Líderes Pseudo-religiosos



Acordei esta manhã e de imediato me vi a deambular no tapete mágico dos meus pensamentos. Comecei a pensar em todos os antagonismos religiosos (à volta do mundo) e as disputas, desentendimentos e guerras que esses mesmo antagonismos geraram.

Jamais poderia, em plena consciência, negar a importância que as religiões têm na sociedade: tal como a lei existe para controlar as acções dos cidadãos; a religião está aí para lhes lembrar que há um Criador (que conhece o coração e as acções dos homens) e, por consequência, regulam o seu comportamento (dando, assim, assistência ao estado na manutenção da lei e da ordem). Contudo isto não é exactamente o que se verifica.

O meu intelecto produziu o seguinte conceito: as religiões deveriam somente aplicar-se no ensino das Res Dei (isto é, os assuntos de Deus) e colocar de parte as suas opiniões políticas, julgamentos, e sobretudo, evitar dizer às pessoas que a sua religião é melhor e mais verdadeira que a próxima.

Proclamar uma Supra verdade (acima de todas as outras crenças) e fazer julgamentos vãos são a principal causa pela qual as pessoas fogem da via espiritual.
Permitam-me que me explique melhor: se uma pessoa olha para os outros seres humanos como irmãos, e depois vem um representante religioso a gritar em público que esses irmãos são infiéis, desleais a Deus, que agem contra ele; ou que irão arder no inferno, que jamais entrarão no reino dos céus, ou ainda que o seu nome não será inscrito no livro da vida etc, simplesmente porque professa uma religião diferente...quem é que se pode sentir impelido a aprender mais sobre (ou continuar a pertencer a) uma religião que ensina tais coisas?
Quando alguém deseja pertencer a uma determinada comunidade religiosa e o seu representante-mor começa a dizer que o que essa pessoa é (ou representa) é um pecado; que os seus pensamentos mais profundos, a sua opinião, o seu discurso, opiniões, memórias, filosofia de vida são pecaminosos; que para fazer parte da comunidade tem de se submeter a sessões de “lavagem cerebral” para que a sua visão do mundo possa ser reprogramada (acabando por fazer, aos outros,o que lhe fizeram no início: apontar o dedo e acusá-los de serem pecaminosos por tudo e por nada)...o que é que isto quer dizer exactamente?
Se um qualquer grupo religioso encoraja (quando não força) as pessoas a não ver televisão, a não ouvir o rádio (a não ser estações religiosas e, as “como deve de ser” é claro), a não ler outros livros espirituais que não os seus...por que é que uma pessoa sensata se deveria deixar levar por isto?
Se o cabecilha de uma qualquer religião incentiva os seus membros a cometer homicídio em nome de Deus, quando o real propósito por detrás desta sugestão nada tem a ver com o Senhor, mas sim com política...quem é que pode confiar em tais líderes (que agem contra a vida, logo, contra Deus)?
O que significa quando um líder religioso incita um membro do seu local de culto a ceifar vidas inocentes em troca de 7 virgens no céu (quando, apesar dos rumores, pode muito bem tê-las aqui na terra, criando assim o seu próprio paraíso)?
Quando uma religião não evolui com o passar dos tempos e mantém a mesma retórica obsoleta...quem é que pode sequer considerar sentar-se com os seus representantes e ter um debate são?

Qual é o resultado da insensatez destes oradores pseudo-religiosos? As pessoas (aquelas que se recusam a pensar por si e a escutar a voz interior) desapontam-se, erradamente culpam Deus (e consequentemente viram-Lhe as costas); por causa de explicações ignobeis e ensinamentos ignominiosos transmitidos por irresponsáveis que em vez de servirem ao Senhor, só servem a sua ambição pessoal e a própria vaidade.


Imagem: Os últimos momentos de Doge Marin Faliero, de Francesco Hayez

Comentários

  1. Olá Max
    São pontos muito importantes e ao mesmo tempo tristes, que você levantou.

    A religião deveria buscar somente a paz, o amor entre as pessoas, as questões que elevam a alma...e de fato deixar livre as pessoas para pensarem e escolherem qual religião seguir.
    Mas infelizmente o que vejo por aí... uma religião fala mal das outras e as outras também, num circulo vicioso, de fato é meio difícil você acreditar em algo, e quando você vê outra pessoa acreditando de forma difente, você não achar que está "mais certo", mas nada justifica uma imposição Deus nos deu liberdade...
    Agora tem algo que para mim é o fim...é controle intelectual, não poder ler determinados livros, ouvir determinadas músicas, ir ao cinema, fico indignada... mas isso ocorre com frequência.
    é muito triste que seja desse jeito...

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Olá Adriana!

    "A religião deveria buscar somente a paz, o amor entre as pessoas, as questões que elevam a alma...e de fato deixar livre as pessoas para pensarem e escolherem qual religião seguir." - é verdade!

    "Mas infelizmente o que vejo por aí... uma religião fala mal das outras e as outras também, num circulo vicioso, de fato é meio difícil você acreditar em algo, e quando você vê outra pessoa acreditando de forma difente, você não achar que está "mais certo", mas nada justifica uma imposição Deus nos deu liberdade..." - disseste tudo! E é tão triste que assim seja *acenando a cabeça*!

    "Agora tem algo que para mim é o fim...é controle intelectual, não poder ler determinados livros, ouvir determinadas músicas, ir ao cinema, fico indignada... mas isso ocorre com frequência." - este é um ponto que suscita em mim pensamentos pouco elevados...detesto o controle intelectual! É, de facto, o fim da picada!!

    "é muito triste que seja desse jeito..." - tristíssimo!!

    Minha amiga, muito obrigada por partilhares connosco o teu ponto de vista! Amei o teu comentário!

    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Ciao MAX!
    Anch'io sento qualcosa quando leggo le poesie di Gutierrez...non so spiegartelo!
    Eppoi,MAX, io sono restia a dar spiegazioni,clissificare,definire e comprendere....a volte sento e provo soltanto...e basta!
    Per la "lagrimas perras" e proprio Fernando ha confermato che sono lacrime di puttana, hahahah;)
    se leggi le sue poesie, lui usa spesso degli insulti o parole forti per sottolineare la sua rabbia...
    buone vacanze anche a Te cara!

    ResponderEliminar
  4. Ciao Hanna,

    Delle lacrime di puttana? Davvero? LOL LOL LOL quanto sono naif qualche volta: sono sotto shock! LOL

    La rabbia di Fernando la capisco bene io...la situazione politica in Argentina può essere esasperante!
    Comunque grazie a Argentina abbiamo Fernando :D!

    Grazie, cara mia!

    Baci

    ResponderEliminar
  5. Max, não entendi nada dos dois comentários anteriores... Eu te admiro, gostaria de também falar e escrever em outras línguas...

    Mas quanto ao tema, concordo com tudo que você escreveu. Não sigo religião alguma mas respeito a fé das pessoas, mas o que não dá para agüentar são essas inúmeras pessoas, que em nome de Deus, comentem crimes e brincam com a ingenuidade dos outros. O Brasil está cheio disso. E esses pseudo-pastores estão expandindo seus domínios, acredito que aí em Portugal, muitos deles estão em ação.

    ResponderEliminar
  6. Oi Gato!!



    "Max, não entendi nada dos dois comentários anteriores... Eu te admiro, gostaria de também falar e escrever em outras línguas..." - lol ah (tive que ir ver quais eram) é Italiano! Estavamos a falar de um amigo em comum! Oooh, obrigada, meu lindo :D! Eu também te admiro por seres professor: eu, infelizmente, não detenho essa arte!

    "Não sigo religião alguma mas respeito a fé das pessoas, mas o que não dá para agüentar são essas inúmeras pessoas, que em nome de Deus, comentem crimes e brincam com a ingenuidade dos outros." - também não aguento isso!

    "O Brasil está cheio disso. E esses pseudo-pastores estão expandindo seus domínios, acredito que aí em Portugal, muitos deles estão em ação." - é verdade! Aqui em Portugal há imensos pseudo-pastores e estão a estender os seus tentáculos a todo o país e Europa!

    Cidão, muito obrigada pelos teus pensamentos; amei! :D

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço