A Gestão da Verdade



Quando somos crianças somos ensinados que devemos sempre dizer a verdade, senão sofreremos as consequências. Desse momento, em diante sentimos imediatamente o peso da responsabilidade de constantemente termos de dizer a verdade.
Durante a infância, a culpa que sentimos após proferirmos uma mentira é avassaladora (na nossa mente ouvimos constantemente “Sofrerás as consequências! Sofrerás as consequências!”).

Quando crescemos, e nos tornamos adolescentes, começamos a apercebermo-nos das nuances da vida: por vezes dizer a verdade aporta-nos mais problemas do que benefícios. No entanto, debatemo-nos com as ordens dadas na infância e com o conhecimento adquirido. O que fazer? Aplicamos o recém-aprendido conceito da mentirinha e o básico da Gestão da Verdade: uma adolescente diz aos seus pais que vai estudar a casa de uma amiga...e, é claro que se “esquece” de mencionar o facto de que estarão presentes rapazes sem a supervisão de um adulto “Está bem, podes ir, querida! Mas volta antes do jantar!” responde a mãmã...

Atinge-se a idade adulta. Temos experiência suficiente acerca da Mentira Vs Verdade para saber como fazer acrobacias com as duas. Não obstante ainda nos debatemos: as instruções inseridas na mente, quando crianças, ainda gritam alto, martelam dentro da nossa cabeça para que implementemos a todo o momento um dos valores morais mais apreciados (e no entanto temidos): a verdade.
Por outro lado, a nossa vida professional exige muitas das vezes que omitamos a verdade, que a falsifiquemos or que a giramos.
Também vimos a descobrir que para ter uma vida social, muitas vezes começamos por ou omitir a verdade, falsificá-la ou geri-la de uma maneira tal que quando os alvos sociais (amigos, amantes, cônjuges, vizinhos etc) completam o puzzle, já estão tão fascinados por nós que já não se importam com a verdade (muito provavelmente porque fizeram o mesmo pelo menos uma vez na sua vida – os humanos parecem ser extremamente clementes quando se revêm numa determinada situação).

Poderás perguntar: mas falsificar e gerir a verdade não é = a mentir?
Resposta: não, não exactamente. Sabes, mentir é propositamente dizer algo que não é verdade, e que possa ter consequências nefastas ao se descobrir a verdade (alguém pode sair magoado, ofendido, ferido ou morto).
Falsificar a verdade pode ser crucial em situações de segurança nacional, tais como a espionagem, operações especiais, investigações sob-disfarce etc), em que novas identidades serão criadas, novos comportamentos serão desenhados e uma nova estória (e história) de vida serão fabricadas.
Gerir a verdade significa produzir uma máscara que será usada em público, deixando contudo transparecer raios de verdade que iluminarão as relações (de qualquer sorte). Por exemplo: a gestão da verdade é um instrumento vital utilizado em política (em particular no ramo da diplomacia), em business e nas relações públicas se se desejar evitar o pânico.
Dar a volta à verdade é também um conceito comportamental entre casais, amigos, irmãos, vizinhos, dentro da comunidade se se pretender manter a paz.
Este tipo de gestão é também usado muitas vezes em casos de protecção de privacidade.
E finalmente pode ser usada como um mecanismo de defesa (começamos a fabricar histórias dentro da verdadeira história afim de nos absolvermos do facto de não dizermos a verdade).

Amamos a verdade, precisamos dela, queremo-la; contudo quão preparados estaremos para ouvir a verdade, toda a verdade e nada mais que a verdade?


Para uma leitura extensive sobre este assunto, sugiro a leitura do trabalho do Livingsword: Aqui.


Comentários

  1. A verdade as vezes dói. O problema dessa "gestão" ao meu ver é que chega um momento na qual passamos a acreditar que tais mentirinhas passam a ser verdades, verdades distorcidas, não importa o motivo.
    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  2. Oi Cidão,

    Talvez...talvez quando se gere em demasia a verdade chega-se a um ponto em que já não se diferencia a mentira da verdade...

    Muito bom comentário, gato: obrigada :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Omitir a verdade não é mentir quando não se sabe a resposta ou não se tem conhecimento da mentira. Ao contrário, omitir uma mentira é ser conivente com ela.
    Ouvimos falar das mentiras sociais, aquelas que para não magoas, as omitimos e depois vem o amigo dizer: porque não disse, se sabia?
    Nestas horas a nossa consciencia manda mais do que sermos donos da verdade. Como diz minha mãmã: "Melhor avermelhar na hora, do que roxear depois"
    Boa semana!! Beijus

    ResponderEliminar
  4. Oi Luma,

    "Omitir a verdade não é mentir quando não se sabe a resposta ou não se tem conhecimento da mentira. Ao contrário, omitir uma mentira é ser conivente com ela." - religiosamente falando, de facto, omitir a mentira é ser conivente com ela. Mas eticamente falando, se soubermos que divulgar a mentira trará mais infelicidade do que omiti-la: deveremos trazê-la a público e ferir as pessoas, ou devemos salvaguardar o seu bem-estar?

    "Ouvimos falar das mentiras sociais, aquelas que para não magoas, as omitimos e depois vem o amigo dizer: porque não disse, se sabia?" - LOL é, mas também muitas vezes avisa-se os amigos que depois dizem "Estás com inveja!" ou "Não sejas implicante" e quando não são avisados fazem-se de compreensivos "deverias ter-me avisado" como se....

    "Nestas horas a nossa consciencia manda mais do que sermos donos da verdade. Como diz minha mãmã: "Melhor avermelhar na hora, do que roxear depois"" - não está com nada sermos donos da verdade. LOL a tua mãe deu-te um bom conselho :)!

    Obrigada, linda: tem tu também uma boa semana!

    E obrigada por este comentário super super :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Max, acho bom então nem sermos confidentes de alguém ou sabermos dos fatos. A ignorância pode nos proteger!

    Eu me cadastrei no Creative Commons tempos atrás e a licença estava publicada até o seu presente comentário no pé da página. Como uma luz, coloquei no pé das postagens! Obrigada!! Beijus

    ResponderEliminar
  6. Oi Luma,

    "Max, acho bom então nem sermos confidentes de alguém ou sabermos dos fatos. A ignorância pode nos proteger!" - lol por incrível que pareça, às vezes o melhor é não saber! E quanto ao sermos confidentes de alguém...será que somos mesmo; ou será que só sabemos aquilo que os outros querem que saibamos (talvez a confidência seja manipulada ou gerida...quem sabe)?

    "Eu me cadastrei no Creative Commons tempos atrás e a licença estava publicada até o seu presente comentário no pé da página. Como uma luz, coloquei no pé das postagens! Obrigada!! Beijus" - tava? Não vi!! Mil perdões! Foste uma querida..obrigada eu :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Excelente texto!

    Eu sou a favor de dizer a verdade sempre, mas de vez em quando acabo escorregando em alguma mentirinha "inocente".
    Eu sou daquelas que considera uma meia verdade como uma mentira inteira e prefiro dizer a verdade completa do que dizer uma meia verdade.

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Oi Carla,

    Muito obrigada :D!

    LOL é, por mais que amemos a verdade, às vezes fica dificil dizê-la a toda a hora e momento lol!

    "Eu sou daquelas que considera uma meia verdade como uma mentira inteira e prefiro dizer a verdade completa do que dizer uma meia verdade." - a sério? Poder-te-ia chamar de Amante da Verdade Radical :)! Eu não, já vi tanta coisa que aprendi que às vezes é necessário gerir a verdade!

    Obrigada pelo teu contributo, amei :)!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. A despeito de tudo que já comentaram aqui, penso que a grande maioria das pessoas preferem viver na ignorância simplesmente porque têm medo da verdade, de pensar por si próprias. Muitas vezes fico tentado a assim também agir, mas meu ser já não aceita viver de olhos vendados. Prefiro sofrer por ter de pensar ou decidir sobre determinado assunto a viver como se nada ocorresse à minha volta.

    Beijos, Max! Boa noite de sábado e ótimo domingo! Desculpe pela ausência dos últimos dias! :-) Ah, saiba que tenho seus comentários lá no meu blog em alta conta. Obrigado!

    Juca

    ResponderEliminar
  10. Oi Juca!!!! :D

    Que maravilha ter-te aqui!!!

    "A despeito de tudo que já comentaram aqui, penso que a grande maioria das pessoas preferem viver na ignorância simplesmente porque têm medo da verdade, de pensar por si próprias. Muitas vezes fico tentado a assim também agir, mas meu ser já não aceita viver de olhos vendados. Prefiro sofrer por ter de pensar ou decidir sobre determinado assunto a viver como se nada ocorresse à minha volta." - Amén!! Eu também prefiro sofrer e, encarar a verdade do que fingir que nada se passa no mundo.

    Espero que tenhas tido um bom fim de semana :D!

    "Desculpe pela ausência dos últimos dias! :-) Ah, saiba que tenho seus comentários lá no meu blog em alta conta. Obrigado!" - ora essa; não faz mal...eu sei como são as coisas :D! Obrigada eu, meu lindo!! O teu blog é o máximo e, é um prazer comentar lá :D!

    Beijos e muito obrigada por este comentário jóia!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço