplesmente não foram feitas para terem filhos, para moldarem crianças. Já para não falar em ser esposa: uma tarefa de paciência extrema, dedicação, empenho e amor a ser repetitiva.
Três, as mulheres são sempre as primeiras a atacar as outras mulheres - lá se vai a bondade, fidelidade e lealdade. Ás vezes, juro que as mulheres têm inveja das prostitutas. Quer dizer, não deveriam elas ter compaixão o suficiente para entender que uma rameira sofre coisas inimagináveis e que muitas não viram comerciantes-do-sexo por escolha própria? E se tiver sido, não deveriam as mulheres compreender que as pessoas devem fazer aquilo que mais amam?
Quatro, SPM não é permissão para ficar doida; também não dá às mulheres o direito de sistematicamente ficar de mau humor e ter aquela cara de "Estou a fazer um favor ao mundo por existir". A menstruação não é luz verde para ser mal-criada para com os outros; é um período de renovação e, logo as mulheres deveriam celebrar e não atacar os outros (principalmente os homens).
Cinco, o estrogénio não deveria dominar o cérebro feminino. A incapacidade de fazer uso da Razão e o despotismo feminino não deveriam desculpados pelas hormonas.
Seis, as mulheres têm de deixar de ser o estandarte da irracionalidade. É tão piroso quando elas aporrinham os seus maridos/companheiros por nenhuma razão aparente; quando elas atacam os amigos/conhecidos dos seus companheiros; e especialmente quando elas vaginalizam para serem promovidas.
Sete, fingir orgasmos não é ser generosa, paciente ou bondosa; fazê-lo significa enganar o companheiro sexual, perpetuar a própria má performance sexual (ou do amante), anular-se e render-se à ilusão.

Confesso ser extremamente exigente para com as mulheres. Mas sou-o porque reconheço nelas o papel e a responsabilidade de moldar o futuro da humanidade. 
Quando as mulheres, em geral, pararem de ser somente Fêmeas e progredirem para o status de Feminae então...

....O Retrato de uma Mulher poderá voltar ao seu estado de glória.

Comentários

  1. Oi Hugo :D!

    Obrigada: fico feliz por teres gostado :D!

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  2. Ótimo artigo para a semana que celebra o Dia Internacional da Mulher!

    Creio que o retrato da mulher, muitas vezes, é idealizado e distante da realidade. Mas o que tu fizeste aqui é bem realista e concordo com tuas colocações.

    Desculpa ter estado auxênte por um tempo. É que nessas últimas semanas, estava cheio de coisas para acertar. Mas creio que semana que vem, tudo volta ao normal. :)

    ResponderEliminar
  3. Oi Zahta :D!

    Ainda bem que gostaste :).

    É, o retrato que muitas vezes fazem da mulher (nas tuas palavras "idealizado e distante") faz lembrar o retrato que faziam da mulher nas Cartas de Amigo e de Amor...às vezes é mais fácil idealizá-la do que encarar a realidade.

    Não tens de te desculpar - apareces quando quiseres e puderes :D! É uma honra ter-te entre nós!

    Um abraço e obrigada pelo comentário!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço