Jornalismo: R.I.P



O jornalismo está nas mãos dos grupos de media; e olhem o que aconteceu: o jornalismo perdeu a sua independência e ética...

Sexta-feira à noite: ligo a televisão, e num programa político (na CNN) discute-se um assunto de extrema importância...o escândalo sexual do apresentador Americano, David Letterman.
Depois vejo as notícias Portuguesas, onde estas, em vez de analisarem a fundo o presente quid pro quo entre o nosso presidente da república e o governo, discutem futebol e, de forma leviana, sugerem que alguns árbitros sejam uns corruptos.

Sábado à noite: na CNN, a aventura sexual do David Letterman (com algumas senhoras membros do staff) é ainda “novidade”.
Nos canais de notícia Portugueses, finalmente, discute-se as eleições autárquicas: candidatos comunistas observam prédios em decadência e prometem tratar do assunto assim que sejam eleitos como vereadores (detalhe: alguns destes candidatos são vereadores há mais de 13 anos; por isso, coloca-se uma questão: porque não trataram do assunto antes?); candidatos socialistas não controlam os membros do seu partido (que, numa certa autarquia, bateram nos membros de uma campanha eleitoral oposta [centro-direita] – que classe, não?); os candidatos social-democratas (em alguns casos, em coligação com o CDS, partido Cristão [direita]) apresentam alguns programas eleitorais decentes, mas ao mesmo tempo envolvem-se em bate-bocas absurdos com os socialistas.

Domingo à noite: nem ligo os canais de notícias, na esperança de que estes me concedam notícias fresquinhas na segunda-feira.

Segunda-feira à noite: na CNN, o caso sexual do David Letterman (e a chantagem feita pelo seu produtor) ainda está quente e, quase que enviei um email a esta cadeia televisiva para lhes dizer “Basta! Pronto, o homem fez sexo, e agora?! Será que poderemos voltar ao relatório Goldstone?”...mas não fiz...em vez disso, decidi que se na terça-feira eles continuarem a falar do mesmo, simplesmente mudarei de canal (para aquela porcaria intitulada de Fox News).
No campo de notícias Português, chega finalmente o caso do David Letterman, embora muito brevemente (sim, porque até os Portugueses sabem que este assunto não é digno de notícia por mais de 5 minutos – e até aposto que muitos apresentadores de notícias e programas Portugueses [tanto machos como fêmeas] pensaram para si mesmos “Que sortudo! Quem me dera...”). Depois, graças a Deus, lá se concentraram no aniversário da nossa República: sim, senhor...já tem 99 anos (Parabéns Portugal)! Até gostei de ver os membros do partido “Causa Real” a abanar a bandeira monárquica e a prometer trazer de volta a monarquia a Portugal – boa sorte nisso, amigos!

Dito isto, longe vão os dias em que as palavras jornalismo e qualidade andavam de mão dada.
Ainda mais longe vão os dias em que os jornalistas atraíam a atenção do público para assuntos sérios; quando estes transmitiam notícias com um certo grau de imparcialidade (o que levava as pessoas a pensar e a tomar decisões por si mesmas).
Hoje o jornalismo perdeu o tino, o seu propósito, o seu código deontológico e quase que se transformou numa stripper que dança ao som de trash-music do marketing e fica à espera que a publicidade lhe enfie uma nota de 20 na calcinha.


Imagem: tirada daqui.

Comentários

  1. Oi Max

    Agora você disse tudo, também tenho essa sensação de que o jornalismo sério, o verdadeiro jornalismo morreu.

    Sempre que ligo a televisão ou leio o jornal é sempre a mesma coisa, desgraças atrás de desgraças, é um sensacionalismo!

    Eu gosto de ligar a tv de manhã antes de sair para ver as notícias, então começa: eles mostram o velório de alguém, o roubo do outro, a guerra sei lá onde, o político que se envolveu no escândalo tal, e tudo com um detalhismo perfeito, focalizando quase em câmera lenta a lágrima que escorre do rosto da mãe que o filho foi baleado entende! a televisão virou uma grande tragédia com todas as forças e influencias latinas possíveis.

    “Basta! Pronto, o homem fez sexo, e agora?! Será que poderemos voltar ao relatório Goldstone?”.

    Também tenho vontade de explodir...na verdade não consigo mas ver tv, isso é um fato.

    minhas leituras agora estão focadas em revistas científicas e em algumas partes do jornal.

    "Hoje o jornalismo perdeu o tino, o seu propósito, o seu código deontológico e quase que se transformou numa stripper que dança ao som de trash-music do marketing e fica à espera que a publicidade lhe enfie uma nota de 20 na calcinha."

    LOL, disse tudo!

    parabéns! excelente post!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Oi Dri :D!

    Que saudade!

    "Sempre que ligo a televisão ou leio o jornal é sempre a mesma coisa, desgraças atrás de desgraças, é um sensacionalismo!"

    É um horror!! É como se a media nos quisesse manter sempre com medo, sei lá...só sei que não gosto de ser manipulada desta maneira.

    "Eu gosto de ligar a tv de manhã antes de sair para ver as notícias, então começa: eles mostram o velório de alguém, o roubo do outro, a guerra sei lá onde, o político que se envolveu no escândalo tal, e tudo com um detalhismo perfeito, focalizando quase em câmera lenta a lágrima que escorre do rosto da mãe que o filho foi baleado entende! a televisão virou uma grande tragédia com todas as forças e influencias latinas possíveis."

    Para este tipo de coisa, eles sabem bem dar detalhes, mas quando é necessário providenciar detalhes (por ex: no campo da política) eles nunca dão; nunca vão ao cerne da questão: é triste.

    "minhas leituras agora estão focadas em revistas científicas e em algumas partes do jornal."

    Eu virei-me para as revistas políticas mesmo...sempre são melhorzinhas.

    "LOL, disse tudo!"

    LOL *high 5*!

    "parabéns! excelente post!"

    Obrigada, minha amiga querida :D! E obrigada pelo teu super comentário!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. oi,Max
    Mesmo zapeando por tudo, não conseguimos quase achar programas legais, que valham a pena!Muito legal teu texto.beijos,chica

    ResponderEliminar
  4. Morreu e foi enterrado com a "queda do diploma".

    Triste.

    Mas não dá pra culpar única e exclusivamente o jornalismo, como uma entidade independente. E o público? Será que quer ver coisas sérias?

    Uma longa discussão...

    ResponderEliminar
  5. Oi Chica :D!

    Como te compreendo...está difícil mesmo!
    Obrigada querida :D!

    Bom fim-de-semana e beijos!

    ResponderEliminar
  6. Olá Pamela :D!

    Bem-vinda ao Etnias!!!

    É triste mesmo.

    "Mas não dá pra culpar única e exclusivamente o jornalismo, como uma entidade independente. E o público? Será que quer ver coisas sérias?"

    Ora bem! Trouxeste para a mesa um assunto importantíssimo: e o público? De facto, de um modo geral, este não quer qualidade...não quer pensar, quer ser entretido, enganado...alimentado com lixo *aceno de cabeça*. E os canais de televisão dão o que o público quer; mas e nós que gostamos de qualidade? Somos prejudicados em nome das audiências...

    Pamela, complementaste o artigo de forma perfeita: muito obrigada :D!
    E quero que saibas que és muito bem-vinda aqui no Etnias :D!

    Beijos e bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  7. Os americanos são recalcados com o sexo, por isso esse auê todo com qualquer vida sexual, imagina do David Letterman.

    Ele foi esperto carolinas! Armou um flagrante genial, que lógico, todas as atitudes dele, foram acessoradas por um advogado.

    E eu pergunto, como você se questionou: E eu com isso?

    Bem, estamos conversando sobre o fato e algumas coisa temos com isso. Quem sabe curiosidade para saber quem teve coragem! (rs*)

    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderEliminar
  8. Mas bah, Max.
    Seu bistusri, mais uma vêz, cortou no ponto certo. Vejo que a mídia, ai como aqui, está difícel de aturar. A meu ver o tal quarto poder há muito está a serviço do capital, são os jornalista "a voz do dono"; formam opinião sempre a favor de quem os paga.
    Parabéns pelo post.
    Comento também a postagem anterior: Penso que o Socialismo, tão bonito e aparentemente justo, na teoria, na prática deformou-se dado lugar ao comunismo, atentando não só contra o direito a propriedade, mas, o pior, contra o direito a vida.

    ResponderEliminar
  9. Oi Luma :D!

    "Os americanos são recalcados com o sexo, por isso esse auê todo com qualquer vida sexual, imagina do David Letterman."

    LOL é verdade, eles são mesmo! E o problema que eles têm com o corpo nú?
    Sabias que eles dizem que os Europeus são uns debochados (porque não temos problemas com a nudez nem com o sexo)? Enfim...

    "Ele foi esperto carolinas! Armou um flagrante genial, que lógico, todas as atitudes dele, foram acessoradas por um advogado."

    Ah, mas já sabes como é: na América tudo é coreografado; tudo é treinado, tudo planeado ao mais ínfimo pormenor.

    "Bem, estamos conversando sobre o fato e algumas coisa temos com isso. Quem sabe curiosidade para saber quem teve coragem! (rs*)"

    LOL LOL LOL....

    Luma, obrigada pelo teu comentário: amei, querida!! :D

    Beijoss

    ResponderEliminar
  10. Oi Diler :D!

    "Seu bistusri, mais uma vêz, cortou no ponto certo."

    lol Obrigada, meu amigo *vénia*!

    "Vejo que a mídia, ai como aqui, está difícel de aturar. A meu ver o tal quarto poder há muito está a serviço do capital, são os jornalista "a voz do dono"; formam opinião sempre a favor de quem os paga."

    Agora disseste tudo!!

    "Parabéns pelo post."

    Obrigada :D!

    "Comento também a postagem anterior: Penso que o Socialismo, tão bonito e aparentemente justo, na teoria, na prática deformou-se dado lugar ao comunismo, atentando não só contra o direito a propriedade, mas, o pior, contra o direito a vida."

    Concordo plenamente!!

    Diler, obrigada pelos comentários (que são sempre bem-vindos e amados) :D!

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço