L'orchidea (una Lettera d'amore) - Translation



Hanna was the author of this beautiful love letter dedicated to Paolo.
I was challenged to translate it...let's see how it goes!
The texts are in the following order: Italian (original), Portuguese and English translations.


L'Orchidea
(Lettera d'amore)
Essere una donna, sentirsi donna...Frammenti di pensiero, nemmeno una parola.Compiere fantasia ha le sue forme. Orlo di terra da cui liquida cado.Vieni, insegnami il tuo modo, riempi gli anfratti altrimenti vuoti. Vieni e resta e non morire dentro di me. Sollievo alle braccia non più vuote, ma che tendono, cingono troppo, oltre la forma e il suono. Catturo sotto le palpebre e sigillo il tuo sguardo più bello. Nessun mio bacio senza di te esiste, ne nessun Klimt,Boudelaire ne Mozart l'han saputo.
Il paradiso precipitato,rovesciato... E perché sapere? Via i nomi che compongono mondo. Non più tocchi, ma colpi delle note alte, arcuate. Le fronde plaudenti, il flash tra diademi dei pini sull'attenti. Non deve aver nome il mio sussurro che grido, non serve gridare, se disparve l'incanto. La protuberanza pungente, custodita dentro, racchiusa in una forma breve ma intensa, ove il tuo glande incandescente, saggia e bacia la segreta come una cieca talpa devota. Erutta!
Stillami dentro il tuo nome- che trabocchi! Lasciami inonda.
Riscuoti cresta, bruchi e farfalle.
Sollevato sul gomito,guardami ora. Per aprirmi gli occhi,il modo c'è.
E lasciami così-un dipinto su erba, sotto gli aghi di pino che mente mio nome.
Non sono più quella di prima,ne mai sarò.
Senza figura verticale, che il mondo attenda!
E lasciami li, celebre icona, consacrata e degna -
Impollinata tua orchidea


A Orquídea
(Carta de amor)

Ser mulher, sentir-se mulher...fragmentos do pensamento, nem uma palavra.
Há formas de consumar uma fantasia. Falésia de onde languidamente caio. Vem, ensina-me o teu jeito, preenche as fendas que de outro modo seriam ocas. Vem, fica, e não pereças dentro de mim. Conforto-me nos braços não mais vazios, convidativos que me apertam para lá da forma e do som. Pressinto, sob a venda, o teu olhar mais belo. Nenhum ósculo meu, sem ti, existe; nem algum Klimt, Boudelaire ou Mozart sabem o que isso é.
O paraíso despenhado, subvertido...que importa? Para o diabo com os substantivos que classificam o mundo. Nada de mais toques, somente golpes profundos, erráticos. A folhagem aplaude a luz que entre as coroas das pinhas com delicadeza. Não se qualifique o meu sussurro audível, não é necessário gritar, pois esvanecer-se-ia o encanto. A protuberância pungente, breve mas intensa, onde a tua glândula incandescente escava e fareja a masmorra como uma toupeira cega. Transborda!
Destila o teu ser de dentro de mim: que já trasbordas! Inunda-me.
Atinge a coroa, lagartas e borboletas.
Apoiado sobre o teu cotovelo, fita-me. Há maneiras de me fazeres abrir os olhos.
Deixa-me assim: sobre a erva, um quadro coberto de caruma que balbuceia o meu nome.
Não sou mais aquela de antes, nem nunca mais serei.
Sem verticalidade, que o mundo espere!
Deixa-me ali, imagem célebre, consagrada e digna: tua orquídea polinizada.

The Orchid (Love Letter)

To be a woman, to feel like on...fragments of thought, not even a word.
There are ways to fulfil a fantasy. Languidly I fall from the edge. Come, teach me your ways, and fill in the clefts otherwise empty. Come, stay and do not perish inside me. I see comfort in the arms no longer void; although they stretch out they squeeze beyond form and sound. Under the blindfold I capture your most beautiful ogle. Without you none of my kisses are; and neither Klimt, Boudelaire nor Mozart have never known how it is like.
The fallen and trouble paradise…who cares? The hell with the nouns that compose this world. No more touches, but strokes from the high notes, convex. The approving foliage, the flash through the pine crowns, is in position. My shouting whisper doesn’t have to be named, well…it is useless to shout, otherwise the charm will fade away. The prickly bulge, fostered inside, locked in a brief yet intense form, where your incandescent glans tests and smacks the dungeon like a devoted and blind mole. Exploded!
Drip your name inside of me: you’re overflowing! Leave me flooded.
You reach the crest, caterpillars and butterflies.
Resting on your elbow, you stare at me now. There is a way to light my eyes.
And leave me like this: a painting, counterfeiting my name, on the lawn under the pine needles.
I am no longer the one I used to be, and I will never be again.
Without erectness, let the world wait!
And leave me there, celebrated, anointed and dignified icon:
Your pollinated Orchid.

Comentários

  1. Occhristo!
    mi sono venuti i brividi di eccitazione!
    io non so bene ne spagnolo ne inglese, ma per quello che sappia, la traduzione mi sembra meraviglia!
    Ti ringrazio tantissimo cara!
    Ora faccio link al mio blog e la mando in altri posti...
    ciao e baci

    ResponderEliminar
  2. Ciao Hanna!

    "mi sono venuti i brividi di eccitazione!" - lol davvero? Wow....

    "io non so bene ne spagnolo ne inglese, ma per quello che sappia, la traduzione mi sembra meraviglia!" - grazie, bella *inchinandomi*! Sei gentile :)!

    "Ti ringrazio tantissimo cara!" - non c'è di che, bimba :)! Come ti ho detto: è stata una esperienza fantastica!

    "Ora faccio link al mio blog e la mando in altri posti..." - certo! Grazie mille!

    Baci

    ResponderEliminar
  3. Wow, it's beautiful She is quite a poet, and you are quite a translator. Very nice.

    ResponderEliminar
  4. Hey Scott,

    Yes, she is quite a poet :)! And thank you so much, my kind friend *bowing*! I am glad you liked it :D!

    I wish you a blessed weekend!

    Cheers

    ResponderEliminar
  5. OI Max
    nossa menina! você é uma excelente escritora...Essa trama é muito interessante nos leva a ler e ler para saber o que vem depois,os personagens que se relacionam fantasticamente e com muitos detalhes...e quanto ao poema de sua amiga também é belissimo
    beijos

    ResponderEliminar
  6. Lindo, beautiful, maravilhoso, wonderful!!!

    Um dia ainda vou escrever poemas tão belos quanto esse!!!!

    ResponderEliminar
  7. I was able to read the Italian version (just missed a couple of words) and all I can say is... I'm in love with that letter! Italian s the language of love...

    ResponderEliminar
  8. Oi Adriana,

    Obrigadão, minha linda!!! :D Ainda bem que gostaste *vénia*!

    Obrigada, em nome da Hanna :)!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Cidão!

    Obrigada, thanks, danke, grazie, gracias; gato :D!

    Escreves poemas também? Ai que maravilha!!!! :D Agora estou curiosa para ler...

    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Hey Zhu,

    You were able to read it in Italian? Brava!! :D
    It is a beautiful letter indeed :)! I couldn't agree more: Italian IS the language of love ;D!

    Cheers

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

O Etnias aprecia toda a sorte de comentários, já que aqui se defende a liberdade de expressão; contudo, reservamo-nos o direito de apagar Comentos de Trolls; comentários difamatórios e ofensivos (e.g. racistas e anti-Semitas) mais aqueles que contenham asneiras em excesso. Este blog não considera que a vulgaridade esteja protegida pelo direito à liberdade de expressão. Um abraço