Matar: Justificável?


“Não matarás” (Êxodo 20:13).

Quando Deus, a Suprema Inteligência, transmitiu este mandamento; a que se referia Ele exactamente?
No texto original (em Hebraico) Deus Diz “לֹא תִרְצָח (lo tirtzakh), ou seja, “Não cometerás homicídio”. Isto difere da tradução simplista: “Não matarás”.

Tirar uma vida é um dos actos mais drásticos ao cimo da terra (não só para a vítima como para o próprio assassino).
Quando alguém mata outrém, sem intenção, não só interrompe o ciclo existencial do outro como também atrai para si mesmo a dôr, o sentimento de culpa, o horror de ter tirado a vida a um ser humano (em tais casos, não se comportam consequências kármicas).
Por outro lado, quando se assassina alguém (com intenção) não só se aniquila hediondamente uma pessoa, como também o homicida prega a palavra “Pecado” na testa (comportando, assim sérias consequências kármicas).

Analisemos, um pouco mais, este assunto...

Os pacifistas rotulam, muitas vezes, os soldados (e, logo, os Governos) de homicidas. Peço-lhes que façam uso da razão.
Num contexto de Guerra, não há homicídio quando soldados lutam contra soldados e, por engano or consequência, morrem civis. Um soldado não planeia matar outros, não acorda com o desejo de matar gente; muitas vezes nem tem a certeza se irá tirar a vida a alguém naquele dia e, a maioria dos soldados até reza para que nenhuma vida inocente seja ceifada; ainda que tenha sido treinado para matar e, sabendo que poderá ter de fazê-lo a dada altura do conflito. Este tipo de assasínio é justificável.

“Porém, se ela [cidade]não fizer paz contigo, mas antes te fizer Guerra, então a sitiarás. E o Senhor, teu Deus, a dará na tua mãe; e todo o varão que houver nela passarás ao fio da espada,” (Deuteronómio 20:12-13).

Homicído: matar premeditadamente. O homicida acorda com sede de sangue, planeia quando, onde e como matar outros seres humanos de forma hedionda e, prepara-se “espiritualmente” para levar a cabo o seu plano. A mera antecipação de tal acto dá-lhe um frio na barriga (de excitação); o prazer que sente em ver carne humana dilacerada fá-lo morder o lábio. Ele ceifa a vida de outros (em total conformidade com o seu plano) e atinge o orgasmo. Dele expele a semente do mal. A luz com a qual nasceu extinguiu-se. O homicida milita contra a criação, mas especialmente, contra o Criador. Ele quebra o mandamento...logo, a sua obra é injustificável.

Outra forma de assassínio planeado é a eutanásia.
Será homicídio ou alívio? Poder-se-ia dizer que é homicído (uma vez que é cuidadosamente planeada, premeditada) e, poder-se-ia dizer que é um alívio (especialmente sob o ponto de vista “altruísta”), mas depende da crença pessoal e valores morais de cada um.
Independentemente do que pensemos dela, a eutanásia deixa sempre marcas naqueles que ficam: dôr, culpa, tristeza (ainda que misturados com uma sensação de alívio) e dívida kármica.

Será justificável ou não? Na minha opinião não é; porque não me atrevo a interferir com o Plano Divino. Se, por dívida kármica, um indivíduo tiver de passar por (aquilo que aparentemente não é merecido e por) um fim-de-vida pouco digno; quem sou eu para interferir com o seu karma (e por consequência, aumentar a minha própria dívida)? Não obstante, acredito no Livre Arbítrio e se outros estiverem dispostos a carregar tal fardo kármico (ainda que não acreditem no Karma), tudo bem: é entre eles e Deus.

Partilha a tua opinião: matar, é alguma vez justificável?


Para uma opinião diversa acerca deste assunto, transfere-te para o reino do LS (Inglês): Aqui

Comentários

  1. Max, vc aqui entra numa seara dura pra nós contemporâneos. Esse conflito ético-moral que nos assola de modo cada vez mais violento nos dias de hoje. Sim não temos mais a serenidade dos que seguem sua religião e, por conta, ética e moral vêem juno . Acabei de postar uma revisão de Caetano Veloso . ele que sempre foiu a a favor da legalização das drogas, diante do estado de coisas ...compõe Falso Leblon onde ataca a cocaína e numa entrevista declara que não sabe amis se é a favor da legalização das dorgas.
    Com o aborto eu me sinto assim tb. Nunca precisei praticar, graças a Deus. Mas, qdo vejo as meninas estupradas, as mulheres estupradas por seus prórpios maridos rtendo filhos e mais filhos minha ética balança. Com relação à eutanásia sou completamente contra. Porém, sou mais contraria ainda à industria de unidades de terapias intensivas que mantém o corpo funcionado. que vida é esta?
    Bom, a bioética é outra questão complicada.
    De todo modo minha opinião é essa: eu não sei como sair do conflito.

    Matar jamais! Porém em legítima defesa de um filho, de si mesmo?


    Meu comentário é uma pergunta devolvendo a sua porque são questões muito complexas, não?

    ResponderEliminar
  2. Mais uma coisa. O selo da blogagem tá pronto. Eu acho que se quiseres já pode colar aqui, ok?

    ResponderEliminar
  3. Mas bah, Max!
    Teu blog deveria chamar-se "Amor a Polêmica", Tal a assiduidade com que postas temas delicados e difíceis para a grande maioria dos mortais...Entendo que não matarás é não matarás mesmo! Não há perdão para aquele que ceifa uma vida humana...Mesmo quem o faz em "legítima defesa" carrega o peso da morte em seus ombros.
    Parabéns pelo texto.

    ResponderEliminar
  4. Hello Maximus….

    Although I cannot read Portuguese I have to say this blog looks exceedingly scrumptious!

    The Graffiti logo goes well with the header!

    ResponderEliminar
  5. Oi Bea :D!

    "Max, vc aqui entra numa seara dura pra nós contemporâneos."

    Embora dura, é uma seara que deva ser enfrentada, não achas?

    "Esse conflito ético-moral que nos assola de modo cada vez mais violento nos dias de hoje. Sim não temos mais a serenidade dos que seguem sua religião e, por conta, ética e moral vêem juno."

    É, a moral e a ética andam de mãos dadas. Mas acho que se o ser humano se empenhar mais, poderá atingir a tão desejada serenidade interior...só tem de deixar de se distrair com o demasiado fácil, com a futilidade...com escapes que muitas vezes só o lança no abismo.

    " Acabei de postar uma revisão de Caetano Veloso . ele que sempre foiu a a favor da legalização das drogas, diante do estado de coisas ...compõe Falso Leblon onde ataca a cocaína e numa entrevista declara que não sabe amis se é a favor da legalização das dorgas."

    É, acho que o mundo começa a repensar muitas das suas convicções (não sei se é a idade, se é a maturidade ou evolução espiritual, mas chega a uma certa altura todos fazemos uma revisão à consciência).
    A legalização das drogas é um assunto delicado; mas teremos oportunidade de debatê-lo aquando da grande Blogagem colectiva, no dia 26...não é :)?

    "Com o aborto eu me sinto assim tb. Nunca precisei praticar, graças a Deus. Mas, qdo vejo as meninas estupradas, as mulheres estupradas por seus prórpios maridos rtendo filhos e mais filhos minha ética balança."

    Compreendo...já eu, mesmo vendo tudo isso...sou contra o aborto: nunca sabemos o plano que Deus tem para nós e por isso não me acho no direito de interferir.

    "Com relação à eutanásia sou completamente contra. Porém, sou mais contraria ainda à industria de unidades de terapias intensivas que mantém o corpo funcionado. que vida é esta? Bom, a bioética é outra questão complicada."

    Não é vida...e não acho que seja ético. Em vez de permitirem à alma descansar, não...deixam-na ali a pairar.
    Talvez um dia me foque na bioética.

    "De todo modo minha opinião é essa: eu não sei como sair do conflito."

    Compreendo...

    "Matar jamais! Porém em legítima defesa de um filho, de si mesmo?"

    É...dá que pensar, ou antes, re-pensar...

    "Meu comentário é uma pergunta devolvendo a sua porque são questões muito complexas, não?"

    lol tudo bem, não tem problema. Sim, de algum modo a complexidade atrai-me...acho que ouvir a vossa opinião ajuda-me a chegar a uma conclusão mais concreta...

    Bea, muito obrigada por este super comentário: adorei :D!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Bea,

    Já está colado no sidebar :D!

    ResponderEliminar
  7. Oi Diler :D!

    "Mas bah, Max! Teu blog deveria chamar-se "Amor a Polêmica", Tal a assiduidade com que postas temas delicados e difíceis para a grande maioria dos mortais...Entendo que não matarás é não matarás mesmo!"

    LOL "Amor a Polêmica" LOL LOL é...deveria ser esse o nome mesmo LOL. Aahh, Diler...estes temas não são dificeis, somente as pessoas tendem a fugir um pouco deles.... :)
    Compreendo...

    "Não há perdão para aquele que ceifa uma vida humana...Mesmo quem o faz em "legítima defesa" carrega o peso da morte em seus ombros."

    Isso é verdade: mesmo em legítima defesa a consciência fica pesada...é muito sério ceifar uma vida.

    "Parabéns pelo texto."

    Obrigada, gurio [lol] :)!

    Diler, muito obrigada pelo teu comentário :D!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Hello LSus :D!

    Welcome to Etnias, mate!!

    "Although I cannot read Portuguese I have to say this blog looks exceedingly scrumptious!"

    Thank you, darling *bowing*!

    "The Graffiti logo goes well with the header!"

    Doesn't it? I love this header...

    LS, it was so good to see you here :D! Thanks for the visit!

    Beijos (= kisses, which is the usual signature here at Etnias lol)

    ResponderEliminar
  9. Welll, aqui, do meu cômodo lugar, eu digo-te sem pestanejar, sou a favor de matar, apenas em duas situações: crime de estupro e anencefalia (ambos comprovados), em outra circunstancia, nao. Dói-e imenso ver o mundo em que pessoas se arvoram de Deus, de gestores da vida alheia, e por qualquer coisa, ceifam-lhe.
    Mas este é um tema mesmo melindroso e que mexe com sentimentos, culturas...

    E quanto às suas palavras no Canto: doce e sensível a forma como lá estás, e descreve de maneira sintética, as ambigüidades que nos compõe.

    Um beijinho, Max e obrigada pela visita sempre tão importante para mim.
    ;)

    ResponderEliminar
  10. Em defesa da própria vida, pode? Acho que também é o caso dos guerrilheiros não? E quanto ao suicídio? Estou perguntando sobre esses dois aspectos porque os demais que postou, concordo plenamente! Beijus

    ResponderEliminar
  11. OI Max

    Matar sempre será algo ruim, não temos o direito de dispor da vida alheia,e até mesmo possuindo o poder de escolha, também não temos o direito de dispor da nossa vida, no caso do suicídio.
    Penso assim, se Deus nos colocou aqui na Terra temos que seguir lutando até o final pela vida, e acreditar, falo isso porque também acredito em milagres.
    Mas sempre há casos que dão espaços para discussões...
    Vivemos em meio a violência desenfreada, e nesse caso é preciso que haja justiça dos homens também, existem pessoas que não estão mais em condições de viver em sociedade, mas o que fazer? Pena de morte? será que existe alguém aqui na Terra em condições de julgar alguém, e levá-lo a morte?
    O que sei é o seguinte, as pessoas de bem estão a todo momento sendo julgadas e condenadas à morte, quando saem de suas casas e são mortas por bandidos ou presenciam a morte de seus filhos por um ser que não vale o ar que respira, mas o que fazer? não acredito em recuperação nas cadeias, pelo menos no sistema que vigora hoje em dia, então voltamos as velhas questões, reforma no sistema de cadeias, nas leis contra crimes, na educação, nas codiçoes mínimas de vida, uma coisas puxa a outra e acabamos concluindo que estamos vivendo o caos.
    Afinal tudo tem um contexto,você falou em pecado e karma, bem para eu falar de karma fica meio difícil já que não acredito que retornarem aqui, mesmo achando que isso explicaria muita coisa.
    Agora cada um será julgado conforme viveu e conforme o que fez, mas se alguém puder proteger um inocente, também acho que isso terá valor.

    Amiga muito bom

    beijinhos e bom domingo

    ResponderEliminar
  12. Matar é uma das causas mais graves no direito Max...nada é inadimissivel do que tirar uma vida humana...apesar que aki no Brasil muitas vezes é abaixado essa dosagem de pena...sem sentido mesmo essa gana q foi criada pelo proprio ser humano....

    MATAR JAMAIS ...PAZ SIM...

    bjao

    ResponderEliminar
  13. Oi Canto da Boca :D!

    "Welll, aqui, do meu cômodo lugar, eu digo-te sem pestanejar, sou a favor de matar, apenas em duas situações: crime de estupro e anencefalia (ambos comprovados), em outra circunstancia, nao. Dói-e imenso ver o mundo em que pessoas se arvoram de Deus, de gestores da vida alheia, e por qualquer coisa, ceifam-lhe."

    O estupro é um crime que deveria mesmo ser punível por morte: não há justificação possível para a violação.
    É verdade...é terrível quando, em nome de Deus, se ceifam vidas...Deus não precisa de tais intermediários.

    "E quanto às suas palavras no Canto: doce e sensível a forma como lá estás, e descreve de maneira sintética, as ambigüidades que nos compõe."

    Obrigada, minha linda! A tua escrita é que me inspira tais palavras: sublime!!

    "Um beijinho, Max e obrigada pela visita sempre tão importante para mim. ;)"

    Beijinhos, e de nada :)!

    Ah, e obrigada pelo teu comentário super super: amei :D!

    Tchau

    ResponderEliminar
  14. Oi Luma :D!

    "Em defesa da própria vida, pode?"

    Não é intencional nem premeditado...logo, deve.

    "Acho que também é o caso dos guerrilheiros não?"

    Depende de que tipo de guerrilheiros estamos a falar...

    "E quanto ao suicídio?"

    Suícidio é tirar a própria vida de modo premeditado, intencional...logo não deve (porque poder pode, mas as consequências [kármicas] a serem enfrentadas são duríssimas).

    Luma, obrigada por colocares perguntas tão relevantes (que poderão ajudar outras pessoas que tenham as mesmas dúvidas) :D!

    Beijoss

    ResponderEliminar
  15. Oi Dri :D!

    "Matar sempre será algo ruim, não temos o direito de dispor da vida alheia,e até mesmo possuindo o poder de escolha, também não temos o direito de dispor da nossa vida, no caso do suicídio."

    *Acenando a cabeça em total acordo*...

    "Penso assim, se Deus nos colocou aqui na Terra temos que seguir lutando até o final pela vida, e acreditar, falo isso porque também acredito em milagres."

    Eu também acredito em milagres...e mais uma vez concordo contigo.

    "Vivemos em meio a violência desenfreada, e nesse caso é preciso que haja justiça dos homens também, existem pessoas que não estão mais em condições de viver em sociedade, mas o que fazer? Pena de morte? será que existe alguém aqui na Terra em condições de julgar alguém, e levá-lo a morte?"

    Olha, eu vou ser sincera...se um homem violar uma mulher/criança, podes crer que um painel de mulheres deveria estudar as provas e se estas fossem 100% conclusivas (sim, porque há mulheres/crianças que mentem): o tipo teria que ser morto...não há desculpa, nem justificação, nem perdão, porque estes sub-humanos premeditam e intencionalmente "matam" outras pessoas com os seus actos hediondos.

    "O que sei é o seguinte, as pessoas de bem estão a todo momento sendo julgadas e condenadas à morte, quando saem de suas casas e são mortas por bandidos ou presenciam a morte de seus filhos por um ser que não vale o ar que respira, mas o que fazer? não acredito em recuperação nas cadeias, pelo menos no sistema que vigora hoje em dia, então voltamos as velhas questões, reforma no sistema de cadeias, nas leis contra crimes, na educação, nas codiçoes mínimas de vida, uma coisas puxa a outra e acabamos concluindo que estamos vivendo o caos."

    Este é um importante ponto: reforma do sistema prisional.
    Também acho que necessita de ser reformado, em todo o mundo - pois muitas vezes os criminosos saiem lá de dentro pior do que quando entraram. Mas alguns regeneram-se (com os programas da Igreja Cristã/Muçulmana nad cadeias).
    O teu ponto é mais que válido....

    "Afinal tudo tem um contexto,você falou em pecado e karma, bem para eu falar de karma fica meio difícil já que não acredito que retornarem aqui, mesmo achando que isso explicaria muita coisa."

    Compreendo...

    "Agora cada um será julgado conforme viveu e conforme o que fez, mas se alguém puder proteger um inocente, também acho que isso terá valor."

    Bem dito...

    "Amiga muito bom"

    Obrigada, linda! Mas muito bom mesmo, foi o teu comentário: excelente!!! Obrigada :D!

    "beijinhos e bom domingo"

    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  16. Oi Philip :D!

    "Matar é uma das causas mais graves no direito Max...nada é inadimissivel do que tirar uma vida humana...apesar que aki no Brasil muitas vezes é abaixado essa dosagem de pena...sem sentido mesmo essa gana q foi criada pelo proprio ser humano...."

    Compreendo perfeitamente o que queres dizer...e isto faz-nos pensar, não é?

    "MATAR JAMAIS ...PAZ SIM..."

    A tua opinião fica anotada :D!

    Philip, obrigada pelo teu comentário...mesmo!!

    Beijão

    ResponderEliminar
  17. Que questão mais complexa esta!
    Pensando...pensando...
    Ética, moral, direitos humanos, leis, códigos, religião, sistema político, justiça etc...Não acho que matar seja a solução, pelo menos não deveria ser a mais comum, a mais banal e a mais eficaz para combater o caos da violência, mas por outro lado, analisando alguns casos, alguns fatos históricos todas as Civilizações puniam criminosos, (assassinos) entre outros casos de maneira bem rígida...Lembra do Código de Hamurabi? "Olho por olho, dente por dente" ou "Pagar na mesma moeda" enfim...hoje isso seria algo extremamente cruel, mas na época era a lei e funcionava bem, era a lei e não uma vingança, mesmo contrariando o que Deus disse. Apesar que Hamurabi e os povos da mesopotâmia não conheciam tal religião, tal crença monoteista.
    Não creio que a violência deva ser combatida com violência, mas que deva sim ser combatida de maneira firme, justa e com leis que realmente punam os criminosos, que os façam pagar, ou seja, passar a vida toda atrás das grades, trabalhando para se sustentar e sustentar a família se for o caso.
    Enfim minha querida Max, tal tema é bem complexo, polêmico e eu poderia ficar aqui horas escrevendo, mas não quero me empolgar mais.
    Aqui no Brasil infelizmente as leis são fracas, há muita corrupção e o sistema que cria e julga as leis tem pecado demais fazendo com que os criminosos comentam crimes horríveis sem se preocuparem com uma punição rígida.
    Se fossêmos analisar friamente a situação em alguns casos aqui, muitos diriam: "matar é a solução", "pena de morte sim" enfim...isso porque infelizmente convivemos com uma violência desmedida e descabida onde um sujeito no trânsito mata o outro sem sequer pensar no seu ato, enfim, matam como eu costumo dizer, "por nada, por besteira". Violência nas escolas, nas ruas, no futebol isso fora os sequestros os roubos e mortes, então acho que para punir rigidamente sem contrariar algumas crenças religiosas e sem contrariar a carta universal dos direitos humanos, só com leis rigidas e homens com coragem para aplicá-las.
    Fico por aqui, acho que passei meu recado! E olha que eu nem quis entrar no ponto religioso da questão rsrsrsrs
    Beijo
    Até...

    ResponderEliminar
  18. Oi Angel :D!

    "...Lembra do Código de Hamurabi? "Olho por olho, dente por dente" ou "Pagar na mesma moeda" enfim...hoje isso seria algo extremamente cruel, mas na época era a lei e funcionava bem, era a lei e não uma vingança, mesmo contrariando o que Deus disse. Apesar que Hamurabi e os povos da mesopotâmia não conheciam tal religião, tal crença monoteista."

    Sim, claro. Bem, Deus (apesar de ter ordenado que não se cometesse homicídio - i.e. assassínio premeditado) ordenou que se castigasse aqueles que cometessem pequenos delitos e que estes pagassem "na mesma moeda"...a expressão "olho por olho, dente por dente" é uma expressão contida na Lei Judaica (Torah) que precede muitos povos.
    Mas compreendo bem o que queres dizer.

    "Não creio que a violência deva ser combatida com violência, mas que deva sim ser combatida de maneira firme, justa e com leis que realmente punam os criminosos, que os façam pagar, ou seja, passar a vida toda atrás das grades, trabalhando para se sustentar e sustentar a família se for o caso."

    Gostei do teu plano para o sistema prisional...se se organizasse a coisa como deve de ser (e se obliterasse os guardas prisionais corruptos - o que é um pouco difícil) talvez funcionasse.

    "Enfim minha querida Max, tal tema é bem complexo, polêmico e eu poderia ficar aqui horas escrevendo, mas não quero me empolgar mais.
    Aqui no Brasil infelizmente as leis são fracas, há muita corrupção e o sistema que cria e julga as leis tem pecado demais fazendo com que os criminosos comentam crimes horríveis sem se preocuparem com uma punição rígida."

    É isso que tenho ouvido, infelizmente...mas olha, quem sabe se um dia não muda?

    "Se fossêmos analisar friamente a situação em alguns casos aqui, muitos diriam: "matar é a solução", "pena de morte sim" enfim...isso porque infelizmente convivemos com uma violência desmedida e descabida onde um sujeito no trânsito mata o outro sem sequer pensar no seu ato, enfim, matam como eu costumo dizer, "por nada, por besteira". Violência nas escolas, nas ruas, no futebol isso fora os sequestros os roubos e mortes, então acho que para punir rigidamente sem contrariar algumas crenças religiosas e sem contrariar a carta universal dos direitos humanos, só com leis rigidas e homens com coragem para aplicá-las."

    Que horror! Parece que impera a dita "lei da selva", ein? Às vezes para se impôr a ordem há que ser meio déspota (mas o perigo disso é enorme, porque o líder da nação pode tomar o gosto e depois lascou: ditadura...e isso não pode ser), mas tem de haver uma saída mais nobre.

    "Fico por aqui, acho que passei meu recado! E olha que eu nem quis entrar no ponto religioso da questão rsrsrsrs"

    Amei o teu recado! Obrigada por partilhares connosco a tua opinião pessoal :D!
    LOL Eu teria amado ouvir o teu ponto religioso (é outro tema que adoro)...mas fica para uma outra vez :D!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço