Amor De Profundis



Entidade até mim do passado veio
Largou um conto de amor, um feitiço leio.
Ilimitado sentimento alimenta mi’alma
Ossifica meu centro e, grava-se em mi’ palma.



Ainda me lembro da primeira vez em que te vi...
Os nossos olhos cruzaram-se e o mundo parou. Conhecemo-nos: o Sol e a Lua congelaram; os oceanos não chegaram às praias; as pessoas não respiraram; os bébés quiseram testemunhar o evento antes de nascerem. Tu e eu conhecemo-nos e os Anjos cantaram: Que se dê início à vida!

Tens o mais doce dos cheiros.
O meu nariz adora fazer o escrutínio de cada ingrediente expelido pelos teus deliciosos poros: sândalo, canela, cravinho, feramonas, endorfinas, amor e paixão misturados com o meu nome...tens, de facto, o mais doce dos cheiros.

Os teus lábios são as portas para o céu.
Quando falas, palavras fluem através dos teus carnudos lábios; sabedoria, intelectualidade, genialidade e conhecimento são a discografia produzida pela tua boca.
O teu beijo revela um mundo de aromas exóticos; desvenda os mistérios de um passado obscuro; retira o véu dos meus desejos mais recônditos; transporta-me de volta para Casa...sim, os teus lábios são as portas para o céu.

Passar-te um objecto é um delírio.
O calor da tua pele; a energia que ela emana é apaziguadora e pacífica. Sempre que passas por mim acordas cada célula no meu corpo...como se lhes lembrasses da sua missão, do seu objectivo...ó, é um delírio.

O melhor dos melhores...
A tua essência foi criada entre os mais Excelentes. Quando aterraste no teu templo sagrado e te submeteste às inconveniências da matéria, conseguiste manter a tua semente intacta só para mim.
Vejo-te para lá da carne; leio-te a partir do teu núcleo e por essa razão aceitei-te exactamente como és (jamais mudaria coisa alguma em ti)...

O que sinto por ti é muito mais que Amor.

Estas palavras são dedicadas a todos aqueles que amam, que amaram, ou virão a amar profundamente!


Imagem: La condesa de Valches de Federico Madrazo (1853)

Comentários

  1. Nem quero me lembrar dos meus amores antigos... Atualmente meu coração está fechadinho. Mas essa carta é belíssima.

    ResponderEliminar
  2. Que lindo! Max
    Obrigada por nos dedicar esta bela carta

    ResponderEliminar
  3. Quantas vezes pensei ter te encontrado?
    Quantas noites sem dormir...
    Quantos sonhos...
    Senti teu cheiro,teu corpo,tua alma...
    Te encontrei sim, nos misturamos, Nos amamos,nos perdemos...
    Te busquei no imenso azul do oceano,com o sol em meu rosto e o vento em minha pele.
    Cadê você?
    Talvez nas estrelas que nos olhavam, ou na lua que nos cobria na noite morna?
    As vezes te encontro nas Bachianas depois, não sei...
    Fecho os olhos e te escuto. Te escuto no fundo da Alma!
    Ai digo para a minha pessoa: sim és tu!
    Meu amor, minha vida , minha alma querida.
    Sorrio pra ti, pois agora sei que estás aqui, junto de mim, todo o tempo. Sempre estivestes, nunca me abandonastes..
    Te amo,até que o fio invisível que nos une, se rompa e nos obrigue a partir a procura de um grande e eterno amor...
    Merci Max
    Je t'aime

    ResponderEliminar
  4. Oi Cidão!

    Abre o teu coração, gato :D! Vais ver que te sentirás melhor :D!

    Obrigada, ainda bem que gostaste :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Oi Adriana!

    De nada, minha linda! Ainda bem que gostaste :D! E muito obrigada :D!

    Beijos

    ResponderEliminar
  6. Oi Anónima!

    Que texto lindo!!! Obrigada por o teres partilhado connosco :D!

    Je t'en prie, mon amie :D!

    Je t'aime moi aussi!

    ResponderEliminar
  7. Max!! Quanto sentimento heim?! Só mesmo quem ama é capaz de tal proeza, obrigada pelas doces palavras! Boa semana! Beijus

    ResponderEliminar
  8. Oi Luma!

    Muito obrigada, minha linda :D!

    De nada, de nada :D!

    Obrigadão e tem uma boa semana, tu também ;D!

    Beijos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço