Manifesto contra a vulgaridade


Chocante…
No passado fim-de-semana submeti-me à tortura: assisti a um programa no canal E!
De vez em quando gosto de me inteirar sobre o que a juventude anda a ver na televisão; quais as celebridades que escolhem idolatrar e quais os estilos, ou tendências, que escolhem seguir.

O programa em questão era “As 26 mulheres mais sexies do mundo” e no fim do mesmo decidi que tinha de emitir um manifesto:

Fui sempre a favor da liberdade de expressão...da liberdade per se. Contudo sempre achei que que fôssemos suficientemente inteligentes para saber que a liberdade não é assim tão livre e, que ser livre não implica negligenciar o senso comum e o bom gosto.
A sociedade está decadente. Sensualidade não é mais igual a uma conexão energética profunda; ser sexy não se traduz mais em emanar o secreto perfume sensual que irá atrair o sexo oposto. Ser sexy, hoje em dia, significa exibir a vulgaridade e o mau gosto.

Inteligência, mistério, modéstia, estilo; uma determinada maneira de caminhar, de sorrir, falar e rir; um convite tácito, um olhar, um cheiro, um gesto, uma determinada postura...tudo isto pode ser extremamente sexy.
Mas ao que parece somente alguns partilham desta opinião, uma vez que a maioria está mais que disposta a aceitar a ideia (de pessoas que odeiam mulheres) do que é ser sexy:

- Seios falsificados (algumas aumentam os seios para tamanhos tais, que chegamos a sentir pena da espinha delas)
- Inexistência de cintura (porquê ter um aspecto feminino se se pode parecer com um homem, com 5 horas de exercício diário)
- Barrigas lipo-aspiradas (não te ames, não te exercites, não comas como deve de ser: simplesmente aspira a tua barriga)
- Mamilos, coxas, nádegas à mostra (será que isto quer dizer que o mundo se está a tornar um enorme clube de strip-tease?)
- Ter sido presa
- Ter sido vista em coma alcoólico
- Agredir agentes policiais em aeroportos
- Usar linguagem vulgar

Tudo isto pode fazer valer o título de “Bad Girl” e, pelo o que ouvi dizer, isto é muito sexy.

Mas o que é que estamos a fazer? Será que somos tão pouco inteligentes que não nos apercebamos que estamos a encorajar a falta de respeito à mulheres? Que os nosso jovens estão a ser induzidos a acreditar que a falsificação feminina é o reflexo da realidade (e ao crescerem e casarem com mulheres normais e lindas, sentir-se-ão uns falhados porque não casaram com uma barbie siliconisada)?

Como ser humano, sinto-me envorgonhada.
A vulgaridade deveria ser repudiada.
A classe, o chic, a elegância, o estilo deveriam ser louvados.

Agora que desabafei sinto-me muito melhor. Mas não sei se até ao fim da semana conseguirei recuperar do trauma que sofri.
Chocante...
Imagem: Lady Alston de Thomas Gainsborough

Comentários

  1. Max, sua indignação é mais do que justa! Esta característica dos dias atuais poderia até ser aceita como normal, após tantos anos de puritanismo e hipocrisia, caso não tivéssemos usado tanta liberdade de maneira exageradamente leviana e sexual, esquecendo de dosar bom senso e decência e simplicidade. E digo isso tanto por parte do homem como da mulher! Um pouco de ousadia, dosado com mistério e pudor, garantiria muito mais sensualidade e prazer. As conquistas, o flerte, já nem são tão prazerosos devido a tudo estar à mostra.

    Beijos! Boa quinta-feira!

    ResponderEliminar
  2. Oi Juca! :D

    "Esta característica dos dias atuais poderia até ser aceita como normal, após tantos anos de puritanismo e hipocrisia, caso não tivéssemos usado tanta liberdade de maneira exageradamente leviana e sexual, esquecendo de dosar bom senso e decência e simplicidade." - é verdade, não nego que os exageros puritanos é que nos tenham levado a aquilo a que se chama "liberdade sexual", mas chegámos a um ponto em que daremos azo a que venha um doido qualquer e imponha tempos de puritanismo de novo. A história já provou que excesso levam a excessos antitéticos!

    "E digo isso tanto por parte do homem como da mulher!" - claro! Isto vale para os dois lados! Não falei dos homens porque ainda não vi "os 26 homens mais sexies do mundo" mas já sei que tal programa existe!

    "Um pouco de ousadia, dosado com mistério e pudor, garantiria muito mais sensualidade e prazer. As conquistas, o flerte, já nem são tão prazerosos devido a tudo estar à mostra." - não poderia concordar mais contigo!

    Juca, meu lindo, obrigada por teres partilhado connosco a tua opinião :D!

    Boa Quinta-feira e Beijos!

    ResponderEliminar
  3. :-)

    Max, é sempre um prazer vir visitá-la!

    Beijos!

    :-)

    ResponderEliminar
  4. Você foi perfeita, Max!! Penso na geração futura que está assimilando isto. Será que depois que chegarem ao fundo do poço, conseguirão submergir? Vejo muitos homens iludidos com essa falsa mulher e olha que não são jovens, são homens que não sabem envelhecer dignamente. De certa forma estou falando sobre essa falta de respeito também, lá no luz!
    A gente presencia cada coisa hoje em dia, que em nome da normalidade se torna algo bizarro, aos olhos daqueles que possuem consciência. Beijus

    ResponderEliminar
  5. Oi Juca,

    Obrigada! É sempre um prazer receber-te :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Oi Luma!

    :D

    "Penso na geração futura que está assimilando isto. Será que depois que chegarem ao fundo do poço, conseguirão submergir?" - é exactamente neles que penso cada vez que me deparo com a vulgaridade. Não sei, não; mas espero que consigam; pois o que se está a passar é horrível e temo aquilo que poderá originar.

    "Vejo muitos homens iludidos com essa falsa mulher e olha que não são jovens, são homens que não sabem envelhecer dignamente. De certa forma estou falando sobre essa falta de respeito também, lá no luz!" - que horror! Homem (assim como mulher) que não sabe envelhecer é triste. Compreendo o que dizes!

    "A gente presencia cada coisa hoje em dia, que em nome da normalidade se torna algo bizarro, aos olhos daqueles que possuem consciência." - é verdade! Não poderia concordar mais contigo!

    Luma, minha linda, muito obrigada por teres vindo e deixado este comentário fantástico :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Oi, querida Max!

    Vim deixar um beijo e desejar que seu final de semana seja tranqüilo e iluminado! Fique bem!

    Beijão!

    ResponderEliminar
  8. Oi Juca,

    Obrigada, lindo! De facto tive um fim-de-semana tranquilíssimo e iluminado...agora já sei que foram as tuas energias positivas :D!

    Espero que o teu fim-de-semana tenha sido igualmente tranquilo, querido!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. É, Max, parece que a coisa é globalizada. Aqui no Brasil a tv aberta está inundada de traseiros femininos abundantes, seja na música(maldito funk carioca, axé music...), seja na novelas e nas propagandas.
    É triste ver como a mulher é representada... o pior é que elas não estão nem aí, pois o que importa é a projeção, o sucesso imediato. Pena que elas possuem uma cabecinha tão pequena que assim como aparecem de repente, somem também de repente. Virou modismo.

    ResponderEliminar
  10. Oi Cidão!

    "É, Max, parece que a coisa é globalizada. Aqui no Brasil a tv aberta está inundada de traseiros femininos abundantes, seja na música(maldito funk carioca, axé music...), seja na novelas e nas propagandas." - de facto, é triste! E também detesto o funk..nunca vi tanta vulgaridade junta; credo!

    "É triste ver como a mulher é representada... o pior é que elas não estão nem aí, pois o que importa é a projeção, o sucesso imediato." - ééééé...elas são as responsáveis pelo desrespeito para com as mulheres; é uma vergonha!

    "Pena que elas possuem uma cabecinha tão pequena que assim como aparecem de repente, somem também de repente. Virou modismo." - tens razão!

    Gato, obrigada por este comentário joia!! Foi uma leitura prazerosa :D!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço