Ética: o Empregado e o seu Chefe


Quanto apreço deveria ser demonstrado a uma pessoa que trabalha sob as ordens de alguém? Muito.

Empregado doméstico Vs Dono da Casa

É de um extremo mau gosto maltratar um empregado doméstico.

As pessoas nunca deveriam esquecer o que os empregados fazem por si: limpam a sua casa de banho [e Deus sabe o que isso significa quando têm o azar de apanhar um patrão porco]; limpam a porcaria que fazem [quando bebem e derramam tudo no chão; quando vomitam o conteúdo do seu estômago em locais impróprios; quando entram em casa/apartamento com os pés sujos de lama etc]; limpam a sua casa; lavam as roupas e roupa interior dos patrões [acho que cada um deveria lavar a sua própria roupa interior – mas,por ora, escuso-me de explicar as razões por detrás desta sugestão]; aturam os seus filhos mal-educados; lavam o carro dos patrões; cuidam do seu jardim; fazem-lhes companhia; mantêm a família em segurança etc...Os empregados domésticos organizam a vida daqueles para quem trabalham; testemunham as suas misérias; certificam-se de que a casa dos patrões seja um lugar para onde eles anseiem voltar após um longo dia de trabalho. Os empregados domésticos são a maior prova de paciência, bondade, e sentido de lealdade. Servir não está ao alcance de todos.

Será ético desprezar tais seres humanos? De modo nenhum.

Empregado Empresarial Vs Patrão/Chefe

É completamente detestável humilhar, ser injusto para com, tratar de forma indelicada, e desprezar um empregado, ou uma pessoa que trabalhe sob ordens directas/indirectas.

Corrijam-me se estiver errada, mas um empregado é alguém que contribui imensamente para o sucesso de uma empresa, uma vez que ajuda a gerar riqueza. Já alguma vez repararam no que é que acontece quando um empregado é maltratado pelo seu patrão? Ou não fará o seu trabalho como deve de ser (o que lhe poderá custar o seu emprego; mas, que custará muito mais à empresa); ou não investirá todo o seu potencial no negócio; irá ressentir-se e sabotar a posição do chefe/pastrão/superior; ou ainda procurará vingar-se...Enquanto o patrão/chefe frustrado, traumatizado, sofredor do complexo de inferioridade, descarrega no seus empregados, ou pessoas sob as sua ordens, a companhia é que sofre as consequências: perde posição no mercado; erros são ignorados; o falhanço bate à porta (e alguém ir-lhe-á abrir a porta)...

Será ético praticar o despotismo nos seus empregados? Não, não é. Ter a coragem para admitir que os trabalhadores são um bem valioso é conduzir a sua vida de acordo com os princípios da Honra empresarial e Responsabilidade Social.

O Povo Vs Governo

Quando o Primeiro-Ministro/Presidente é eleito para servir o povo; é desprezível quando aquele decide servir os seus próprios interesses.

Possuir um cargo político significa estar consciente do facto de que a sua missão é defender os interesses daqueles que o elegeram; significando isto que o povo tem de ser ouvido, respeitado, e servido; visto que afinal é ele quem contribui para o seu salário, despesas de deslocação; a gestão da nação etc...Servir a nação não compraz fazer uso do dinheiro público para criar instituições que irão empregar os amigos e familiares do Primeiro-Ministro/Presidente; não significa usar o dinheiro dos impostos para financiar despesas pessoais; e não tem certamente por definição explorar os recursos naturais do país para beneficiar os seus camaradas. Quando se é Primeiro-Ministro/Presidente, uma pessoa dever de ser humilde, e fazer de tudo para evitar cometer erros que possam vir a corroer o tecido social do país.

Será ético trair a confiança nele depositada pelos eleitores? Ó não, não é mesmo.


Imagem: Lacrando a carta de Jéan-Baptiste Siméon Chardin

Comentários

  1. Olha max, eu não sirvo para ser patrão ou ter um cargo de liderança. Não consigo mandar em alguém!!!
    Serei eternamente um empregado!

    ResponderEliminar
  2. Gato Cid...Oi!! :D

    Ainda que sejas um eterno empregado, mereces todo o meu (e o de qualquer um) respeito e carinho, amigão :)!

    Não consegues mandar em ninguém? Pensei que este tipo de personalidade fosse um mito urbano... ;)

    Obrigada pelo teu comentário, gato!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Oi Max
    É surpreendente o que algumas pessoas são capazes de fazer com outras só porque estas mantém um vínculo de empregado com as primeiras, de fato ocorre todo o tipo de humilhações, o que é um absurdo já que nenhum tipo de trabalho o torna melhor ou pior do que ninguém.
    Acho que tem gente por aí que pensa estar no tempo da escravidão.
    O que é uma lástima

    Ah, adorei a idéia do SlogBite, já me cadastrei

    beijos

    ResponderEliminar
  4. Oi Adriana :D!

    "Acho que tem gente por aí que pensa estar no tempo da escravidão. O que é uma lástima"

    É verdade!! Chamemos-lhe o Sindrome da Escravatura (aqueles que só lhes falta dar uma chibatadas nos seus empregados) - é uma vergonha!!

    "Ah, adorei a idéia do SlogBite, já me cadastrei"

    Óptimo!!! Bem-vinda e obrigada :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Max,

    Respondi a teus questionamentos no meu blog. Vai conferir!

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Olá, Max!

    Desculpe-me pela ausência! Estou de volta! :-)

    Bom, suas colocações nas três esferas trabalhistas estão perfeitas (sim, porque o Governo também presta um serviço, um serviço à população). De minha parte, penso que apenas a Empresarial evoluiu mais que as outras nestas últimas décadas. Ainda há muito a evoluir, mas a empresarial está mais próxima do equilíbrio! :-)

    Beijão!
    Juca

    PS: Bom final de semana!

    ResponderEliminar
  7. Oi Juca :D!

    Estás mais que perdoado ;)!

    É verdade, de todas a esferas referidas neste artigo; a empresarial foi a que evoluiu mais! Resultado da nova Gestão!

    Obrigada pela visita e pelas palavras generosas (como sempre) :D!

    Beijão e boa semana!

    ResponderEliminar
  8. Obrigado, Max! Boa semana pra ti também! :-)

    Beijos!

    Juca

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço