Comentário sobre dois assuntos...


Une Quéstion Musulmane (uma questão Muçulmana)
A França tem vindo a tomar medidas legislativas no que toca aos costumes Muçulmanos, que chocaram algumas pessoas. Por exemplo; as mulheres Muçulmanas não podem usar lenço na cabeça nas escolas públicas; o governo anda à procura de uma forma de banir o uso da burka (uma vez que é entendido que as burkas “reduzem a dignidade” e a França “não pode aceitar que (...) as mulheres sejam prisioneiras por detrás de redes, ostracizadas da vida social, privadas de identidade”) e mais recentemente uma senhora Muçulmana foi impedida de nadar, numa piscina pública, envergando um burkini (imagem acima), devido a motivos de higiene (a piscina proíbe o uso de vários tipos de fatos de banho).
Alguns defendem tratar-se de um ataque à cultura Muçulmana; mas eu diria tratar-se da defesa da cultura e tradições Européias.
A burka (e os seus derivados) é um símbolo da repressão e submissão feminina. A Europa já teve a sua quota de repressão, no passado; lutou contra a mesma e não irá regredir em nome do respeito cultural/religioso alheios.
Quando os ocidentais viajam para a maioria dos países Árabes são forçados a obedecer à lei da Sharia; e as mulheres ocidentais têm de se cobrir dos pés à cabeça (sob temperaturas extremamente altas) e não podem viajar sozinhas com um homem (a não ser que seja pai ou marido). Pergunto-me, serão respeitados os nossos costumes e cultura? Não.
Não obstante, penso que as muçulmanas deveriam poder usar o lenço na cabeça (se assim o quiserem); matando, deste modo, dois coelhos de uma cajadada só: o costume Muçulmano seria mantido e nós poderíamos reconhecer os seus traços faciais, a sua identidade. Não queremos, de modo nenhum, que abandonem a sua religião e/ou costumes; simplesmente pretendemos proteger os nossos valores e cultura.

A Questão da EsquerdaA Esquerda Portuguesa tem vergonha do nosso passado histórico.
Recentemente li que o nosso Ministro da cultura (José António Pinto Ribeiro) expressou o desejo de abrir um Museu da Viagem (a ser chamado de Museu dos Descobrimentos); contudo um blogue apoiante do partido socialista [na pessoa de Leonel Moura], numa pobre tentativa de ser engraçado, afirmou “Imagino que o Ministro da Cultura se refira à navegação na Internet, porque da tecla dos grandes feitos do antigamente que não consegue passar dos Descobrimentos, estamos todos fartos. Portugal já está noutra.”
Pergunto-me de que Portugal falará este socialista...certamente não do mesmo onde me encontro.
Em primeiro lugar, o nosso hino nacional é sobre os descobrimentos e apela a que restituamos a glória que Portugal gozou em tempos – a isto chama-se ter orgulho da nossa história e um apelo a que nos lembremos de quão grandes e capazes somos.
Em segundo lugar, desde quando Portugal “já está noutra”? Por acaso gozamos de alguma glória enquanto nação (no palco internacional)? Nem sequer somos convidados para as reuniões do G20; mas também como poderíamos? Se um estrangeiro quiser saber mais sobre Portugal (sob a nossa perspectiva) não pode...uma vez que os nossos jornais online só se apresentam em Português (até o Alemães providenciam a versão em Inglês dos seus e-jornais). A media internacional só fala de Portugal quando para falar do Cristiano Ronaldo; das prostitutas de Bragança; das equipas de futebol que participam na Champions’ League e para focar o nosso falhanço total em lidar com o desaparecimento da Maddie McCann.

Será que o mundo sabe que os nossos cientistas (da Universidade Nova) inventaram o transistor de papel? Será que sabem que uma empresa Portuguesa (a Solar Plus) é pioneira nos módulos fotovoltaicos (utilizando a tecnologia Thin-film)? Não. O estrangeiro comum não sabe...mas sabe que descobrimos o caminho para a Índia, sabem das nossas ex-colónias; sabem que (juntamente com os Espanhóis) fomos os mais cruéis no comércio de escravos e que procedemos à pior das descolonizações na história da humanidade.

Por isso, o Sr. Leonel Moura deveria acordar da sua utopia...Portugal não está onde deveria estar, quanto muito já estar “noutra”.
O nosso passado serve de trampolim para um futuro de sucesso.

“Deus quere, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quiz que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou creou-te portuguez.
Do mar e nós em ti nos deu signal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!”
("O Infante" de Fernando Pessoa)

Imagem: retirada do Daily Mail

Comentários

  1. Concordo plenamente no assunto dos mulçumanos que vivem na França. Afinal, estão sob as leis, sejam políticas, sociais ou culturais, do país no qual vivem.

    Em relação a Portugal e seu passado: Aqui no Brasil, também pouco se escuta sobre o Portugal do presente. É seu passado, principalmente o século XVI, que se mostra mais evidente. Não acho que isso é motivo de vergonha, pelo contrário.

    Gosto de Portugal, e espero conhecer Lisboa e outras regiões algum dia. Tomara que seu país aprenda a escrever, não seu passado, mas sim seu presente.

    Até a próxima!

    ResponderEliminar
  2. Oi Zahta :D!

    "Concordo plenamente no assunto dos mulçumanos que vivem na França. Afinal, estão sob as leis, sejam políticas, sociais ou culturais, do país no qual vivem."

    Exactamente. Assim como, quando vamos para países Muçulmanos devemos respeitar as leis deles.

    "Em relação a Portugal e seu passado: Aqui no Brasil, também pouco se escuta sobre o Portugal do presente. É seu passado, principalmente o século XVI, que se mostra mais evidente. Não acho que isso é motivo de vergonha, pelo contrário."

    A sério? Ainda é mais vergonhoso então! Claro que não é motivo de vergonha...mas este povo daqui parece que anda parvo.

    "Gosto de Portugal, e espero conhecer Lisboa e outras regiões algum dia. Tomara que seu país aprenda a escrever, não seu passado, mas sim seu presente."

    Vais amar: Lisboa é linda!!! E o Alentejo também :D!
    Também espero que sim, Zahta! Eu, pelo menos, faço a minha parte!

    Zahta, meu lindo, obrigada pelo teu comentário e Portugal espera-te :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Bom estou lendo para delimir uma resposta...nao sabia disso nao...

    bjos Maxx

    ResponderEliminar
  4. Oi Philip :D!

    Lê, vais ver que é interessante!

    Obrigada pela visita, querido e, espero que estejas bem :)!

    Beijão

    ResponderEliminar
  5. Sobre trajes, vou lhe fazer uma pergunta: Se vai à uma festa, não procura respeitar o traje que o convite expõe? Porque sabemos que mesmo que um convite não exponha, conforme a hora e local, procura vestir-se de acordo. O mesmo fazemos quando viajamos, para não ofender visualmente os costumes locais.
    Veja que para nós ocidentais é mais fácil o trânsito, porque somos mais ou menos parecidos no modo de vestir e achei no mínimo grosseiro, o presidente francês fazer tal exigência.
    Conversei com uma muçulmana sobre esse assunto e disse ela que, as mulheres ocidentas as envergonham pelas vestes e não vestes, fotos nuas em revistas e tals.
    Penso que deveriam dar as mulheres a opção de escolha. Cada um se veste como quer.
    Sobre Portugal, aqui só nos chega pela tv, assuntos ligados à religiosidade, como festas típicas, comidas típicas, enfim, cotidiano e nada dos avanços científicos. Chega aí alguma notícia do Brasil positiva?
    Talvez o Leonel Moura tenha tratado do destino do investimento não ser viável pelas necessidades atuais, tipo educação e saúde. Não sei realmente.
    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderEliminar
  6. Querida Max, oi, olá, como vai você? Há quanto tempo, não nos "falamos", não é mesmo? Eu estava mergulhada na escritura da tese e enfim terminei, agora são os retoques finais... Mas vamos às duas notícias: 1ª é sempre muito difícil opinar acerca de uma questão dessa magnitude, onde trata de valores éticos, estéticos, de uma cultura "milenar", tão distinta da nossa? Por outro lado, percebo a necessidade de integração das culturas distintas - levando em conta a idéia que todos temos da França progressista e revolucionária, que sempre esteve nas nossas memórias libertárias; e do outro lado, fico imaginando e tentando me colocar no lugar da muçulmana, na categoria de estrangeira que sou, aqui em Portugal, ou Espanha (os dois sítios onde estudo e moro atualmente, ao mesmo tempo, há algum tempo, risos), e cercando-me das minhas referências (meu quarto aqui na residência de letras, é mais que um retábulo de descanso, é a minha República Brasileira, minha casa, meu lar, meu lugar sagrado de descanso, vivências e emoções), mas aqui eu posso extrapolar as minhas saudades e dores, não é mesmo? Eu penso ainda que o estrangeiro deveria se integrar, entender e conviver minimamente com os costumes locais, isso atenuaria muitas divergências e resistências, o país alheio não é a minha casa; mas a idéia do lenço a qual defendes, sou partidária dela também....

    Assunto II, Portugal:

    O moço do blogue, esqueceu de dizer que nem mesmo em Bruxelas, capital da União Européia, tem o sistema multibanco (extraordinário), que existe em Portugal e outras capitais e cidades européias, e que funciona maravilhosamente bem, e que é uma invenção de um português contemporâneo; que o serviço público é de 1ª qualidade, que nao existe em nenhum outro lugar do planeta (e posso falar isso como viajante e viajeira do mundo), um métro e sistema de auto-carros como o do Porto: pontualíssimo, ah se no Brasil fosse assim; ele sabe será que existe na Universidade do Porto, uma das mais importantes de Portugal, um Serviço de Relações Internacionais (que também nao existe em nenhum outro lugar do planeta, e dou como referencia as universidades européias pelas quais eu já passei e não foram poucas). Òquei, alguém pode dizer que é localizado, oras, eu sou pelo Desenvolviento Local Integrado Sustentável, tem que se começar de algum lugar, pois nao?
    E ainda: Eu amo o passado "glorioso" das nações (não é apenas a força da profissão), mas justamente porque uma história passada, vivida, ajuda-nos a não cometer os mesmos esquívocos, embora o tempo cronológico e o contexto cultural sejam outros, servem de referências, e ficamos imaginando coisas tipo: se no passado, Portugal não tivese ido "aos 4 cantos do mundo", naõ sei bem o que seria do país, na atual conjuntura, e nem mesmo o que seria da minha extraordinária língua portuguesa, talvez fosse uma língua morta, se calhar, porque senao, vejamos: olhemos o tamanho de países como Alemanha, Holanda, Polônia, Suiça, Suécia (se nao falassem inglês e ou francês, será que seriam o que são?), mas graças ao "passado", a língua portuguesa se mantêm viva, dinâmica, rica, expressiva, poética, graças às ex-colônias: Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, e as regiões de Macau, Goa e a Galiza??? Ah, como essa pequena pérola lusitana foi grande e ousada... Essa "nesga debruçada no mar" como chamou Miguel Torga, faz parte e fará da história da humanidade, presente, passada e futura...
    E vou parando por aqui, porque estou me contendo para nao resgatar meus poetas lusos,prediletos, ai, ai...
    Ah, vou 5ªa feira à Lisboa, volto no domingo, se calhasse e você quisesse, poderíamos tomar um café e eu ia adorar te conhecer, deixo-te meu "moche": 927 074 537, e beijinhos da Boca, da B., da CB, da C, ou da Val, como queiras.
    ;)

    ResponderEliminar
  7. Max,

    Excelente post! Em relação a roupa acho que elas devem usar o que achar melhor, de repente se elas se descobrirem vão se sentir envergonhadas, vai saber...mas pela foto da mocinha acima de traje de banho ela parece estar bem contente LOL

    Imagina se elas no Brasil tivessem que colocar os biquínis que se usam por aqui, LOL aí mesmo, como dizem por aí, queimariam no fogo do inferno LOL, LOL

    Agora se você vai para outro país para morar, estudar, enfim... não sendo turismo, o mais certo é dançar conforme a música, é vestir-se como todos se vestem.

    "Alguns defendem tratar-se de um ataque à cultura Muçulmana; mas eu diria tratar-se da defesa da cultura e tradições Européias."

    certo...também acho.

    Aqui no Brasil também não temos muito conhecimento sobre Portugal, o que poderia ser bem diferente...

    Ah! Estou a um tempo para comentar, gostei da nova foto do perfil, agora temos um lindo sorriso!


    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  8. Oi Luma :D!

    "O mesmo fazemos quando viajamos, para não ofender visualmente os costumes locais."

    Exacto, mas o mesmo aplica-se aos cidadãos de países Muçulmanos, certo?

    "Veja que para nós ocidentais é mais fácil o trânsito, porque somos mais ou menos parecidos no modo de vestir e achei no mínimo grosseiro, o presidente francês fazer tal exigência."

    Toda a gente sabe as regras da França: é um país secular; e quem não quiser respeitar isso não vá para lá. Utilizando o teu exemplo, se a indumentária da festa não agrada, a pessoa tem a opção de não comparecer.
    Mas achei exagerado, por parte da França, proibir o uso do hijab nas escolas públicas. Quanto à Burka: concordo plenamente. Ela está fora de contexto na Europa (bem como no mundo ocidental) e nada tem a ver com religião (uma vez que não é mencionada no Al-Quran).

    "Conversei com uma muçulmana sobre esse assunto e disse ela que, as mulheres ocidentas as envergonham pelas vestes e não vestes, fotos nuas em revistas e tals."

    Sim, as muçulmanas usam sempre esse argumento...mas olha, eu também não gosto de metade do mau gosto (e vulgaridade) que anda por aí, mas não adopto atitudes castradoras e anti-Ocidentais por isso.

    "Penso que deveriam dar as mulheres a opção de escolha. Cada um se veste como quer."

    Acho bem, mas o problema é que 77% das mulheres muçulmanas que usam Burka são forçadas a fazê-lo...não é de livre e espontânea vontade.

    Outra coisa, onde fica os problemas de segurança nacional? O Brasil já foi atacado por bombistas suicidas Islamistas? A Europa já, e mulheres e homens de Burka (sim, porque eles escondem-se sob tais vestes) ajudam as células a montar ataques a Europeus...

    "Sobre Portugal, aqui só nos chega pela tv, assuntos ligados à religiosidade, como festas típicas, comidas típicas, enfim, cotidiano e nada dos avanços científicos. Chega aí alguma notícia do Brasil positiva?"

    Do Brasil chega muita coisa positiva como a arte, a arquitectura, a música, o teatro, investigação científica (sabemos que um dos melhores hospitais de cardiologia está em São Paulo) etc. Mas também chega muita coisa menos positiva...mas ao menos chega.

    "Talvez o Leonel Moura tenha tratado do destino do investimento não ser viável pelas necessidades atuais, tipo educação e saúde. Não sei realmente."

    LOL Museus fazem parte da Educação (já para não dizer que mexem com muita industria o que faz com que a economia gire). Se o partido socialista se preocupasse com a educação e saúde teria feito mais nos últimos 4 anos do que fez (aliás nada fez). O Leonel Moura não fez, neste caso, uma crítica constructiva: limitou-se a detonar e a "cuspir" um argumento pobre. Enfim...

    Luma é sempre um prazer falar contigo; obrigada :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Oi CB :D!

    "Querida Max, oi, olá, como vai você? Há quanto tempo, não nos "falamos", não é mesmo? Eu estava mergulhada na escritura da tese e enfim terminei, agora são os retoques finais... "

    Estou bem, obrigada :D! A tese é uma perfeita justificação :D!

    Aha, com que então, moras na Península Ibérica? Que maravilha!! :D

    "e cercando-me das minhas referências (meu quarto aqui na residência de letras, é mais que um retábulo de descanso, é a minha República Brasileira, minha casa, meu lar, meu lugar sagrado de descanso, vivências e emoções), mas aqui eu posso extrapolar as minhas saudades e dores, não é mesmo?"

    Exactamente, no teu lugar sagrado podes extrapolar o que quiseres :).

    "Eu penso ainda que o estrangeiro deveria se integrar, entender e conviver minimamente com os costumes locais, isso atenuaria muitas divergências e resistências, o país alheio não é a minha casa; mas a idéia do lenço a qual defendes, sou partidária dela também...."

    É a minha opinião também; porque quando moro no estrangeiro eu adapto-me ao novo ambiente (e mantenho a minha identidade Lusa em casa), integro-me e convivo com as pessoas na boa (o que é enriquecedor). Claro, o lenço é uma forma de mostrar que respeitamos a modéstia à qual elas são aconselhadas a exibir; mas a burka...isso não.

    É, o mocinho não falou do multibanco, não (e mais, devemos analisar o espirito por detrás da veia inventiva dos Portugueses: não terá vindo do passado?).
    É, o serviço público é excelente, é verdade.

    "E ainda: Eu amo o passado "glorioso" das nações (não é apenas a força da profissão), mas justamente porque uma história passada, vivida, ajuda-nos a não cometer os mesmos esquívocos,"

    Exactamente!!! Agora disseste tudo!

    "Portugal não tivese ido "aos 4 cantos do mundo", naõ sei bem o que seria do país, na atual conjuntura, e nem mesmo o que seria da minha extraordinária língua portuguesa, talvez fosse uma língua morta, se calhar, porque senao, vejamos: olhemos o tamanho de países como Alemanha, Holanda, Polônia, Suiça, Suécia (se nao falassem inglês e ou francês, será que seriam o que são?), mas graças ao "passado", a língua portuguesa se mantêm viva, dinâmica, rica, expressiva, poética, graças às ex-colônias: Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, e as regiões de Macau, Goa e a Galiza???"

    Bem dito *aplausos*!!!

    "Ah, vou 5ªa feira à Lisboa, volto no domingo, se calhasse e você quisesse, poderíamos tomar um café e eu ia adorar te conhecer, deixo-te meu "moche": 927 074 537, e beijinhos da Boca, da B., da CB, da C, ou da Val, como queiras. ;)"

    Val...vou passar a chamar-te Val então :D! Obrigada pelo teu "moche"!
    Também adoraria conhecer-te...

    Obrigada pelo teu super comentário, amei a ode a Portugal (linda)!! :D

    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Oi Dri :D!

    "Excelente post! Em relação a roupa acho que elas devem usar o que achar melhor, de repente se elas se descobrirem vão se sentir envergonhadas, vai saber...mas pela foto da mocinha acima de traje de banho ela parece estar bem contente LOL"

    Obrigada *vénia*! LOL LOL ela está contente, sim...porque está no Dubai (onde o uso daquele traje é obrigatório).

    "Imagina se elas no Brasil tivessem que colocar os biquínis que se usam por aqui, LOL aí mesmo, como dizem por aí, queimariam no fogo do inferno LOL, LOL"

    LOL LOL LOL LOL LOL coitadas. Mas elas podem usar os burkinis nas praias; só não podem usar na piscina devido às regras de vestimenta que todas elas têm (e não é só contra os burkinis, também é contra os boxers e afins).

    "Agora se você vai para outro país para morar, estudar, enfim... não sendo turismo, o mais certo é dançar conforme a música, é vestir-se como todos se vestem."

    Em Roma sê Romano...é verdade.

    "Aqui no Brasil também não temos muito conhecimento sobre Portugal, o que poderia ser bem diferente..."

    Pois é...estes idiotas aqui estão todos a dormir *acenando a cabeça negativamente*. Pois nós recebemos imensa informação sobre o Brasil todos os dias. Deveria haver uma reciprocidade, mas enfim...

    "Ah! Estou a um tempo para comentar, gostei da nova foto do perfil, agora temos um lindo sorriso!"

    Aaahh, obrigada! Se eu corasse, agora o momento ideal lol :). Mas fico feliz por teres gostado...assim é mais personalizado :)!

    Dri, amei amei amei o teu comentário (fizeste me rir e tudo); obrigada :D!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço