Filhos do Império


O Império Português foi o mais duradoiro dos Impérios ultramarinos Europeus; tendo durado quase 6 séculos (1415-2002).

Há 3 datas diferentes para a queda do Império:

  1. O fim de facto: 1975, quando as colónias Portuguesas proclamaram, ao mesmo tempo, a sua independência e/ou viram-na ser reconhecida pela metrópole (excepto Macau, que detinha um estatuto especial).
  2. O fim de jure: 20 de Dezembro de 1999, quando Macau – o último território sob a administração Portuguesa – foi devolvida à República Popular da China.
  3. O verdadeiro fim de jure: 2002, quando Portugal reconheceu a soberania de Timor-Leste, após a sua libertação da ocupação Indonésia.

Contudo o mais doloroso foi o fim de facto do Império de 1975.
O processo da descolonização foi mal feito (ex: os direitos dos cidadãos que viveram em território Africano, e que se consideravam Portugueses, não ficaram claros no acordo da descolonização; Portugal falhou em providenciar garantias contra as propriedades que os seus cidadãos possuiam em África [deste modo, após a descolonização muitos perderam tudo e retornaram a Portugal de mãos vazias]; e o governo dos territórios foi entregue a pessoas despreparadas, sem que um governo de transição tivesse sido criado, ignorando por completo as consequências de um acto tão irresponsável).

Portugal desiludiu os filhos do seu império.


Os soldados que lutaram na Guerra do ultramar
Estes filhos do império lutaram para defender a soberania imperial da sua nação; foram derrotados, voltaram com cicatrizes psicológicas e físicas e, o que foi que Portugal fez? Não lhes ofereceu qualquer apoio; não reconheceu o seu trabalho, os seus sacrifícios, o seu dever patriótico; nem sequer lhes deu uma compensação monetária (a qual lhes tem vindo a prometer há anos) – hão-de morrer, e voltar, e não ver um tostão.

Os assimilados Africanos
Estes filhos do império que foram obrigados a cantar A Portuguesa (hino nacional; ainda que muitos nunca tivessem ido a Portugal), o hino da Mocidade Portuguesa (a juventude fascista, à qual todos tinham de pertencer – por livre espontânea pressão), qualquer hino que Portugal inventasse; que tinham de saber de cor os rios, os caminhos de ferro, as estradas e as Dinastias Reais Portugueses; que foram “encorajados” a levar um estilo de vida Europeu, por ser mais civilizado...ao chegarem a Portugal, após a descolonização, tiveram de passar por um processo de naturalização, ainda que tivessem documentos que afirmavam terem sido Portugueses durante toda a sua vida.

Os Portugueses que viviam em África
Estes filhos do império perderam tudo o que construiram em África, e por decreto de líderes Africanos vingativos tiveram de deixar os países (onde muitos cresceram) em 24 horas, carregando somente 20 kgs de todos os seus pertences – esta operação foi apelidada de 24/20. Ao chegarem a Portugal foram rotulados de “os Retornados” e, classificados como cidadãos de segunda. 
Curiosamente, foram eles (juntamente com os assimilados) quem limpou e desenvolveu Portugal (pois à sua chegada, aquele era um país pobre, sujo, cuja capital estava rodeada de barracas – coisa que não existia nas nações Africanas antes de 1975 – e não havia um único  prédio alto, coisa que já existia em Moçambique, por exemplo).

Os Filhos dos filhos do império
Cresceram a ouvir como Portugal era uma miséria em 1975-1977; como a Coca-Cola já existia em África há “séculos” (os Moçambicanos eram os “Coca-colas”), e Portugal nem sabia o que isso era (visto que só teve Coca-cola em 1984); e como o socialismo arruinara o trabalho árduo dos seus pais em África “Sim, tinham direito à independência, mas não como ela foi feita!”...
Estes miúdos mantêm uma relação de amor-ódio com Portugal. Amor porque não conhecem nada mais que o seu país; e ódio pelo que este fez aos seus pais.

Como Portugal lida com a descolonização
Se alguém a questiona é fascista. É um tema que não se ensina nas escolas; demonstrando, deste modo, a total falta de orgulho na sua História. Esperar que todos a esqueçam com o passar do tempo.

Contudo os Filhos do Império jamais deixarão esta página da história Portugesa ser obliterada. Passá-la-ão aos seus filhos, aos filhos dos seus filhos e, aos filhos dos filhos dos seus filhos.

Heróis do Mar, Nobre Povo!


Se quiseres ver ler mais sobre este tema, vai até ao blog do LS (em Inglês): Aqui

Comentários

  1. Max, todo império colonialista chega ao fim. Com o passar do tempo, os povos das colonias acabam evoluindo tanto cultural quando politicamente, e isso acaba sendo inevitavel.

    ResponderEliminar
  2. Oi Gato Cid :D!

    "Max, todo império colonialista chega ao fim. Com o passar do tempo, os povos das colonias acabam evoluindo tanto cultural quando politicamente, e isso acaba sendo inevitavel."

    É verdade. Concordo contigo...mas por exemplo, o Brasil foi muito mais forte que as outras colónias (evoluiu muito mais); por outro lado, defende-se que a descolonização do Brasil tenha sido mais amena que a das colónias Africanas (pois não se expulsaram Portugueses, por exemplo) - assim como a sua colonização (mas isto é discutível).

    No fim, acho que a descolonização foi boa (todos têm direito à sua independência), mas o que daí adveio...já é outra história, para alguns países...

    Cidão, muito obrigada pelo teu contributo: amei, amei, amei :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Oi Max
    Artigo interessante, é bom ler sobre outro ponto de vista.
    É triste saber como os soldados são tratados sem nenhum reconhecimento,isso acaba matando o patriotismo, a unidade do país como nação.
    Essa questão dos assimilados africanos é algo que realmente tinha que ser discutido, pensa comigo, afinal se algum território "pertence"a outro como colônia, este não está incorporando só a terra, mas sim todo o seu povo esses deveriam ser também portugueses de fato, e não um povo que vive na terra que eles (colonizadores)tinham como dele...
    De repente se fosse assim, quem sabe os colonizadores não tivessem sido expulsos quando houve a independência...
    É triste saber Como Portugal lida com a descolonização, eu não sabia que era assim...
    Aqui no Brasil ocorreu bem diferente, o que pode ter contribuido também para a diferença foi a mudança da corte para cá, a partir daquele momento as coisas tomaram outro rumo ...Agora nosso povo encara as coisas de uma forma mas leve, alguns fazem até piada de certos assuntos, não sei se é bom ou ruim, mas é um jeito diferente de encarar a vida.


    beijos amiga

    ResponderEliminar
  4. Max grandes temas aki tmb ne..eu flaando de historia e vc aki dando showw....vo aprofundar tmb....gosto de historia...

    bjoss

    ResponderEliminar
  5. Creio que o povo não nem a nação devem ser combatidas, o que resultaria em xenofobia, mas o ímpeto que levou o país a fazer tais atitudes, belas nas letras de Camões e duras na realidade dos colonizados.


    Desculpe-me pela ausência.
    Abraços
    aurasacrafames.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Oie oie!
    Podes usar aquela imagem sim, minha amiga, fique à vontade ok?
    Belo post! Todos os Impérios cedo ou tarde terminam, por bem ou por mal não é mesmo?! O legado cultural permanece, mais imperadores, reis e rainhas passam!
    Beijos
    Até breve...

    ResponderEliminar
  7. São tristes e injustos os acotecimetos que cercarão a descolonização das pocessões portuguesas em Africa. No entanto penso que triste mesmo foi o que acontenceu no Brasil, e porque não dizer na América como um todo; os ameríndios foram desimados pela simples presença dos europeos; portugueses e espanhois, as doenças e parasitas, trazidas pelos homens e animais domésticos, foram fatais para os nativos.
    Assim, por ocasião da descolonização Brasil, eram na verdade portugueses e seus filhos e africanos, os que aqui ficaram, e não tinham disposição para voltar à metrópoli.
    O verdadeiro povo brasileiro, o mulato filho deste caldeirão de etnias que é o Brasil, ainda está em formação...Assim não há motivo de ódio ou recentimentos entre brasileiros e portugues, até porque nosso litoral está cheio de cidades com arquitetura, gostos e costumes herdados do Império.

    ResponderEliminar
  8. Olá Dri :D!

    "Artigo interessante, é bom ler sobre outro ponto de vista."

    Obrigada :)!

    "É triste saber como os soldados são tratados sem nenhum reconhecimento,isso acaba matando o patriotismo, a unidade do país como nação."

    É verdade, mas infelizmente é o que acontece em quase todo o mundo. Os EUA só agora, com o Presidente Obama, é que irão dar apoio aos veteranos de guerra.

    "Essa questão dos assimilados africanos é algo que realmente tinha que ser discutido, pensa comigo, afinal se algum território "pertence"a outro como colônia, este não está incorporando só a terra, mas sim todo o seu povo esses deveriam ser também portugueses de fato, e não um povo que vive na terra que eles (colonizadores)tinham como dele..."

    Tens toda a razão! Deveria ter sido assim, mas não foi.

    "De repente se fosse assim, quem sabe os colonizadores não tivessem sido expulsos quando houve a independência..."

    É o que passo a vida a dizer...mas também, a culpa não é totalmente de Portugal; as ex-colónias também têm a sua quota de culpa. Poderiam até reclamar que Portugal fez mal a descolonização, mas o que fizeram algumas das colónias desde então? Guerra, corrupção, e roubar o povo...
    Cabo-Verde, Goa, Macau andaram para a frente...as outras colónias deveriam fazer o mesmo.
    O Brasil foi um caso à parte, mas concerteza teve os seus momentos traumáticos e também andou para frente.

    "É triste saber Como Portugal lida com a descolonização, eu não sabia que era assim..."

    É de facto triste...

    "Aqui no Brasil ocorreu bem diferente, o que pode ter contribuido também para a diferença foi a mudança da corte para cá, a partir daquele momento as coisas tomaram outro rumo ...Agora nosso povo encara as coisas de uma forma mas leve, alguns fazem até piada de certos assuntos, não sei se é bom ou ruim, mas é um jeito diferente de encarar a vida."

    Exactamente! É o que digo...o povo andou para a frente, não se concentrou no passado!

    Dri, muito obrigada por partilhares o teu pensamento connosco: amo! :D

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Oi Philip :D!

    "Max grandes temas aki tmb ne..eu flaando de historia e vc aki dando showw....vo aprofundar tmb....gosto de historia..."

    Obrigada, meu lindo! O teu artigo sobre a ordem dos templários é fantástico!

    Obrigada pela visita; é sempre bem-vinda! :D

    Beijoooosss

    ResponderEliminar
  10. Olá Aura Sacra :D!

    Bem-vindo à arena do Etnias!! :)

    "Creio que o povo não nem a nação devem ser combatidas, o que resultaria em xenofobia, mas o ímpeto que levou o país a fazer tais atitudes, belas nas letras de Camões e duras na realidade dos colonizados."

    Xenofobia é outro horror que este tipo de situação comporta, por vezes.
    Mas gostei do teu ponto de vista!

    Obrigada pelo teu pensamento :D!

    Abraços

    ResponderEliminar
  11. Oi Angel :D!

    "Podes usar aquela imagem sim, minha amiga, fique à vontade ok?"

    Obrigadão...vou usar hoje mesmo!

    "Belo post! Todos os Impérios cedo ou tarde terminam, por bem ou por mal não é mesmo?! O legado cultural permanece, mais imperadores, reis e rainhas passam!"

    É mesmo! Em alguns países passaram, em outros ficaram (U.K. Holanda, Suécia, Espanha etc).
    Mas o legado cultural tem sempre de ser defendido, a meu ver!

    Angel, obrigada pela visita e por teres partilhado o teu pensamento :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  12. Olá Diler :D!

    "São tristes e injustos os acotecimetos que cercarão a descolonização das pocessões portuguesas em Africa. No entanto penso que triste mesmo foi o que acontenceu no Brasil, e porque não dizer na América como um todo; os ameríndios foram desimados pela simples presença dos europeos; portugueses e espanhois, as doenças e parasitas, trazidas pelos homens e animais domésticos, foram fatais para os nativos."

    Tens razão! E não me esqueço nunca disso (aliás até mencionei isso num dos meus artigos "Contornando o Protocolo)).

    "Assim, por ocasião da descolonização Brasil, eram na verdade portugueses e seus filhos e africanos, os que aqui ficaram, e não tinham disposição para voltar à metrópoli."

    Pois...

    "O verdadeiro povo brasileiro, o mulato filho deste caldeirão de etnias que é o Brasil, ainda está em formação...Assim não há motivo de ódio ou recentimentos entre brasileiros e portugues, até porque nosso litoral está cheio de cidades com arquitetura, gostos e costumes herdados do Império."

    Graças a Deus que assim seja! As ex-colónias Africanas deveriam aprender com o Brasil!

    Diler, muito obrigada por este comentário super super :D!

    Um abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço